Você sabe o que são debêntures?

Debêntures

Com a combinação de juro baixo, inflação sob controle e propostas de reformas em andamento, cada dia mais o investidor está buscando alternativas mais rentáveis para seus investimentos.

Alguns produtos, até então desconhecidos pelo grande público, começam a aparecer de forma mais recorrente nas conversas sobre investimentos. Começamos a ouvir mais sobre os ETFs, que já falamos aqui com vocês, sobre os fundos imobiliários e as debêntures.

Mas você sabe o que são debêntures?

As debêntures são títulos de dívida que geram um direito de crédito ao investidor. Na prática, o investidor empresta o seu dinheiro para uma empresa e recebe, em troca, um rendimento (geralmente juros expressos ao ano) combinados no momento da compra e, no vencimento do título, o valor investido (principal) de volta. No Brasil, as debêntures constituem uma das formas mais tradicionais de captação de recursos das companhias brasileiras por meio de títulos.

Quando uma empresa, seja ela de capital aberto ou fechado, precisa de novos recursos para aumentar seu capital, pagar suas dívidas ou mesmo investir em novos projetos para, por exemplo, aumentar sua capacidade produtiva, ela tem na prateleira algumas opções para buscar esse dinheiro no mercado: a empresa pode emitir ações (fazendo um IPO ou um follow on), procurar empréstimo em um banco ou emitir debêntures. Se optar pela emissão de debêntures, um ativo de renda fixa, terá alguns benefícios como a diminuição do custo médio da captação, o alongamento e a adequação do perfil, além da diminuição significativa das garantias utilizadas pela empresa.

Em 2019, o estoque de títulos de renda fixa corporativos na B3, que incluem debêntures, CRAs, CRAs e notas comerciais, cresceu 28% em relação ao ano anterior chegando a R$ 627 bilhões. Se olharmos só as debêntures, o crescimento foi de 34,1%, passando de R$ 355,3 bilhões em 2018 para R$ 476,6 bilhões em 2019.

As características das debêntures são descritas na sua escritura de emissão que, entre outras questões, poderá estabelecer, inclusive, em quais projetos a companhia irá aplicar os recursos captados na emissão de uma série. Por isso, é sempre bom estar de olho nesse material.

É importante que o investidor conheça o ativo para fazer a escolha adequada segundo seu perfil e buscar informações e avaliações sobre a empresa antes de decidir emprestar seu dinheiro para ela comprando suas debêntures. No Brasil são dois os tipos mais conhecidos de debêntures: as simples e as conversíveis.

Na remuneração das debêntures simples, o investidor recebe a rentabilidade previamente determinada nas formas pré-fixada, pós-fixada e híbrida. Já nas debêntures conversíveis, o investimento pode ser convertido em ações no vencimento do título.

Nas debêntures simples existe uma modalidade especial chamada debênture incentivada. Na compra deste tipo de ativo, os valores são investidos pelas empresas em projetos de infraestrutura para o país, como rodovias e aeroportos. Elas também são remuneradas com uma rentabilidade previamente determinada, mas o diferencial é que são isentas de IR (Imposto de Renda) e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para os investidores.

Os investidores podem adquirir os títulos diretamente ou investindo em fundos de investimentos com debêntures em seu portfólio. E, assim como as ações, os ETFs e os FIIs, para investir em debêntures é preciso ter uma conta em uma corretora cadastrada da B3.

Quer saber mais sobre as debêntures acesse www.b3.com.br, Produtos e Serviços, Negociação, Renda Fixa, Títulos Privados e Debêntures.

Agora que você conhece mais, abra sua conta na Guide e invista nesse e outros tipos de investimentos!

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções
Bitnami