Utilize ameaças temporárias ao seu favor

Tempo de leitura: 2 minutos

A volatilidade faz parte dos investimentos. Em busca de retornos maiores no longo prazo, investidores devem utilizar as altas quedas de ações ao seu favor. Em geral, estas ocorrem em dois casos: quando há uma ameaça temporária e quando há um problema estrutural. Vamos explorar mais este pensamento.

O problema é que, quando vivenciamos o fato, não sabemos com exatidão em qual dos dois grupos ele se classifica. Tempo depois, olhando o gráfico das cotações do mercado de ações, é muito fácil dizer: “era óbvio!”.

Exemplos de janelas de oportunidade para se comprar excelentes empresas não faltam: o escândalo do Facebook com a Cambridge Analytica, a “guerra de streaming” tanto anunciada pela mídia financeira, a Geico nos anos 70 e muitos outros.

Para se ter uma noção, o preço da ação da Monster Beverage se multiplicou por 100x nos últimos 10 anos. Neste tempo, sua cotação caiu, por dez vezes, mais de 25%. E, por três vezes, mais de 40%. A da Amazon, por sua vez, caiu 30% em oito vezes. Mesmo assim, a gigante varejista subiu mais de 151.000% desde o seu IPO em 1997.

Gostamos muito de estudar a história das empresas, para vermos, entre outros fatores, os erros que cometeram durante sua jornada. Que podem tanto ter sido ameaças temporárias ou problemas estruturais, que levaram ao fim da companhia posteriormente, como o banco Lehman Brothers na crise financeira.

Lendo o livro “A Regra é Não ter Regras”, de Reed Hastings, CEO da Netflix, nos deparamos com o Qwikster, o maior erro na história da Netflix.

No início de 2007, a companhia oferecia um serviço de US$ 10 que era uma combinação de DVDs por correio e streaming. Sabendo que as pessoas assistiriam cada vez menos DVDs e migrariam para a solução digital, a gestão decidiu focar no streaming, separando as duas operações.

Dessa forma, a Netflix faria o streaming, enquanto uma nova empresa, a Qwikster, se encarregaria do mercado de DVDs. A estratégia parecia fantástica, afinal, a companhia poderia se concentrar exclusivamente nas tendências positivas de longo prazo.

Com duas empresas separadas, seria cobrado US$ 8 por cada serviço. Pelo fato do mercado de streaming ser novo na época, e pouco desenvolvido, muitos consumidores faziam questão de utilizar tanto a solução digital quanto os DVDs. Estes teriam um aumento de US$ 6 para utilizar o mesmo serviço que antes.

O anúncio, obviamente, provocou revolta entre os clientes. A nova estratégia não era apenas muito mais cara, mas obrigava os consumidores a ter que gerenciar dois sites e duas assinaturas diferentes em vez de uma só. O resultado foi uma perda de milhões de assinantes e uma queda de 75% nas ações.

A história da Netflix é interessante pois ela mostra que mesmo empresas de alta qualidade, com um time e cultura exemplar, tendências favoráveis e com vantagem competitiva podem sofrer com ameaças temporárias.

Obviamente, permanecer com a companhia neste tempo deve ter sido extremamente difícil, se não impossível. No entanto, os investidores que acreditaram que a medida de Hastings, por mais que errada no método, estava certo na ideia (focar no streaming, e não no DVD) foram muito bem recompensados por isso.

Relacionados

5 lições de Charlie Munger

Charlie Munger é um dos investidores mais consagrados da história, vice-presidente da Berkshire Hathaway, parceiro de longa data de Warren Buffett. [...]

Suno Research - 07/04/2021

O que é o mercado de ações e como ele funciona

Entre riscos e a volatilidade inerente ao processo, o mercado de ações vale a pena para o investidor que busca ampliar [...]

Syntax Finance - 07/04/2021

Tudo o que você precisa saber sobre Fundos de Fundos (FoFs)

Os Fundos de Fundos, também conhecidos pelo acrônimo FoFs, apresentam uma estratégia de investimento baseada na união de recursos, por uma [...]

Suno Research - 24/03/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções