Cotações por TradingView

Você sabe realmente para que serve a bolsa?

Tempo de leitura: 4 minutos

Se alguém perguntar o que vem à sua cabeça quando o assunto é investimento, provavelmente uma das primeiras coisas que você vai se lembrar é da bolsa de valores. Aquela imagem do telão de cotações enorme e dos operadores com um telefone no ouvido comprando e vendendo ações é ainda muito forte e está não apenas nos filmes como também no imaginário de muita gente.

Mas você já parou para pensar para que serve uma bolsa de valores e qual a importância dela para a economia de um país? E não estamos falando apenas do Brasil. Segundo a WFE, que é a Federação Internacional das Bolsas, são mais de 150 bolsas ao redor do mundo.

No Brasil, a bolsa de valores é a B3, criada em 2017. Mas se engana quem pensa que a bolsa tem apenas 5 anos: a bolsa brasileira tem uma história centenária, já que sua origem se deu em 1851, com a criação da Junta dos Correios, que viria a ser o embrião da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. E, desde lá, outras empresas foram surgindo e se unindo (BOVESPA, BMSP, BM&F, Cetip e BM&FBOVESPA) para o surgimento da B3. E outra coisa que sempre gera dúvida: a bolsa não é uma empresa estatal, e sim uma companhia privada de capital aberto com suas ações sendo negociadas, inclusive, em pregão.

Uma bolsa tem um papel importante para uma economia. Imagina que você quer vender um produto e não sabe por onde começar. Do outro lado, existe uma pessoa que precisa muito desse produto que está nas suas mãos, mas não sabe que você existe e nem que você tem o que ele precisa para vender. Imagina agora se existisse um lugar que pudesse promover esse encontro entre vocês para que o negócio fosse fechado e você conseguisse vender seu produto. Esse “lugar” é a bolsa de valores.

A bolsa promove esse encontro e o fechamento de um negócio entre duas partes interessadas. Se ao entrar em um supermercado você se depara com inúmeras prateleiras de produtos diferentes e de marcas diferentes, na bolsa de valores também é assim. Mas, em vez de vender arroz, feijão ou produto de limpeza, uma bolsa vende o que chamados de ativos financeiros: ações, fundos de índices, fundos imobiliários, BDRs, derivativos, entre outros.

Vamos começar falando das ações

Uma ação é um pedaço de uma empresa. Vamos pensar que agora você é um empresário e precisa de dinheiro para expandir seu negócio, seja para construir novas fábricas ou abrir novas lojas em outras regiões do país, por exemplo. Você tem a opção de ir a um banco tradicional e pedir um financiamento e pagar para ter esse dinheiro emprestado ou pode buscar a bolsa. Como? Você pega uma parte da sua empresa, divide em pequenos pedacinhos, que são as ações, e coloca à venda essa parte da sua empresa para que novos sócios (investidores) comprem fatias da sua empresa.

Após a decisão do dono da empresa, acontece o IPO, que é a oferta inicial, quando pela primeira vez as ações de uma empresa começam a ser negociadas na bolsa. Depois, o que acontece todo dia no pregão, são investidores comprando e vendendo milhares de ações e outros ativos todo dia, com a B3 garantindo que quem comprou vai receber a ação em sua carteira e que quem vendeu vai receber o dinheiro no bolso.

E lembra quando falamos do supermercado? No mercado de capitais, você pode olhar uma prateleira e escolher entre diversos produtos (ações, ETFs, BDRs, FIIs) e, dentro de uma categoria, você pode definir ainda em qual setor quer investir: varejo, tecnologia, agronegócio ou financeiro.

Quando você compra um pedacinho de uma empresa listada na B3 e se torna sócio desse negócio, você está ajudando a economia do seu país crescer. Isso porque a empresa que você comprou a ação buscou a B3 para captar recursos pode, com esse dinheiro, expandir sua linha de negócio, abrir novas fábricas, gerar mais empregos e renda para muitos brasileiros, direta e indiretamente, além de movimentar algumas atividades relacionadas ao setor na sua cidade ou região.

Sem falar que toda vez que um empreendedor escolhe esse caminho, ele acaba trazendo mais inovação, modernização e eficiência, seja para o seu negócio ou para o setor. E sabe quem também se beneficia com isso? O país, que consegue se tornar mais competitivo globalmente. Então, a partir de agora, toda vez que você escutar o nome da bolsa de valores, você vai entender melhor porque ela é tão importante para o desenvolvimento da economia de um país.

A conversa está ótima, mas esse é só o começo para você entender um pouco melhor sobre o que uma bolsa faz e como a B3, a bolsa do Brasil, influencia a vida de tantos brasileiros.

Fica aqui o convite para você também aprender um pouco mais sobre a bolsa e os mercados no Brasil acessando o Hub de Educação da B3. No próximo mês contamos um pouco mais sobre o que acontece em uma bolsa, combinado?

Relacionados

O que é direito de subscrição e para que serve?

O mercado financeiro oferece diversas oportunidades para investidores ampliarem seu patrimônio e rentabilizarem seu portfólio. Afinal, é possível valorizar seus investimentos [...]

Guide Investimentos - 27/05/2022

Vale a pena comprar uma ação fracionada?

Quem deseja investir no mercado de ações precisa conhecer as diferentes alternativas disponíveis nesse ambiente de negociações. Nesse sentido, é fundamental [...]

Guide Investimentos - 23/05/2022

Dividendos x juros sobre capital próprio: o que são e como compor a carteira com eles?

A negociação de ações está entre as possibilidades de investimento para quem visa obter ganhos na bolsa de valores. No entanto, [...]

Guide Investimentos - 20/05/2022
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções