Cotações por TradingView

Stalking horse: descubra o significado no mercado financeiro!

Tempo de leitura: 5 minutos

No mercado financeiro, não é raro se deparar com jargões e palavras em outros idiomas, especialmente em inglês. Afinal, muitas delas são provenientes de mercados americanos ou europeus — maiores e mais tradicionais que a bolsa de valores brasileira.

Entretanto, nem sempre é possível entender o seu significado apenas com a tradução literal. A expressão “stalking horse”, por exemplo, traduzida simboliza o “cavalo perseguidor” ou “cavalo de caça”. Mas o que será que isso significa no mercado?

Caso queira saber a resposta, continue a leitura deste artigo. Ao conhecer melhor o conceito de stalking horse, você poderá aproveitar outras oportunidades de investimento ou especulação.

Não perca!

O que é stalking horse?

Antes de aprender o significado desse termo para o mercado, vale a pena conferir a sua origem. Assim, você entenderá o motivo da sua utilização no mundo das finanças.

A expressão stalking horse é oriunda da prática de caça. No passado, os caçadores tinham dificuldades de se aproximar de suas presas, já que muitos animais se amedrontam com a presença humana — especialmente aves e cervos.

Nesse sentido, muitas vezes, a presa fugia mesmo antes de o caçador estar próximo o bastante para atirar nela. No entanto, alguns caçadores passaram a notar que seus alvos eram mais tolerantes à presença de animais como cavalos e gados.

Assim, adotaram a estratégia de caminhar ao lado de seus cavalos — mantendo parte do corpo fora de vista — até que o bando ou rebanho estivesse no alcance do tiro. Os animais treinados para essa finalidade eram chamados de “stalking horse” ou “cavalo de caça”.

Aqui, é interessante saber que nem sempre eram utilizados cavalos de verdade. Na prática, era bastante comum utilizar estruturas de madeira com peles de animais, principalmente entre os menos afortunados. Afinal, elas atendiam à mesma finalidade de “enganar” ou “distrair” a presa.

E no mercado financeiro, o que significa o conceito?

Embora as premissas de enganar ou distrair não sejam adequadas quando se fala em uma relação negocial, a expressão stalking horse chegou ao mercado financeiro. Porém, com um significado diferente, sendo preciso entender o conceito em que ela se aplica.

Para tanto, é necessário destacar que a atividade empresarial nem sempre é uma tarefa fácil de manejar. Muitas empresas trabalham nos limites de seu orçamento, com baixas perspectivas de crescimento, e em ramos defasados, que não acompanham a evolução e necessidades da sociedade.

Com isso, existem diversas companhias que não são lucrativas e estão altamente endividadas. Quando a situação sai do controle, é normal que elas se socorram do pedido de recuperação judicial, visando ganharem fôlego para se reestruturar e estabilizar suas finanças.

Nesse processo, as dívidas da companhia ficam suspensas. Enquanto isso, a empresa se reúne com seus credores e, juntos, decidem um plano de recuperação para quitação desses débitos. Entre as estratégias mais adotadas, está a venda de bens e ativos financeiros da companhia em recuperação.

Mas, como é um procedimento supervisionado pelo Poder Judiciário, geralmente essa venda deve ser realizada em leilão público. Contudo, nem sempre são encontrados interessados nesses ativos. Ademais, as ofertas podem ser de baixo valor — o que pode aumentar os prejuízos da empresa.

Logo, de modo a evitar esse tipo de ocorrência, a própria companhia busca interessados na compra, sendo que será feita uma oferta inicial no leilão. O objetivo é assegurar um preço mínimo aceitável, além de atrair outros compradores para arrecadar o maior valor possível.

Essa oferta inicial ficou conhecida como “oferta stalking horse”. Ou seja, uma proposta em que é usado um terceiro (possível comprador) para proteger o interesse da recuperanda — assim como o cavado de caça atendia ao interesse do caçador no passado.

Como funciona essa oferta?

Como você viu, a empresa em recuperação judicial precisa arrecadar recursos para quitar suas dívidas e equilibrar suas finanças. Nesse sentido, a venda de ativos costuma ser uma das formas mais rápidas de fazer esse levantamento, mas, em regra, precisa ser feita por leilão.

Então, para não correr o risco de ter os bens leiloados por um preço muito baixo, a companhia busca interessados com antecedência. Em conjunto, a empresa e o interessado negociam condições para beneficiar ambos — já que esse último poderia participar do leilão sem fazer a oferta inicial.

Em relação à companhia, as vantagens envolvem um preço justo pelos seus ativos e a concretização da venda. No que se refere ao proponente (que fará a oferta) geralmente estão relacionadas ao reembolso de despesas de avaliação, a possibilidade de cobrir outras propostas e uma taxa de rescisão.

Assim, mesmo que o proponente não seja o arrematante dos bens, ele será reembolsado em cumprimento a esse acordo. Do mesmo modo, a companhia receberá, no mínimo, o valor que entende ser satisfatório — beneficiando ambos.

Exemplo de oferta stalking horse

Uma das últimas ofertas stalking horse no mercado brasileiro foi encabeçada pelo grupo formado pela Claro, Tim e Vivo. Essas companhias foram procuradas pela Oi, que entrou em recuperação judicial em 2016, e lançaram uma oferta inicial de R$ 16,5 bilhões no leilão de seus ativos móveis.

A realização dessa oferta resultou no aumento da volatilidade do preço das ações da Oi no período. O papel (OIBR3) que custava cerca de R$ 1,50 em agosto de 2020 (data da divulgação da notícia) alcançou R$ 2,50 nos meses seguintes — chamando a atenção principalmente de especuladores.

Por que o investidor precisa entender esse conceito?

Ao chegar até aqui, você já deve ter percebido como a oferta stalking horse pode evidenciar oportunidades de investimento ou de especulação. Afinal, empresas em recuperação judicial normalmente possuem ações com alto nível de assimetria entre risco e retorno.

Ademais, a empresa que demonstra estar agindo ativamente para levantar recursos e quitar suas dívidas — como ao se valer do stalking horse — tende a passar credibilidade para o mercado. Isso costuma gerar grandes oscilações de preços, abrindo janelas de ganhos no curto prazo.

Agora, caso a companhia consiga elaborar um bom projeto de recuperação e, de fato, sair dessa situação, pode proporcionar ganhos em prazos maiores. Contudo, é preciso avaliar os riscos, já que também existe a possibilidade de a recuperação ser convertida em um processo de falência.

Depois de conferir o que é stalking horse no mercado financeiro, não se esqueça de observar o seu perfil e objetivos antes de investir em ações de companhias em recuperação judicial. Além disso, estabeleça estratégias para manejar os riscos e proteger o seu capital.

Deseja investir nessas ou em outras alternativas do mercado financeiro? Abra sua conta na Guide e explore todo o seu potencial de investidor!

Relacionados

Índice de Treynor: descubra qual retorno da sua carteira com esse índice!

Um dos principais objetivos dos investidores é construir patrimônio. Nesse sentido, a rentabilidade da carteira é um dos critérios que devem [...]

Debora - 26/11/2021

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021

O que é RDB? Aprenda a investir nesse título!

A renda fixa oferece investimentos com diferentes características. Há, por exemplo, os títulos públicos, as aplicações privadas e, ainda, as alternativas [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções