Qual é o plano, Jair? Crescimento, reformas e sociedade

Tempo de leitura: 2 minutos

Jair Bolsonaro será o novo presidente do Brasil. A campanha eleitoral terminou e, com isso, as promessas que não acabavam mais. Agora, torna-se importante entender o plano que ele e a sua equipe econômica irão adotar. Quais reformas são necessárias? Quais são as que tem maior potencial de melhorar a produtividade da economia? Mais do que isso: quais são mais viáveis, em termos de apoio da sociedade?

Um estudo do FMI, publicado no início de outubro, tenta responder a estas perguntas. Antes disso, vale fazer um comparativo: nas últimas décadas, o Brasil cresceu muito menos do que os seus pares. Desde 1980, o PIB real cresceu, em média, meros 2,6% ao ano. O gráfico a seguir mostra como fomos “ficando para trás”, com o passar do tempo. A razão disto? Uma produtividade estagnada. Simples assim. Aliás, a depender dos cálculos empregados para medi-lá, há quem diga que a produtividade do país é menor do que a do início da década de 1980.

Qual o impacto das reformas na produtividade?

O FMI considerou uma base de dados de 86 países (emergentes e desenvolvidos), entre os anos de 1970 e 2011. Foram testadas 5 reformas: (1) bancária, (2) trabalhista, (3) legal, (4) competição & ambiente corporativo e (5) abertura comercial. O resultado? Todas, em linha com o esperado, contribuem para o aumento da produtividade da economia. No entanto, considerando a defasagem do Brasil em relação aos países desenvolvidos, a reforma bancária parece ser aquela com o maior potencial de melhora.

Quanto à reforma bancária, o FMI destacou a relevante interferência estatal na alocação do crédito, além da ainda maciça presença de grandes bancos públicos, é claro. O gráfico anterior mostra que poderíamos ter um crescimento na produtividade de quase 1,2% (considerando o seu efeito em até 1 ano após feita a reforma). Na sequencia, estima-se que o impacto da reforma trabalhista também seja bastante relevante. Este número, embora significativo, não considera as modificações feitas recentemente durante o governo Temer. Ou seja, tal estimativa superestima o efeito de novas modificações e não considera o menor espaço para ajustes daqui em diante. Também vale mencionar que as reformas relativas à competição entre empresas e à abertura comercial — as 2 últimas reformas em termos de efeitos — costumam ter um impacto maior em prazos mais longos.

Mas qual o apoio para as reformas?

Considerando diferentes bases de dados, o FMI encontra que 31% apoia reformas no sistema bancário e na competição & ambiente corporativo. Além disso, 26% apoia reformas no sistema legal; 23% na abertura comercial e 15% nas reformas trabalhistas. Ou seja, com isto em mãos, podemos fazer uma análise conjunta, levando em consideração apoio da população e impacto sobre produtividade. A seguir, um quadro que resume os resultados do estudo.

Em suma: o próximo governo terá uma difícil tarefa pela frente, e diversas reformas são necessárias para acelerar o crescimento brasileiro vis-a-vis o resto do mundo. Não é uma novidade que estamos “atrasados” no quesito crescimento. A questão é: qual caminho seguir neste momento? É exatamente isto que os investidores continuarão a monitorar nos próximos meses. Por enquanto, estamos numa fase “lua de mel”. Qual será o plano?

Referência: “Structural Reform Priorities for Brasil“, FMI (October, 2018).

Relacionados

PMEs chegam ao mercado de capitais

Não faz muito tempo, as operações para obter recursos via emissão de dívidas no mercado de capitais atendiam majoritariamente às grandes [...]

Estadão - 09/05/2021

Disputa pelo governo em 2022 coloca clãs em lados opostos

No xadrez político de Alagoas, o futuro dos grupos de Arthur Lira (Progressistas) e Renan Calheiros (MDB) vai se cruzar novamente [...]

Estadão - 09/05/2021

Renan quer trégua com Lira, mas CPI embaralha o jogo

A eleição do líder do Centrão, deputado Arthur Lira (Progressistas), para a presidência da Câmara e a escolha do senador Renan [...]

Estadão - 09/05/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções