Quais são os principais riscos do mercado financeiro?

Tempo de leitura: 4 minutos

A todo momento ouvimos sobre os tipos de investimentos disponíveis no mercado e o potencial de valorização que cada um apresenta. Ainda que investir esteja se tornando um hábito cada vez mais frequente entre os brasileiros, muitos ainda ficam receosos por conta dos riscos. Continue a leitura para conhecer melhor os principais riscos do mercado financeiro e entenda como reduzir, ao máximo, seus efeitos nas carteiras de investimentos.

Pra começar, o que são riscos do mercado financeiro?

Entende-se por riscos todas as variáveis que podem comprometer um determinado resultado esperado. São as incertezas por trás de todas as decisões que tomamos em nossas vidas. E no mundo dos investimentos não é diferente. Os riscos presentes no mercado financeiro consistem na possibilidade de um retorno esperado não se concretizar, seja por influência de um fato econômico, político, organizacional ou até mesmo climático.

Em geral, quanto maior o grau de incerteza relacionado ao retorno de um investimento, maior será o seu risco. Por este motivo, as modalidades consideradas mais arrojadas tendem a entregar rentabilidades mais atrativas. Contudo, é válido lembrar que o risco também está presente nas modalidades mais conservadoras, como, por exemplo, na poupança e outros investimentos em renda fixa.

Quais os tipos riscos do mercado financeiro?

Como dito, os riscos estão por todos os lados. No mercado financeiro, existem aqueles completamente inesperados e que afetam o sistema como um todo, mais conhecido como risco sistêmico. Um bom exemplo dele foi a chegada do covid-19, que impactou o mundo. Por outro lado, existem aqueles que influenciam um determinado segmento, conhecido como risco não-sistêmico, este, por sua vez, divide-se em:

  • Risco de Mercado

Diz respeito à possibilidade de perder dinheiro diante das oscilações do mercado, seja por conta de mudanças repentinas nas taxas de juros ou mesmo cambial. É um risco muito comum em aplicações em renda variável, como ações e alguns fundos de investimentos.

  • Risco de Crédito

Refere-se ao risco de inadimplência, seja por falência ou mesmo calote, por parte do emissor de um título. Logo, a  capacidade de pagamento de uma instituição determinará seu nível de risco de crédito. Por este motivo, no processo de investimento é fundamental avaliar o patrimônio dessa instituição ou empresa, seu grau de alavancagem, sua reputação no mercado, além do seu rating (classificação de risco de crédito).

  • Risco de Liquidez

Trata-se da possibilidade de não vender um determinado ativo e assim não conseguir reaver o dinheiro no período desejado. Quanto mais rápido um ativo pode ser resgatado, maior a sua liquidez. Contudo, alguns possuem regras que não permitem a sua liquidação antes de um determinado período ou vencimento. Assim como outros que, se resgatados antes do prazo estimado, resultam em gastos para o investidor.

  • Risco Legal

Risco comum a agentes ou instituições que atuam em um mercado ainda não regulamentado e/ou fiscalizado por órgãos como o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Todo rendimento oriundo de uma aplicação financeira deve ser transparente ou respaldado por instituições de fiscalização, do contrário os investimentos podem não se cumprir, uma vez que não são considerados juridicamente seguros.

  • Risco Operacional

Trata-se do risco que toda empresa ou instituição possui de cometer erros, propositais (fraudes) ou não, em suas operações. A melhor estratégia para evitar ou reduzir esse tipo de risco consiste em acompanhar os relatórios emitidos pela empresa e seus indicadores, de modo a identificar antecipadamente possíveis falhas.

 

Como não correr riscos do mercado financeiro?

O primeiro passo para limitar os riscos no mercado financeiro é ter conhecimento do seu perfil de investidor. Sabemos que os riscos estão por todos os lados, contudo é possível manejá-los, para isso é necessário saber quão disposto você está a se expor na tentativa de atingir retornos mais altos.

A boa notícia é que o mercado é extremamente democrático e possui diferentes modalidades de investimentos capazes de suprir a necessidade de todos, desde os mais arrojados aos mais conservadores. Nesse sentido, o mais importante é ter equilíbrio, disciplina e sensatez no processo de escolha dos ativos. Quando o assunto é risco, saber respeitar seus limites é fundamental para um resultado satisfatório.

Conclusão

Agora que você conhece os principais riscos do mercado financeiro, ficará muito mais fácil conviver com eles. Tenha sempre em mente que um planejamento financeiro bem estruturado é uma excelente ferramenta para posicionar-se estrategicamente e assim aproveitar das inúmeras oportunidades que o mercado oferece. Contar com uma carteira diversificada, além de mitigar seus riscos, permitirá que passe por momentos turbulentos e inesperados com segurança e tranquilidade.

 

Relacionados

5 lições de Charlie Munger

Charlie Munger é um dos investidores mais consagrados da história, vice-presidente da Berkshire Hathaway, parceiro de longa data de Warren Buffett. [...]

Suno Research - 07/04/2021

O que é o mercado de ações e como ele funciona

Entre riscos e a volatilidade inerente ao processo, o mercado de ações vale a pena para o investidor que busca ampliar [...]

Syntax Finance - 07/04/2021

Investimentos sem imposto de renda: conheça quais são

Ao decidir investir é natural a preocupação com o imposto de renda, afinal dependendo de quanto será ou não tributado, a [...]

Syntax Finance - 30/03/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções