Cotações por TradingView

Previdência PGBL ou VGBL: como escolher?

Tempo de leitura: 5 minutos

A Previdência Privada, com planos PGBL ou VGBL, é procurada por pessoas que desejam investir, principalmente, para o longo prazo. Isso é bastante comum no planejamento para a aposentadoria por diversos motivos, como as limitações existentes nos benefícios do INSS.

Contudo, como qualquer tipo de investimento, a modalidade exige atenção às características para escolher o melhor plano de Previdência Privada. Um dos principais pontos de dúvida é a diferença entre as duas modalidades e como escolher a ideal.

Então, preparamos um conteúdo para explicar o que muda entre eles e como escolher o PGBL ou VGBL. Acompanhe!

Como funciona a Previdência Privada?

A Previdência Privada é uma opção do mercado que envolve investimentos de médio e longo prazo para quem deseja acumular recursos. Por isso, os planos são bastante utilizados no planejamento de aposentadoria e outros objetivos para o futuro.

Geralmente, ele é visto como complemento aos valores pagos pela Previdência Pública. Mas também pode compor uma carteira com outros investimentos. Assim, é possível viabilizar a manutenção do padrão de vida e potencializar os ganhos para se aposentar.

De forma resumida, ela funciona em dois períodos. O primeiro, chamado de fase de acumulação, é quando o investidor faz contribuições ao longo dos anos. Ao término desse prazo começa a fase do usufruto — quando ele começará a receber o benefício.

O saque pode acontecer com o pagamento mensal, por prazo limitado ou vitalício, ou com o resgate parcial ou integral do montante. As possibilidades são comuns entre os planos PGBL e VGBL.

Quais seriam, então, as diferenças de investir em Previdência Privada? Confira:

Previdência PGBL

O PGBL é o Plano Gerador de Benefício Livre. Sua maior particularidade é permitir que os valores investidos sejam deduzidos da base de cálculo do Imposto de Renda (IRPF). O limite é de 12% da renda bruta tributável anual.

Por conta do benefício, o plano pode interessar a quem faz a declaração completa do IRPF. Entretanto, é importante destacar que, no momento do resgate, a tributação incidirá sobre o total dos recursos investidos, não apenas sobre a rentabilidade.

Basicamente, a possibilidade de abater as contribuições antecipa um benefício fiscal, que será cobrado ao resgatar os valores. Ou seja, o investidor consegue postergar o pagamento do imposto — o que pode liberar mais dinheiro para aportes e potencializar seus rendimentos.

Previdência VGBL

O plano VGBL, que significa Vida Gerador de Benefício Livre, tem regras diferentes e não pode ser deduzido do IRPF. Por causa disso, ele costuma ser interessante para quem envia declaração simplificada.

Apesar de não ter o benefício nas declarações de imposto, o VGBL traz benefícios em relação ao resgate. Diferente do plano anterior, o IRPF incidirá apenas sobre a rentabilidade dos investimentos.

Como escolher entre PGBL ou VGBL?

Após ler sobre o funcionamento da Previdência Privada e dos planos, ainda podem existir dúvidas sobre como escolher o melhor. Além de escolher entre PGBL ou VGBL, há outros aspectos a analisar definir o caminho mais adequado.

Confira dicas a seguir!

Escolha entre PGBL ou VGBL

Como você viu, o principal ponto que diferencia os dois tipos de planos é a tributação. Então avalie como são as suas declarações de Imposto de Renda, rendimentos anuais e outras características que influenciam no recolhimento.

De maneira geral, o PGBL é mais indicado para quem faz a declaração completa de IRPF e contribui para o INSS. Já o VGBL costuma ser mais vantajoso para quem é isento de IR ou envia a declaração simplificada.

Outra possibilidade é mesclar as duas modalidades. Se você faz a declaração completa, pode ser vantajoso investir em PGBL até o limite de 12%, e complementar o restante em VGBL. Assim, é possível aproveitar os benefícios dos dois planos.

Considere as regras de tributação

Outro ponto sobre como escolher Previdência Privada é entender as regras de tributação regressiva ou progressiva. Isso afeta a forma como o IRPF será pago no resgate e os custos com impostos.

Ambos os planos podem funcionar com cada uma das tabelas. Veja como elas funcionam:

Regime progressivo

Esse é um o regime comum aplicado para o Imposto de Renda: quanto maior o rendimento, maior a alíquota aplicada. O valor varia entre 7,5% e 27,5%, aplicados após a faixa de isenção.

No entanto, o cálculo exige cuidado: após aplicar a alíquota, existe uma parcela a deduzir do total de imposto – o que pode reduzir o valor do tributo.

Regime regressivo

Nesse caso, a tributação não tem relação com o valor do rendimento, mas com o prazo decorrido até o resgate. Veja como funciona:

  • até 2 anos: alíquota de 35%;
  • entre 2 e 4 anos: alíquota de 30%;
  • entre 4 e 6 anos: alíquota de 25%;
  • entre 6 e 8 anos: alíquota de 20%;
  • entre 8 e 10 anos: alíquota de 15%;
  • mais de 10 anos: alíquota de 10%.

O regime é bastante indicado para quem pretende manter o investimento por um prazo mais longo, a fim de reduzir a incidência do IRPF. Porém, o prazo de cada aporte é contabilizado individualmente, então é preciso ter atenção.

Verifique as estratégias do fundo

Por fim, além de escolher seu plano e o regime de tributação, é preciso considerar a escolha do fundo de Previdência. As alternativas podem ter estratégias diversas. Por exemplo, com aplicações em renda fixa, investimentos de renda variável ou ambos.

A estratégia afeta os riscos e a rentabilidade. Logo, é preciso avaliá-la para acertar na decisão.  Considere, em especial, o nível de risco dos investimentos e o seu perfil de investidor — assim como seus objetivos.

Ademais, avalie as taxas de administração e de carregamento, que costumam ser cobradas pelas instituições. Observe também todas as características do contrato, fazendo uma avaliação aprofundada.

Vale lembrar, ainda, que depois de contratar uma Previdência Privada é possível modificá-la. Caso você não esteja satisfeito, pode fazer a portabilidade. A mudança lhe ajuda a encontrar planos mais condizentes com suas expectativas.

Como foi possível perceber, os planos PGBL ou VGBL trazem diferenças importantes para a contratação de Previdência Privada. Além deles, é importante considerar diversos aspectos na análise para ter mais segurança ao escolher o investimento ideal!

Que tal aprender mais sobre o assunto? Aproveite para conhecer a Previdência Privada Infantil!

Relacionados

O que é Tesouro Prefixado?

O Tesouro Prefixado é um dos títulos disponíveis do Tesouro Direto, cuja rentabilidade é uma taxa fixa definida no momento da [...]

Syntax Finance - 30/11/2021

Índice de Treynor: descubra qual retorno da sua carteira com esse índice!

Um dos principais objetivos dos investidores é construir patrimônio. Nesse sentido, a rentabilidade da carteira é um dos critérios que devem [...]

Debora - 26/11/2021

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções