Febraban: Com Pronampe, carteiras de crédito de bancos cresce 10,9% em 12 meses

Tempo de leitura: 2 minutos

Pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) com as principais instituições financeiras que atuam no Brasil mostra uma expectativa de crescimento de 10,9% nas carteiras de crédito em julho, em 12 meses, e de 0,8% na comparação com junho. Segundo a entidade, foram ouvidos bancos que representam entre 38% e 91% do saldo total do sistema, dependendo da linha de financiamento.

A Pesquisa Especial de Crédito da Febraban passa a ser divulgada mensalmente, segundo a entidade, e vai retratar as prévias do mercado no mês anterior à divulgação. Os resultados serão reportados pelas instituições com cerca de uma semana de antecedência à publicação da nota do Banco Central sobre crédito. Neste mês, o BC divulga os números na próxima sexta-feira (28).

Na terça-feira, 25, a Febraban havia divulgado uma outra pesquisa sobre as estimativas para o crédito neste ano e em 2021. Esta pesquisa será divulgada também periodicamente, e é feita logo após as reuniões do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que acontecem a cada 45 dias.

Caso a estimativa para o mês de julho seja confirmada, será a primeira vez desde agosto de 2015 que a carteira total de crédito volta a se expandir a um ritmo anual de dois dígitos, informa a Febraban. “O resultado reforça o papel desempenhado pelo sistema financeiro durante a crise do novo coronavírus, atendendo às necessidades de liquidez, principalmente das empresas”, diz a representante dos bancos em nota.

De acordo com a pesquisa, a expectativa de expansão do saldo da carteira de crédito decorre de um comportamento relativamente similar ao da carteira com recursos destinados às pessoas físicas e jurídicas, que devem crescer 0,9% e 0,7%, respectivamente.

O levantamento revelou que, em julho, a estimativa para pessoas físicas é impulsionada pela alta de 1,1% da carteira com recursos livres, e de 0,7% da carteira direcionada. “A expectativa de expansão da carteira de pessoa física com recursos livres, captada pela pesquisa, poderá representar a maior alta mensal para a modalidade desde o início da crise, um indício da retomada do consumo pelas famílias”, diz a Febraban. Segundo a pesquisa, em 12 meses, o saldo da carteira de pessoa física total deve apresentar expansão de 8,5%.

No crédito pessoa jurídica, a expansão mensal foi concentrada na carteira com recursos direcionados, cujo saldo deve ter alta 4,5% no mês, beneficiado em grande parte pelo Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que teve a maior parte de seus recursos liberada em julho. Assim, a variação anual da carteira de empresas total deverá apresentar expansão de 14,1%, maior taxa de crescimento da carteira desde setembro de 2013.

Relacionados

China: Xi Jinping pede 'gestão mais equitativa' de temas globais

O presidente da China, Xi Jinping, pediu nesta terça-feira (20) uma "gestão mais equitativa" dos temas globais e, em uma crítica [...]

Estadão - 20/04/2021

Déficit na balança do setor químico chega a US$ 8,7 bi no 1º tri, diz Abiquim

O déficit acumulado na balança comercial de produtos químicos atingiu US$ 8,7 bilhões no primeiro trimestre do ano, recorde do indicador [...]

Estadão - 20/04/2021

Dólar cai a R$ 5,53 com fluxo, após subir a R$ 5,58 por fiscal e exterior

O dólar perdeu força e caiu à mínima a R$ 5,5318 (-0,34%) no mercado á vista, há pouco, com sinais de [...]

Estadão - 20/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções