Puxado por passagens aéreas, grupo Transportes sobe 1,34% no IPCA-15 de outubro

Tempo de leitura: 1 minuto

Os preços das passagens aéreas passaram por forte correção em outubro, após meses de demanda em baixa, com avanço médio de 39,90% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) deste mês, como informou nesta sexta-feira, 23, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sozinho, o item contribuiu com alta de 0,13 ponto porcentual (p.p.) no indicador agregado de outubro, que subiu 0,94%.

Puxado pelos bilhetes de avião, o grupo Transportes registrou alta de 1,34% em outubro, com impacto positivo de 0,27 p.p. Juntos, os grupos Transportes e Alimentação e Bebidas (que avançou 2,24%, com impacto de alta de 0,45 p.p.) responderam por cerca de três quartos do avanço agregado do IPCA-15 de outubro.

Segundo o IBGE, houve altas nas passagens aéreas em todas as regiões do País pesquisadas, “variando desde os 21,66% de Porto Alegre até os 49,71% de Curitiba”.

Os preços da gasolina, que respondem ao comportamento das cotações do petróleo e do câmbio, conforme a política de preços ditada pela Petrobras, tiveram alta média de 0,85% no IPCA-15 de outubro. Ainda que a variação tenha arrefecido em relação a setembro (3,19%), a gasolina contribuiu positivamente com 0,04 p.p. no índice agregado. Foi a quarta alta seguida do item no IPCA-15, informou o IBGE.

Ainda no grupo dos Transportes, o IBGE destacou a alta nos preços do seguro voluntário de veículo (2,46%), no primeiro avanço após sete meses consecutivos de quedas. Os únicos subitens do grupo com variações negativas foram ônibus interestadual (-2,73%) e gás veicular (-1,36%).

O grupo Artigos de residência subiu 1,41%, acelerando em relação a setembro (0,79%). Todos os itens do grupo tiveram alta, segundo o IBGE, “com destaque para mobiliário (1,75%), que havia recuado (-0,14%) no mês anterior, e TV, som e informática (1,68%)”.

No total, dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito tiveram alta no IPCA-15 de outubro. Em setembro, três grupos (Vestuário, Saúde e Cuidados Pessoais e Educação) haviam registrado deflação. Na leitura deste mês, apenas Educação teve ligeira variação negativa, com queda de 0,02%.

Relacionados

Austrália vai retirar tropas do Afeganistão até setembro

A Austrália vai concluir a retirada das suas tropas do Afeganistão em setembro, junto com os Estados Unidos e outros aliados, [...]

Estadão - 15/04/2021

EUA vão anunciar sanções contra a Rússia e expulsão de diplomatas do país

O governo dos Estados Unidos vai impor uma série de medidas retaliatórias à Rússia nesta quinta-feira, 15, em resposta à suposta [...]

Estadão - 15/04/2021

Problema não é de recursos, mas de falta de projetos, diz Ricardo Paes de Barros

O economista e ex-subsecretário de Ações Estratégicas Ricardo Paes de Barros disse nesta quarta, 14, que o problema do Brasil não [...]

Estadão - 14/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções