Bolsas de NY fecham sem sinal único em dia de impeachment de Trump na Câmara

Tempo de leitura: 1 minuto

Os mercados acionários de Nova York fecharam na maioria em alta, mas o Dow Jones perdeu fôlego na reta final do pregão e caiu nos minutos finais, enquanto a Câmara dos Representantes começava a votação que terminou, já com as bolsas fechadas, com a aprovação do impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,03%, em 31.060,47 pontos, o S&P 500 subiu 0,23%, a 3.809,84 pontos, e o Nasdaq avançou 0,43%, a 13.128,95 pontos.

As tensões políticas estiveram em foco, mas não foram determinantes ao longo do dia. O quadro nas bolsas foi em geral positivo, em meio a relatos de que o Partido Democrata pode buscar estímulos fiscais maiores para apoiar a economia americana.

Além disso, notícias corporativas foram avaliadas. Intel subiu 6,97%, após a notícia de que a empresa mudará seu comando, o que agradou investidores.

Apple teve alta de 1,62%, Microsoft ganhou 0,66% e Alphabet, 0,57%. A ação do Airbnb fechou em alta de 5,72%, mesmo após cancelar reservas para a posse de Joe Biden em Washington, em meio ao temor de mais protestos.

Na capital americana, a Câmara dos Representantes votou, já depois do fechamento em Nova York, pelo impeachment de Trump. O assunto deve agora seguir para o Senado.

Além disso, as bolsas não reagiram ao Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), mas tendem a ser apoiadas pela falta de pressa dos dirigentes em buscar um aperto monetário, com vários deles enfatizando que demorará até haver ajustes nas compras de bônus ou nos juros.

Relacionados

Confiança do comércio da FGV cai 0,9 ponto em janeiro ante dezembro (90,8 pontos)

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 0,9 ponto na passagem de dezembro de 2020 para janeiro, para 90,8 pontos, [...]

Estadão - 27/01/2021

AstraZeneca diz que não cancelou reunião com UE sobre atraso no envio de vacinas

A AstraZeneca negou que tenha desistido das negociações sobre vacinas com a União Europeia (UE) e informou que planeja se reunir [...]

Estadão - 27/01/2021

FMI eleva as projeções para a economia do País

A economia brasileira crescerá 3,6% neste ano e 2,6% no próximo, segundo as novas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI). Apesar [...]

Estadão - 27/01/2021

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções