Petróleo fecha em alta, com otimismo por auxílio nos EUA e baixa na produção

Tempo de leitura: 2 minutos

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta terça, 29, seguindo otimismo do mercado com as tratativas pelo aumento de auxílios individuais nos Estados Unidos, maior consumidor global da commodity. O Congresso americano discute uma possível aprovação do aumento dos cheques de US$ 600 para US$ 2 mil. Além disso, há relatos de quedas nos estoques, em meio à divulgação de relatórios. Por outro lado, o avanço da covid-19, com recordes diários de casos e a variante mais transmissível do vírus sendo encontrada em novos locais, limita os avanços nos preços do petróleo.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para fevereiro subiu 0,80% (+US$ 0,38), para US$ 48,00 por barril, enquanto na Intercontinental Exchange (ICE) o Brent para o mesmo mês avançou 0,45% (+US$ 0,23), a US$ 51,09 por barril.

A Câmara dos Representantes dos EUA aprovou ontem o aumento dos cheques individuais previstos no pacote fiscal para US$ 2 mil. O processo segue para o Senado, onde há otimismo por resultado semelhante, o que conta com apoio do presidente Donald Trump. Os movimentos apoiam as esperanças de uma maior demanda por petróleo, afirma o analista de mercado da Oanda, Jeffrey Halley. Por sua vez, hoje o líder republicano no Senado, Mitch McConnel, barrou uma aprovação rápida do projeto, que tende a depender agora de uma aprovação por uma maioria de 60 dentre os 100 congressistas, que pode se prolongar.

O Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês) divulga hoje às 18h30 (de Brasília) suas estimativas sobre os estoques de petróleo nos EUA na última semana, seguido pelos número oficiais do Departamento de Energia do país (DoE, na sigla em inglês) de amanhã, que podem mostrar uma queda semanal de 2,5 milhões de barris nos estoques de petróleo, de acordo com a previsão do Wall Street Journal. A demanda de gasolina está aumentando, assim como o consumo de combustível de aviação, segundo relatos da área, o que impulsiona os preços.

Por outro lado, o noticiário sobre o avanço da pandemia inspira cautela e limita os ganhos. A nova variante mais transmissível do vírus foi encontradas em novos locais, como o Chile, enquanto o Reino Unido, onde a mutação foi encontrada pela primeira vez, registrou seu maior número diário de casos. Nos EUA, o especialista Anthony Fauci afirmou ainda que o país está atrasado na vacinação, e que janeiro pode ser pior do que dezembro. (COM INFORMAÇÕES DOW JONES NEWSWIRES)

Relacionados

Caso George Floyd: Júri inicia deliberações sobre Derek Chauvin

O destino de Derek Chauvin, o ex-policial de Minneapolis acusado de matar George Floyd, está agora nas mãos dos jurados, que [...]

Estadão - 20/04/2021

Monitor do PIB aponta alta de 1,4% em fevereiro ante janeiro, revela FGV

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 1,4% em fevereiro ante janeiro, segundo o Monitor do PIB, apurado pelo Instituto Brasileiro [...]

Estadão - 20/04/2021

China: Xi Jinping pede 'gestão mais equitativa' de temas globais

O presidente da China, Xi Jinping, pediu nesta terça-feira (20) uma "gestão mais equitativa" dos temas globais e, em uma crítica [...]

Estadão - 20/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções