Ibovespa cai com agravamento de crise política e cenário externo desfavorável

Tempo de leitura: 3 minutos

O viés negativo do exterior e o clima cauteloso no Brasil após os manifestos de 7 de Setembro empurram o Ibovespa para baixo, com o índice renovando mínimas instantes após a abertura e chegando a testar os 115 mil pontos. Apesar do tom pacífico entre os manifestantes, os protestos contaram com novos ataques – e mais duros – do presidente Jair Bolsonaro ao STF, reacendendo o debate sobre pedidos de impeachment do mandatário. Ainda que muitos entendam que seja difícil ocorrer uma ruptura ou mesmo um saída do chefe do Executivo, o clima hostil entre os Poderes tende a atrapalhar a já complicada situação econômica do País.

O temor de especialistas é que essa hostilidade inibe ou até mesmo jogue por terra o avanço da pauta reformista em um momento já complicado para a economia doméstica. Por isso, destaca o economista-chefe do ModalMais, Álvaro Bandeira, em nota, será preciso avaliar o clima das respostas políticas após os manifestos de ontem. “Certamente tudo isso piora o clima para as reformas que são necessárias”, diz, lembrando da crise hídrica, da inflação elevada e do PIB, cujas projeções estão sendo diminuídas.

Neste cenário, fica a expectativa da abertura dos trabalhos do Judiciário hoje à tarde. Após Bolsonaro ameaçar descumprir decisões judiciais e pedir renúncia de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), ontem, o presidente da Corte, Luiz Fux, deve fazer um pronunciamento em nome dos integrantes do STF.

“A grande atenção interna fica por conta das repercussões das manifestações que aconteceram ontem. Vimos uma elevação de voz do presidente da República, e agora o mercado aguarda a reação dos demais Poderes”, observa Pietra Guerra, especialista em ações da Clear Corretora.

Ontem, durante as manifestações, Bolsonaro ampliou a retórica autoritária contra o STF, desafiando a Corte máxima do País, procurou intimidar Fux e chamou de “canalha” o ministro Alexandre de Moraes. Com isso, partidos discutem um novo pedido de impeachment, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decidiu cancelar as sessões deliberativas remotas e as reuniões de comissões da Casa previstas para hoje e amanhã, num sinal de isolamento a Bolsonaro.

“Existe, de fato, uma desarmonia entre os Poderes. Está inflado dos dois lados, o que pode sugerir racha institucional, o que será péssimo para o País. Agora, se o discurso do Fux for apaziguador, OK. O problema é se vier com discurso de ruptura”, afirma em conversa matinal com clientes o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus.

Já a recuperação do petróleo no exterior pode atenuar eventual queda do Ibovespa hoje. Além disso, a valorização do minério de ferro na véspera (alta de 4,22%), quando a B3 ficou fechada, tende a servir de alento, depois do salto das exportações chinesas. Porém, hoje a commodity voltou a cair (-4,19%, a US$ 132,19 a tonelada, em Qingdao).

Ontem, as bolsas norte-americanas fecharam com sinais mistos, após o feriado de segunda-feira em comemoração ao Dia do Trabalho nos EUA e com investidores avaliando os impactos da pandemia de covid-19. Naquele dia (6), o Ibovespa subiu 0,80%, aos 117.868,63 pontos.

Hoje, o tom é levemente negativo no exterior, o que pode inibir possíveis perdas na Bolsa brasileira ao longo do dia. Os investidores esperam dados de emprego dos EUA e fala de membro do Fed, além do livro Bege.

Às 10h35, o Ibovespa cedia 1,60%, aos 115.987,43 pontos, na mínima, intradia, ante máxima aos 117.866,14 pontos, com o dólar subindo 0,92%, a R$ 5,2248.

Relacionados

Quanto rende 100 mil em fundos imobiliários?

Quando o assunto é ter uma renda passiva, os fundos de investimentos imobiliários são um dos ativos financeiros mais procurados pelos [...]

Syntax Finance - 21/10/2021

Estrangeiro eleva posição 'vendida' em taxa de juro

Os investidores estrangeiros aumentaram nesta quarta-feira, 20, suas posições aplicadas no mercado de juros, em termos líquidos. O estoque dos contratos [...]

Estadão - 21/10/2021

Dólar têm alta forte com tensão fiscal e exterior; mercado espera ação do BC

A tensão fiscal do País e o exterior negativo, com dólar e juros dos Treasuries em alta e bolsas em baixa, [...]

Estadão - 21/10/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções