Secretário de Estado dos EUA faz visita política ao Brasil no dia 18

Tempo de leitura: 2 minutos

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, virá ao Brasil na sexta-feira, dia 18, às vésperas da eleição presidência em seu país. A visita é ato político que reforça a oposição conjunta dos presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro ao regime Nicolás Maduro – classificado como “ditador” e “ilegítimo” por ambos.

Acompanhado do chanceler Ernesto Araújo, ele irá a Boa Vista (RR) para conhecer o atendimento humanitário a imigrantes venezuelanos da Operação Acolhida.

Pompeo visitará as instalações de identificação e triagem da Acolhida, além de serviços de água, saneamento e higiene numa paróquia. Depois, participará de uma reunião bilateral reservada com Araújo. Está prevista uma entrevista coletiva à imprensa.

O líder chavista vinha pedindo uma trégua nas divergências com o Brasil para coordenação de esforços no combate à pandemia da covid-19, mas a resposta de Bolsonaro foi o contrário.

Em 4 de setembro, o Itamaraty anunciou que os cerca de 30 diplomatas remanescentes de Maduro no Brasil perderam status e imunidades diplomáticas e consulares, passando a ser considerados persona non grata.

No mesmo dia, o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro dos EUA sancionou quatro altos funcionários chavistas acusados de tentar manipular e interferir nas eleições parlamentares venezuelanas previstas para dezembro.

A vinda de Pompeo a Boa Vista ocorre durante uma viagem de cunho político do chanceler de Trump. Ele também passará pela Colômbia, cujo governo faz oposição a Maduro, Suriname e Guiana, além do Estado do Texas, nos EUA.

“Em Boa Vista, Brasil, o secretário Pompeo ressaltará a importância do apoio dos EUA e do Brasil ao povo venezuelano neste momento de necessidade, visitando emigrantes venezuelanos que fogem do desastre provocado pelo homem na Venezuela”, afirmou nesta terça-feira, dia 15, o porta voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus.

“Em seguida, o secretário Pompeo viajará a Bogotá para se reunir com o presidente colombiano Ivan Duque para discutir a forte parceria que nossos países compartilham, incluindo na gestão da resposta ao Covid-19, na promoção da prosperidade mútua e no enfrentamento das ameaças de narcotraficantes, grupos terroristas e do regime ilegítimo de Maduro à segurança regional.”

A vista ocorre também depois de entendimentos entre os países para que o Brasil renovasse por 90 dias a cota de etanol importado dos EUA, o que contrariou setores do agro brasileiro e beneficiou produtores americanos, um ativo eleitoral de Trump. O Brasil também cedeu no plano financeiro internacional, ao retirar um nome próprio e apoiar o candidato apresentado por Trump, eleito novo presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Mauricio Claver-Carone.

Relacionados

Painel do CDC adia voto sobre riscos de coágulo com uso vacina da J&J

Um painel consultivo federal se recusou nesta quarta-feira, 14, a votar sobre como a vacina contra a covid-19 da Johnson & [...]

Estadão - 14/04/2021

Cia. Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

A Cia. Hering informou nesta quarta-feira, 14, que o seu conselho de administração decidiu, por unanimidade, rejeitar a proposta de potencial [...]

Estadão - 14/04/2021

Juros caem alinhados a uma melhora do câmbio e com apetite ao risco no exterior

Os juros fecharam a quarta-feira em queda, favorecida pelo apetite ao risco visto no mercado de moedas emergentes, especialmente após declarações [...]

Estadão - 14/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções