Relatório prevê lei que poderá dispor sobre diferenciação a setor financeiro

Tempo de leitura: 1 minuto

O relatório da reforma tributária prevê que uma lei complementar poderá dispor sobre tratamento diferenciado ao setor financeiro e fixar regime cumulativo, com redução de alíquota ou base, para o segmento. “Propomos que lei complementar possa dispor sobre tratamento diferenciado aos serviços financeiros, estabelecendo regime cumulativo de tributação de suas operações, com a respectiva possibilidade de redução das alíquotas ou da base de cálculo do IBS. Contudo, para preservar o caráter nacional do tributo, é previsto que qualquer redução promovida será aplicada uniformemente a todas as esferas federativas”, prevê o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), em relatório.

O parlamentar está lendo, neste momento, seu parecer sobre a reforma tributária na comissão mista do Congresso.

“Há setores cujas operações realizadas possuem características bastante específicas, distanciando-se das demais. Por essa razão, não há como tributá-las pelo modelo geral do IBS, sendo necessários ajustes para que a tributação alcance de forma adequada as suas atividades”, afirmou o relator.

Relacionados

Greve, bloqueios e saques ampliam crise na Colômbia após 8 dias de protestos

Milhares de manifestantes voltaram às ruas em diversas cidades da Colômbia nesta quarta-feira, 5, no início da segunda greve nacional em [...]

Estadão - 05/05/2021

Produção de elétricos e eletrônicos cresce 8,3% no 1º trimestre, diz Abinee

A produção da indústria elétrica e eletrônica cresceu 8,3% no primeiro trimestre de 2021 em comparação com o igual período do [...]

Estadão - 05/05/2021

Copom eleva Selic pela segunda vez consecutiva, agora para 3,50% ao ano

Em meio à segunda onda da pandemia de covid-19 no Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu [...]

Estadão - 05/05/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções