Dólar cai a R$ 5,29 com alívio de estresse nos EUA e alta das bolsas americanas

Tempo de leitura: 2 minutos

O real teve dia de fortalecimento, recuperando terreno após o estresse da terça-feira, quando o dólar chegou a superar os R$ 5,40. A quarta-feira foi marcada pela recuperação das bolsas americanas, alta forte do petróleo e busca por ativos de risco nos emergentes.

Nesse ambiente, o risco-País caiu e a moeda americana perdeu força de forma generalizada no mercado internacional, sobretudo nos países exportadores de commodities. As mesas de câmbio monitoram ainda a crescente onda de captações brasileiras no exterior, além da fila de mais de 50 nomes para ofertas de ações aqui.

Após cair na mínima do dia a R$ 5,27, o dólar spot terminou em baixa de 1,25%, cotado em R$ 5,2982.

No mercado futuro, o dólar para liquidação em outubro recuava 1,17% às 17 horas, cotado em R$ 5,3040.

“Hoje foi um dia de ajuste”, destaca o presidente da FB Capital, Fernando Bergallo. Investidores que vinham tomando posições mais defensivas, buscando refúgio no dólar antes do feriado e em meio à forte piora dos bolsas americanas, que tiveram três dias seguidos de queda acentuada, nesta quarta desfizeram parte deste movimento. Para ele, a tendência é que dólar ceda um pouco mais, ficando abaixo de R$ 5,30, desde que não ocorram eventos extraordinários. O noticiário doméstico tem sido positivo, com avanço das reformas, e o ambiente político está mais calmo.

A notícia que poderia estressar os mercados nesta quarta, da suspensão dos testes da vacina contra a covid-19 pela AstraZenca, ficou em segundo plano. A leitura do mercado, diz Bergallo, é que eventos assim não são tão extraordinários no desenvolvimento de novos medicamentos.

As mesas de câmbio também têm monitorado a fila – que não para de crescer e já soma mais de 50 nomes – de empresas para abrir o capital na B3 ou das já listadas que querem fazer ofertas subsequentes de ações. Uma das candidatas é a Compass, controlada da Cosan, que poderá realizar este mês uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de até R$ 5 bilhões. Nas captações externas, a PetroRio começa rodada de apresentações para captar US$ 450 milhões.

O presidente da Genial Investimentos, Rodolfo Riechert, destaca que as empresas brasileiras só vão atrair o apetite do investidor global se a companhia for globalizada ou tiver num setor “bastante atraente” da economia. “Fundos olham para grandes ofertas globais”, disse ele em Live.

A boa notícia é que o mercado doméstico se desenvolveu e o investidor local consegue absorver ofertas menores, de companhias com atuação mais segmentada em regiões ou cidades. Com mais participação doméstica nas ofertas, o impacto no câmbio é menor. “Não acho que são eventos que podem ter alívio no câmbio, pois não devem ter muito estrangeiro”, destaca Bergallo.

Relacionados

Petróleo fecha em leve alta após quedas recentes

Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve alta nesta quinta-feira, após quedas recentes, observando sinalizações sobre a demanda. O avanço [...]

Estadão - 22/04/2021

Casa Branca defende financiamento de infraestrutura por aumento de impostos

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse nesta quinta-feira, 22, que o presidente americano, Joe Biden, acredita que [...]

Estadão - 22/04/2021

BC reduz exigências de funcionamento para arranjos de pagamento menores

O Banco Central reduziu nesta quinta-feira, 22, por meio da Resolução BCB nº 89, as exigências de funcionamento para os arranjos [...]

Estadão - 22/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções