CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

O que são gráficos na análise técnica e quais os principais tipos para acompanhar

22 de junho de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 9 min
Compartilhar
Imagem ilustrativa
Tempo de leitura: 9 min

Se você pretende especular na bolsa de valores, precisa conhecer uma forma rápida de ler o mercado. Isso porque, na renda variável, as oscilações de preços de ativos e derivativos podem ser frequentes e intensas, sendo necessário ter agilidade para aproveitar os melhores movimentos.

Nesse sentido, acompanhar os gráficos da análise técnica é uma das estratégias mais conhecidas e utilizadas por especuladores no mundo todo. Afinal, eles permitem fazer uma leitura bastante dinâmica dos preços, contribuindo para uma tomada de decisão mais precisa.

Quer conhecer o que são os gráficos na análise técnica e quais os principais tipos para acompanhar? Então prossiga com a leitura deste conteúdo até o final!

Vamos lá?

O que é a especulação na bolsa de valores?

Para facilitar o estudo da análise técnica e seus gráficos, é válido conferir primeiro o que é a especulação na bolsa de valores. Geralmente, quem ingressa no mercado financeiro está em busca de rentabilizar o seu capital. E isso pode ser feito de 2 formas: ao investir ou ao especular.

Assim, o investidor é o participante do mercado que busca construir seu patrimônio aos poucos, em um amplo horizonte de tempo. Na prática, ele se vale da análise fundamentalista para escolher ativos com bons fundamentos e que possam trazer retorno no longo prazo.

Já o especulador é aquele que visa extrair lucro do mercado no curto ou no curtíssimo prazo. Seus ganhos são realizados aproveitando a diferença de preços na compra e venda de ativos ou derivativos. Logo, as suas operações costumam acontecer em pequenas janelas de oportunidades.

Nesse sentido, em relação ao especulador, a análise de fundamentos é irrelevante e de pouca ajuda. Afinal, não importa se uma empresa apresentou resultados ou está prestes a pedir falência. Havendo volatilidade em seus papéis, ele buscará por oportunidades de lucrar rapidamente.

Devido à dinamicidade da especulação, os riscos também são maiores. Portanto, as operações deverão ser precisas, de modo a não expor o capital do operador desnecessariamente. Logo, muitos especuladores refinam as suas operações com a utilização dos gráficos da análise técnica.

O que é a análise técnica?

Conhecendo a especulação, saiba que a análise técnica é uma metodologia de leitura da bolsa de valores baseada na identificação de padrões e tendências a partir de um histórico de preços. Ela é pautada nos ensinamentos deixados em 1884 pelo jornalista Charles Henry Dow, considerado o pai da análise técnica.

Ao observar as movimentações de preços de ações de companhias norte-americanas, Dow desenvolveu algumas ideias sobre o comportamento do mercado. Posteriormente, elas foram compiladas e publicadas no que ficou conhecido como a “Teoria de Dow”.

Um dos principais pontos dessa teoria revela que os preços refletem todos os acontecimentos do mercado. Isso significa que as notícias podem derrubar ou levantar os preços rapidamente, ainda que seja um movimento temporário.

Outro ponto da teoria indica que o mercado se move em tendências, havendo duas principais: a de alta e a de baixa. A tendência mostrará a força dominante do mercado em um determinado período, sendo a compradora (bullish) em cenários de alta e a vendedora (bearish) nos momentos de baixa.

Além disso, segundo Dow, uma tendência se mantém em vigência até ser substituída pela oposta. Com base nesses ensinamentos, os especuladores conseguem se nortear no mercado em busca dos melhores pontos para abrir e encerrar as suas operações — e o sentido no qual pretendem operar.

Ou seja, com o uso da análise técnica, é possível deduzir as próximas movimentações do mercado, permitindo que o especulador se posicione antecipadamente. Como essa leitura é feita com o suporte de gráficos e indicadores técnicos, ela também é chamada de análise gráfica.

O que são gráficos na análise técnica?

Após conferir o que é especulação e análise técnica, é pertinente saber o que são e qual é a função dos gráficos dentro dessa estratégia.

Eles são considerados o principal instrumento da análise técnica. A razão disso está no fato de os gráficos demonstrarem, de forma simples, direta e visual, o comportamento dos preços em um intervalo de tempo determinado.

Logo, por meio dos gráficos, o especulador saberá se os preços estão subindo ou caindo e pode buscar identificar as a tendência do mercado, os pontos de reversão e muito mais. Além disso, as formações gráficas podem revelar figuras e padrões capazes de indicar a repetição de movimentos passados.

Ao ter uma noção da direção dos preços, o especulador consegue montar estratégias visando aproveitar diferentes tipos de movimentos. No entanto, é preciso ter em mente que não há uma forma de leitura com 100% de precisão.

Na verdade, o mercado é conhecido por ser soberano, podendo seguir qualquer direção — mesmo após o surgimento de um padrão gráfico. No entanto, o uso dos gráficos pode ajudar no momento de se posicionar, encerrar uma posição ou decidir ficar de fora do mercado.

Quais os principais tipos de gráficos da análise técnica?

Caso você tenha se interessado pelos gráficos da análise técnica e pretenda utilizá-los na especulação da bolsa de valores, terá à sua disposição diferentes tipos. Cada um deles pode ser usado para uma finalidade diferente, sendo pertinente conhecê-los melhor e entender como funcionam.

Confira os 3 mais conhecidos e utilizados ao redor do mundo:

Gráfico de linha

Esse tipo de gráfico é o mais simples que você encontrará. Ele apresenta uma linha contínua plotada com base no preço de fechamento do último negócio ocorrido em um intervalo de tempo, a ser escolhido pelo especulador.

O eixo vertical do gráfico indicará a variação de preços, enquanto o eixo horizontal mostrará a evolução do preço ao longo do tempo. Desse modo, a leitura e interpretação tende a ser bastante rápida e clara.

Por exemplo, ao selecionar o tempo gráfico de 5 minutos, a linha avançará no eixo horizontal a cada 5 minutos. Ademais ela subirá ou descerá no eixo vertical, de acordo com as variações de preço do último negócio realizado nesse período.

Por conta desse funcionamento, o gráfico de linha costuma ser utilizado para identificar tendências mais amplas, considerando tempo gráficos maiores. É comum observar esse gráfico em jornais e notícias de televisão, sendo bastante popular entre pessoas que não operam na bolsa.

Gráfico em barra

No gráfico em barra é possível encontrar mais informações do que no gráfico em linha. Por meio dele, o especulador saberá o primeiro (abertura) e último (fechamento) preços negociados em um intervalo de tempo, além de máximas e mínimas atingidas.

Ele também mostra a amplitude das negociações realizadas. Logo, quanto maior for a barra, mais amplo foi o movimento dos preços. Esse tipo de informação é relevante ao especulador, pois revela o aumento da pressão exercida por uma das forças do mercado em determinado momento.

Cada barra representa as negociações havidas no período selecionado. O preço de abertura é plotado do lado esquerdo da barra e o de fechamento do lado direito. As máximas e mínimas são indicadas com linhas que superam os preços de abertura ou fechamento.

O uso do gráfico em barra era bastante comum nos países ocidentais nas décadas anteriores aos anos de 1990. Se comparado às linhas, as barras mostram uma grande evolução na leitura gráfica. Porém, a sua visualização não é tão agradável e simples — diferente do tipo gráfico que você verá a seguir.

Gráfico de candlestick

O gráfico de candlestick chegou ao Ocidente na década de 1990, por meio do especulador norte-americano Steve Nison. A sua criação é atribuída ao comerciante de arroz japonês Munehisa Honma no século XVIII.

O termo candlestick ou, traduzido, vela, é usado considerando que o gráfico tem um formato parecido com uma vela — com pavio e sombra para cima e para baixo. Semelhante ao gráfico de barras, o gráfico de velas mostra o preço de abertura, fechamento, máximas e mínimas.

Ele também revela a amplitude dos movimentos e, portanto, velas grandes indicarão grandes movimentos de preços. Por outro lado, velas pequenas mostrarão baixa movimentação, desinteresse ou dúvidas do mercado quanto à direção que será adotada.

Caso o preço de abertura seja inferior ao de fechamento, será indício que os preços subiram e o candle será verde. Se o preço de abertura for maior que o de fechamento, é sinal que os preços caíram e o candle será vermelho. Cada vela é plotada conforme o tempo gráfico escolhido.

O modo de funcionamento dos candles facilita bastante a leitura do mercado, sendo o tipo gráfico mais utilizado entre especuladores atualmente. Além dos tipos gráficos que você conheceu, é possível encontrar outros — como o gráfico renko (tijolo), pontos, kaji (leme), ticks etc.

Como escolher o melhor tipo gráfico para acompanhar o mercado?

Ao chegar nesse trecho, talvez você queira saber qual ou como escolher o melhor tipo gráfico para acompanhar o mercado. No entanto, não há uma única resposta a esse questionamento. Isso porque cada gráfico pode atender a uma finalidade específica.

Nesse sentido, o primeiro passo será analisar o seu perfil de investidor e objetivos no mercado. Como você aprendeu, a especulação envolve altos riscos. Então será necessário verificar se o seu nível de abertura aos riscos é compatível com essa atividade na bolsa de valores.

Na sequência, é válido conhecer estratégias operacionais e o gráfico que melhor se adequa a elas. Afinal, de nada adiantará escolher um gráfico que forneça diferentes informações se elas atrapalharem a sua percepção ou a sua estratégia quando estiver operando.

Lembre-se que a função da análise técnica é facilitar a leitura do mercado para a tomada de decisões. Nesse sentido, caberá a você avaliar qual é o tipo gráfico que melhor atende às suas necessidades para especular com maior precisão.

Neste conteúdo você aprendeu o que são os gráficos na análise técnica e os principais tipos conhecidos. Além das informações assimiladas, você ainda precisará estudar estratégias, padrões e indicadores para aumentar as suas chances de sucesso no mercado. Então continue estudando!

Quer ter acesso a conteúdos exclusivos sobre o mercado financeiro e que podem ajudar na sua jornada como especulador? Assine O Guia Financeiro VIP e destrave o seu conhecimento financeiro!

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também