Tudo o que você precisa saber sobre fundos de investimento no exterior

Se você ainda tem dúvidas de como investir fora do país, mesmo estando no Brasil, continue a leitura e compreenda melhor como funcionam os fundos de investimento para aplicações em empresas estrangeiras. Esta é uma modalidade que pode trazer rentabilidade para sua carteira, além da diversificação do portfólio. Com a expertise das corretoras, o investidor conta com opções seguras para alocar os recursos em mercados globais.

O que veremos neste artigo?
O que são os fundos de investimento internacionais?
Conheça os tipos de fundos de investimento no exterior
Como escolher um fundo de investimento?
Como declarar fundos de investimento no exterior no Imposto de Renda?
Conclusão

O que são os fundos de investimento internacionais?

Fundos de investimento internacionais são aqueles que tem lastro no mercado estrangeiro, mas podem ser negociados no país de origem do investidor. Por meio de uma corretora, estes fundos oportunizam de maneira relativamente acessível e fácil a aplicação fora do país, o que traz diversificação da carteira e rentabilidade principalmente para quem pode esperar pelos retornos.

Conheça os tipos de fundos de investimento no exterior

Cada vez há mais opções de fundos de investimentos internacionais e eles são classificados de acordo com os seus ativos. Segue a seguir mais informações sobre cada  um dos tipos:

Fundos de renda fixa

Os fundos de investimento no exterior de renda fixa alocam os seus recursos em títulos de renda fixa globais, dependendo de cada mandato. Podem investir em títulos de crédito soberanos (títulos de dívida de governos) como também em crédito privado.

Fundos de ações

Nos fundos de investimento em ações no exterior você pode se tornar sócio indiretamente de várias empresas como: Apple, Netflix, Microsoft, Google, Facebook e outras. Esta classe possui um amplo espectro de atuação.

Por exemplo, há a replicação de índices de ações como o S&P 500 que reúne 500 empresas americanas, como também o chamado “stock picking, em que os gestores selecionam as melhores oportunidades de ações ao redor do mundo.

Fundos multimercados

Fundos multimercados são os fundos que podem ter alocação em diversas estratégias a nível global com crédito, taxa de juros, commodities, moedas e ações. A vantagem aqui é ter seu dinheiro gerido por grandes gestores globais, com ampla cobertura dos mercados realizada por equipes em diversos países.

Como escolher um fundo de investimento?

O primeiro passo para escolher um fundo de investimento está em entender o perfil do investidor, seus objetivos, sua tolerância ao risco e sua necessidade de liquidez. A partir dessa reflexão é possível identificar quais são os tipos de fundos de investimentos aderentes a sua realidade.

Outra dica está em conferir se o fundo é hedgeado, ou seja, se ele tem exposição à variação cambial ou não. Essa informação é importante para entender se o seu retorno é afetado apenas pelos ativos em que o fundo investe ou se ele também responde à variação do dólar.

Observar a volatilidade, o retorno ajustado pelo risco (índice de sharpe) e como funciona a liquidez do fundo (prazo de resgate) são critérios importantes a serem considerados. Informações sobre aplicação inicial, saldo e valores mínimos de movimentação também são relevantes. Por fim, checar quanto custarão as taxas de administração e performance que influenciam diretamente no retorno do fundo de investimento.

Como declarar fundos de investimento no exterior no Imposto de Renda?

A grande vantagem de investir em fundos de investimento no exterior reside na praticidade que também é observada na parte de tributação. Os fundos que investem no exterior são tributados com retenção na fonte, como os demais fundos de investimentos brasileiros.

De acordo com a classificação do fundo de investimento no exterior a tributação pode ser de 15% (no caso dos Fundos de Ações) ou seguir a tabela de tributação regressiva (Fundos de Renda Fixa e Multimercados) que começa em 22,5% e vai até 15% (acima de 720 dias).

Para a declaração anual de IR é necessário lançar os fundos na parte de “Bens e Direitos” e os rendimentos em “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”.

Conclusão

Investir no exterior via fundos de investimentos é uma forma prática de diversificar seu portfólio, já que poupa os esforços relacionados a abertura de conta no exterior e todos os trâmites tributários envolvidos com esses investimentos.

Quem opta pelos fundos de investimentos internacionais ainda conta com a terceirização da gestão do seu recurso por uma equipe profissional, que acompanha de perto os mercados globais.

Em momentos de alta volatilidade no Brasil, investir no exterior pode trazer proteção a carteira. Os fundos de investimentos internacionais também são uma excelente porta de entrada para aplicações mais robustas e de exposição a ativos de empresas estrangeiras.

Agora que você já sabe mais, abra sua conta na Guide e invista nesse e outros tipos de investimentos!

Relacionados

Utilize ameaças temporárias ao seu favor

A volatilidade faz parte dos investimentos. Em busca de retornos maiores no longo prazo, investidores devem utilizar as altas quedas de [...]

Suno Research - 21/10/2020

Fundos ESG: saiba mais sobre essa tendência!

O desenvolvimento sustentável não é um assunto novo, mas as questões ambientais ganham cada vez mais espaço no mercado. No setor [...]

Guide Investimentos - 16/10/2020

O que são e como investir em BDR? Descubra!

Investir no exterior é algo que ainda poucos investidores consideram. No entanto, existem opções que ajudam a desburocratizar o processo e [...]

Guide Investimentos - 14/10/2020

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções