O que são dividendos e como receber renda passiva dos seus investimentos?

Tempo de leitura: 11 minutos

Quem investe pensando em obter renda passiva frequente, precisa entender o que são dividendos. Eles são bastante conhecidos nas ações, mas também são pagos em outras alternativas, como nos Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs).

Em vez de focar apenas no potencial de valorização dos ativos, o investidor pode buscar opções que tenham bons pagamentos recorrentes. Assim, a estratégia amplia as possibilidades ao investir e auxilia na construção de um patrimônio em longo prazo.

Quer saber o que são dividendos? Continue a leitura para entender como eles funcionam e como ganhar essa renda passiva na bolsa de valores!

O que veremos neste artigo?
O que são dividendos?
Por que os dividendos são pagos pelas empresas ou fundos?
Quais são os tipos de proventos?
Como é feito o pagamento dos dividendos?
Como ter renda passiva com dividendos?
Quais as vantagens de ter renda passiva com dividendos?

Como fazer boas escolhas de investimento com foco em dividendos?

O que são dividendos e como receber renda passiva dos seus investimentos?

Quem investe pensando em obter renda passiva frequente, precisa entender o que são dividendos. Eles são bastante conhecidos nas ações, mas também são pagos em outras alternativas, como nos Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs).

Em vez de focar apenas no potencial de valorização dos ativos, o investidor pode buscar opções que tenham bons pagamentos recorrentes. Assim, a estratégia amplia as possibilidades ao investir e auxilia na construção de um patrimônio em longo prazo. Quer saber o que são dividendos? Continue a leitura para entender como eles funcionam e como ganhar essa renda passiva na bolsa de valores!

O que são dividendos?

Os dividendos – um tipo de provento – são uma parcela do lucro recebido pela companhia de capital aberto e dividida entre os acionistas. Logo, se a empresa apresenta bons resultados, uma parte dos ganhos obtidos será distribuída aos investidores.

Isso é feito proporcionalmente ao número de ações que o investidor possui. A distribuição é obrigatória diante de lucros na companhia e deve acontecer, no mínimo, uma vez ao ano. Contudo, as empresas podem escolher outras frequências: mensal, trimestral, semestral etc.

Apesar disso, não há determinação legal sobre o mínimo que deve ser distribuído aos acionistas. Então a decisão depende de cada companhia. Os detalhes sobre percentual e prazos de pagamentos devem ser previstos no estatuto.

O documento precisa ser registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pela companhia. Ademais, ele deve ser acessível para todos os acionistas, de modo que você possa consultá-lo antes de investir para esclarecer dúvidas.

Embora sejam as mais conhecidas, não são apenas as ações que apresentam dividendos. Os FIIs também costumam dividir lucro entre os cotistas. Na verdade, eles têm obrigação de distribuir um alto percentual dos lucros, de maneira proporcional à quantidade de cotas de cada pessoa.

Por que os dividendos são pagos pelas empresas ou fundos?

Uma dúvida frequente quando se fala sobre o que são dividendos e como eles funcionam, trata do motivo desse pagamento. Eles são uma maneira de remunerar investidores, mas por que isso acontece?

Primeiramente, existe a determinação legal que você conferiu no tópico anterior. No entanto, há também outros motivos para que as empresas e fundos adotem a prática — como maneira de atrair investidores.

Como muitos buscam a renda passiva e focam no longo prazo, a estratégia pode tornar as ações e as cotas mais atrativas. A prática também colabora com a retenção de investidores ao oferecer mais vantagens em relação ao rendimento.

Quais são os tipos de proventos?

Para entender como receber renda passiva e montar uma boa carteira de investimentos com esse objetivo, é preciso conhecer os tipos de proventos que você pode receber. Na verdade, os dividendos são um dos tipos de proventos disponíveis no mercado.

Conheça as possibilidades!

Pagamento em moeda

Esse é o modelo mais comum de proventos, em que o investidor recebe o dinheiro em sua conta na corretora. Ele pode ser cotado de duas maneiras: em reais, indicando um valor fixo por ação, ou em percentual. Nesse caso, é possível fazer o saque ou aproveitar o saldo para fazer novos investimentos.

Ações adicionais

Outra possibilidade é o pagamento por meio de papéis. Ou seja, em vez de o investidor receber os dividendos em dinheiro, ele receberá um número de ações. Por exemplo, a companhia pode determinar que o lote tem 100 ativos trará como dividendos mais 3.

O total recebido é determinado proporcionalmente à quantidade de ações que possui. Essa modalidade também é chamada de bonificação e apresenta a vantagem de, com o tempo, tornar possível aumentar os rendimentos devido ao maior número de ativos.

Direitos de subscrição

Outro tipo de provento que pode ser concedido aos acionistas vem em formato de benefício. Quando a empresa decide colocar mais ações à venda, os investidores têm oportunidade de comprá-las antes. Muitas vezes, por preços mais baixos do que os de mercado.

Juros sobre capital próprio (JCP)

Esse provendo é semelhante aos dividendos, mas o investidor é tributado no Imposto de Renda com uma alíquota de 15%. Diferente dos dividendos, a empresa não pagou imposto sobre o JCP, assim, pode distribuir uma quantidade maior de lucro.

Dividendos de FIIs

Os outros tipos de proventos vistos até aqui se aplicam normalmente às ações. No caso dos FIIs, os dividendos são pagos em dinheiro, conforme a frequência estipulada. Esse veículo de investimento oferece opções variadas, sendo possível encontrar fundos com distribuição mensal.

Como é feito o pagamento dos dividendos?

Agora você já sabe o que são dividendos de ações e os tipos existentes de proventos. Todavia, também é preciso compreender como é feito esse pagamento. Um dos pontos essenciais para isso é compreender as diferentes datas envolvidas.

Confira:

Data da declaração

Também conhecida como data de anúncio, acontece quando a empresa comunica que fará a distribuição dos dividendos. Nela, são informados dados como valores e prazos, obrigando a companhia a cumprir o que foi prometido.

Data ex-dividendos

É a data limite para alterar o nome de investidores que receberão os dividendos. Na prática, isso significa que somente quem comprou ações antes desse dia receberá os lucros. Os investidores que adquirem papéis depois não terão a participação — ela será devida ao antigo detentor dos ativos.

Uma data relacionada a essa é a “data com” que indica o último dia para investir nos papéis e receber os dividendos. Ela também é referenciada como data base, data de custódia ou data com-dividendos.

Data de registro

Indica o dia em que a companhia fez o registro de todos os acionistas que receberão os dividendos. Ela também faz o envio de todos os documentos administrativos e financeiros.

Data de pagamento

Por fim, na data de pagamento acontece a efetivação do recebimento de dividendos. Percebe como acompanhar a agenda é importante para compreender como serão feitos os pagamentos? A partir disso, ficará mais fácil desenvolver o seu planejamento.

Como ter renda passiva com dividendos?

A possibilidade de receber dividendos pode atrair muitas pessoas com o objetivo de ter renda passiva. Ela trata dos rendimentos que você recebe sem precisar trabalhar diretamente. Se você faz um investimento e deixa o dinheiro rendendo, por exemplo, é uma renda passiva.

Para facilitar a compreensão, cumpre ressaltar o conceito de renda ativa: ela trata daquela obtida por meio do trabalho. Ou seja, você precisa destinar um tempo específico e mais longo para realizar tarefas que serão remuneradas.

Assim, a renda passiva é aquela que você obtém fazendo o seu dinheiro trabalhar por você. Os rendimentos dos investimentos já são renda passiva, mas muitos só podem ser recebidos quando resgata o valor. Por outro lado, os dividendos são uma renda passiva frequente.

Sobre o tema, existe uma dúvida comum: é possível viver de renda com os dividendos? O investidor pode, sim, fazer isso. No entanto, é importante ter boas estratégias. Você precisará ter um bom valor aplicado e fazer escolhas conscientes para compor a carteira.

Além disso, no período de acumulação de capital é relevante reinvestir os dividendos. Saiba mais!

O que significa reinvestir dividendos?

Isso significa utilizar os valores recebidos para comprar mais ações. Algumas empresas contam com Planos de Reinvestimento de Dividendos, que exigem autorização do investidor para que aconteça automaticamente.

No entanto, também é possível colocar a estratégia em prática de maneira manual. Ou seja, após receber os rendimentos, o investidor procura ações da mesma empresa ou de outra para aumentar os ativos.

A ideia é simples: com o reinvestimento você aumenta o número de ativos que distribuem dividendos. Com isso, o retorno obtido aumenta gradativamente, enquanto você constrói um patrimônio maior até poder viver de renda passiva.

Por que o reinvestimento é importante?

Para ter independência financeira você precisará de um bom valor investido. Afinal, o retorno obtido deve ser suficiente para custear as suas despesas. Assim, fazer aportes frequentes ajudará a construir um patrimônio que permita conquistar esse objetivo.

O reinvestimento também explora o poder da rentabilidade, já que os rendimentos são calculados sobre um montante cada vez maior. Considerando uma estratégia em longo prazo, isso permite alcançar dividendos mais expressivos para ter condições de deixar de trabalhar.

Quais as vantagens de ter renda passiva com dividendos?

Depois de aprender sobre a renda passiva e como conquistá-la com dividendos, que tal conhecer as vantagens que isso proporciona? Existem alguns pontos que podem tornar a estratégia ainda mais atrativa.

Conheça!

Redução nos impostos

O pagamento de Imposto de Renda sobre os rendimentos é uma preocupação comum. Afinal, ele pode comprometer uma parcela dos seus ganhos. Contudo, os dividendos, em regra, são isentos de tributação no Brasil.

Ou seja, você não precisará pagar impostos em cima dos valores recebidos. A exceção acontece apenas quando se trata de juros sobre capital próprio. Já em relação aos FIIs existem alguns requisitos adicionais:

  • as cotas devem ser negociadas na bolsa ou no mercado balcão, de maneira exclusiva;
  • o FII deve contar com, no mínimo, 50 cotistas;
  • o investidor não pode ter mais do que 10% das cotas do FII.

Por outro lado, lembre-se de que o lucro obtido com a venda dos ativos ou cotas de fundos será tributado. Nesse caso, verifique as regras aplicáveis para entender as alíquotas e limites de isenção.

Aumento das oportunidades de ganho

Quando o foco é a renda passiva, os investimentos deixam de focar apenas no potencial de valorização de um ativo. Os dados sobre o pagamento de dividendos e proventos distribuídos também se tornam relevantes.

No entanto, isso não impede que, diante de oportunidades promissoras e certas movimentações do mercado, você venda o ativo. Logo, a estratégia de renda passiva frequente traz novas possibilidades para que o investimento obtenha lucros.

Como fazer boas escolhas de investimento com foco em dividendos?

Você quer ter uma carteira focada em dividendos ou deseja que parte de seus investimentos tenham esse objetivo? Então vale aprender como escolher as opções ideias.

A seguir, listamos as principais dicas sobre o assunto:

Analise os investimentos

O primeiro conselho é fazer uma boa análise de investimentos. Nas ações, busque por empresas sólidas, analisando os seus fundamentos para entender o potencial de retorno e valorização em longo prazo.

Nos FIIs e outros investimentos, pesquise o histórico, gestão, risco e demais características. Aqui, dois indicadores que podem ajudar a encontrar boas pagadoras de dividendos são o Dividend Yield e o Dividend Payout.

Veja como funcionam:

Dividend Yield

Esse indicador relaciona o preço pago por ação ou cota com os seus proventos. Ou seja, você divide os dividendos anuais pelo preço individual do investimento. Esse não é o único fator que deve ser avaliado, mas pode trazer dados sobre os possíveis ganhos.

Dividend Payout

Nesse caso, o indicador mostra a relação entre os dividendos e o lucro por ação ou cota. Assim, ele divide os dividendos pagos nos últimos 12 meses pelo lucro líquido dos investimentos no mesmo intervalo. Isso demonstra se a divisão dos lucros é sustentável.

Além dos dois, é importante utilizar outros dados e indicadores para uma avaliação aprofundada. Quando o foco é apenas um dado, a análise pode ser prejudicada, impedindo as melhores escolhas. Uma análise fundamentalista completa é a estratégia ideal.

Diversifique a sua carteira

Mesmo que a carteira tenha o objetivo de receber dividendos, a estratégia de diversificação ainda é importante. Isso porque cada ativo ou fundo pode trazer resultados diferentes. Diversificando, você consegue reduzir os riscos existentes na renda variável e pode conquistar melhores resultados.

Vale contar com ações de diferentes empresas, Fundos Imobiliários e outras opções do mercado financeiro. Ademais, sempre considere o seu perfil de investidor e os seus objetivos para fazer escolhas que estejam alinhadas a eles.

Conte com uma boa corretora de valores

Para investir na bolsa de valores, é preciso de uma conta em uma corretora. A dica para ajudar na composição de uma carteira voltada ao rendimento passivo com dividendos é ter com uma parceria de qualidade.

Você pode usufruir o suporte de uma assessoria, por exemplo, que apresentará as opções do mercado e esclarecerá todas as suas dúvidas. Dessa maneira, é possível tomar decisões com maior autonomia e segurança.

Agora você já sabe o que são dividendos e como obter renda passiva. Então avalie o seu perfil e seus objetivos para entender se essa estratégia é adequada para a sua carteira. Em caso positivo, siga as nossas dicas para saber como compor o portfólio.

Quer ajuda para entender o mercado financeiro e investir? Abra a sua conta na Guide Investimentos!

Relacionados

As melhores ações, segundo Peter Lynch

Peter Lynch é um investidor americano, anteriormente gestor do fundo de investimento Magellan, da famosa companhia Fidelity Investments. Lynch é responsável [...]

Suno Research - 24/02/2021

Custo de oportunidade: você sabe o que é?

O custo de oportunidade é o preço que se paga por fazer determinada escolha, seja na vida pessoal e profissional, em [...]

Syntax Finance - 23/02/2021

Ebitda: o que é, como funciona e qual a importância deste indicador?

O sucesso de uma empresa não se limita à quantidade de produtos vendidos ou mesmo aos custos existentes. É preciso pensar [...]

Guide Investimentos - 22/02/2021

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções