Volatilidade: o que é e como ela afeta os seus investimentos

Tempo de leitura: 7 minutos

Para iniciar uma performance investidora é preciso compreender termos intrínsecos ao trade. Volatilidade com certeza é uma palavra presente no cotidiano de quem investe, seja na renda fixa ou variável.

Continue a leitura e confira o significado de volatilidade e porquê existem as oscilações dos preços em suas aplicações financeiras.

O que veremos neste artigo?
Para começar, o que é volatilidade?
Quais são os tipos de volatilidade que existem?
Como a volatilidade influencia os investimentos?
Risco X volatilidade
O que é volatilidade no mercado de ações?
Volatilidade aplicada ao day trade
Existe volatilidade na renda fixa?
Covid-19: exemplo de volatilidade de ativos
Qual a diferença entre volatilidade e liquidez?
Como manter o controle emocional do investidor diante da volatilidade?
É possível calcular a volatilidade antes de tomar uma decisão de investimento?
Tudo o que você precisa saber sobre volatilidade no mercado financeiro
Considerações

Para começar, o que é volatilidade?

Volatilidade é uma característica do mercado que diz respeito à oscilação do preço de um ativo,  ou seja, o desvio padrão. Ela não é algo bom ou ruim, pois depende dos objetivos do operador e da intensidade de tal característica.

Em um sentido amplo, quanto maior a volatilidade um ativo, mais o preço irá oscilar, podendo assim ampliar as chances de retorno do ativo, bem como, aumentar o risco, visto que esse retorno pode ser positivo ou negativo.

Quais são os tipos de volatilidade que existem?

Saber como um ativo irá se comportar é de interesse coletivo de todo o mercado, para isso é necessário entender a volatilidade em seus três tipos. São eles:

  1. Volatilidade histórica: é a oscilação do preço em um intervalo de tempo estipulado (comumente calculado com base anual). Esse tipo de volatilidade serve de base para previsões de como o ativo irá se comportar no futuro, uma vez que ele tende a repetir um padrão de variação.
  • Volatilidade implícita: é o desvio padrão calculado como uma estimativa futura para como o preço poderá se comportar. Esse tipo costuma ser calculado com base na volatilidade histórica, eventos do mercado e também pela correlação com outros ativos, como é o caso dos derivativos.
  • Volatilidade real: é calculada a partir do mesmo ativo só que no mercado futuro, de tal forma que ao chegar na data de vencimento, esse tipo se torna a própria volatilidade histórica. A volatilidade real pode ser comparada com a volatilidade implícita a fim de obter uma previsão mais próxima à realidade.

Como a volatilidade influencia os investimentos?

Sabendo que a volatilidade significa quanto o preço de um ativo oscila, é de suma importância que o investidor esteja atento a ela para conseguir fazer bons investimentos atrelados a um bom gerenciamento de risco.

Entender como o ativo se comportou historicamente, permite ao operador que ele compare a volatilidade histórica com a oscilação atual dos preços e assim poder definir se a quantidade operada será menor ou maior.

Caso a volatilidade esteja alta, o operador via de regra estará exposto a um maior risco. Para proteger seu capital, o investidor pode optar por diminuir a quantidade operada, além da diversificação de todo o seu portfólio.

Risco X volatilidade

A volatilidade de um ativo traz consigo a incerteza sobre o retorno do investimento. Fatores externos como a economia, a divulgação do balanço de uma empresa, as políticas públicas e demais acontecimentos podem impactar o desempenho de sua aplicação financeira. Por isso, a volatilidade é diretamente proporcional ao risco.

Por sua vez, se o investimento em ativos voláteis significa operações mais arriscadas, é também nesta atuação que estão as maiores probabilidades de retorno. Quanto maior a volatilidade, maior também será a chance de lucro, principalmente àqueles traders que seguem a máxima “compre na baixa e venda na alta”.

O que é volatilidade no mercado de ações?

No mercado de ações, a volatilidade também diz respeito à oscilação do preço da ação, o que não é bom e nem ruim para os investimentos.

Para o investidor, a volatilidade do ativo corresponde às chances de lucros em uma performance assertiva do trader. Entretanto, sempre é preciso dimensionar os riscos.

Afinal, todo ativo tem o seu preço estrutural e quando há uma oscilação além de uma normalidade, tende a existir uma correção ao longo do tempo e o valor do ativo acaba por voltar a sua normalidade.

Volatilidade aplicada ao day trade

As operações em day trade, que são aquelas realizadas durante os intervalos de um dia, são as mais beneficiadas com a volatilidade. Com volume, é possível garantir o lucro diante das movimentações de preço de um ativo.

Os adeptos ao swing trade precisam ser cautelosos e segurar as emoções para que a negociação de seus ativos se dê em momentos oportunos. Para isto, é recomendável diversificar a carteira de investimento com renda fixa e aplicações com alta liquidez, além de um bom planejamento financeiro.

Existe volatilidade na renda fixa?

Diferentemente do que a maioria das pessoas acreditam, a renda fixa tem sim uma volatilidade, podendo sofrer marcação a mercado alterando assim o seu preço.

Imagine que os investidores que tenham posse de títulos públicos queiram se desfazer deles antes do vencimento. Esse cenário pode acarretar uma oferta maior que a demanda, variando assim o preço do ativo e então o investidor estará exposto à volatilidade da renda fixa.

Covid-19: exemplo de volatilidade de ativos

Acontecimentos políticos e socioeconômicos, crises internas da companhia ou do segmento, além de fatos impactantes no mundo estão entre os motivos que podem levar a uma alteração na volatilidade dos ativos.

Quanto mais incertezas sobre o futuro, maior será o incremento na volatilidade, como aconteceu no início da crise da Covid-19.

Quando o mercado tomou conhecimento da pandemia houve um pânico generalizado em que os investidores procuraram se desfazer de seus papéis rapidamente, aumentando drasticamente a variação no preço dos mesmos.

Qual a diferença entre volatilidade e liquidez?

A volatilidade, como já visto anteriormente, diz respeito à oscilação do preço de um ativo, já a liquidez faz menção a facilidade de converter um ativo em dinheiro, logo são duas coisas distintas, mas que estão correlacionadas.

Tais características se relacionam inversamente, já que um ativo com baixa liquidez irá gerar uma alta volatilidade devido ao desequilíbrio entre a oferta e a demanda, de forma contrária um ativo de maior liquidez tende a ter menor volatilidade.

Como manter o controle emocional do investidor diante da volatilidade?

Antes de operar qualquer ativo, o trader deve ser primeiramente um operador da sua própria mente. Tendo assim um mindset que o ajudará a se manter firme diante das intempéries do mercado que influenciam na volatilidade. Ao se deparar com aumento da volatilidade, o operador deverá ter alguns comportamentos, que são eles:

  • Foco no objetivo, se for investimento de longo prazo deverá ter a paciência e aguardar o retorno do preço.
  • Habilidades técnicas de trava nos preços conhecidos como hedge.
  • Procurar estar sempre em sintonia com o mercado e seus estudiosos para ter impressões mais eficientes.
  • Seguir um plano de gerenciamento de risco e segui-lo de forma rigorosa, a fim de proteger o capital.

É possível calcular a volatilidade antes de tomar uma decisão de investimento?

Sim, é possível calcular a volatilidade implícita para se ter uma previsão no comportamento do ativo e assim tomar melhores decisões. Nesse processo é importante comparar a volatilidade real com a volatilidade histórica para chegar à conclusão se o ativo está ou não estressado, o que leva a uma atuação mais eficiente do investidor.

Tudo o que você precisa saber sobre volatilidade no mercado financeiro

  • A volatilidade é a característica do mercado que diz respeito à variação do preço de um ativo.
  • Existem três tipos de volatilidade: histórica, implícita e real.
  • Através da volatilidade é possível identificar o ânimo do mercado.
  • Quanto maior a volatilidade, maior o risco, porém também há mais possibilidade de lucros.
  • Volatilidade e liquidez são características distintas e são correlacionadas inversamente.
  • É possível aprimorar a atuação do trader ao passo que ele compreenda o que é a volatilidade e como utilizá-la a seu favor.

Considerações

A incerteza que temos dos retornos de um ativo nem sempre é ruim. Muitos investidores obtêm seus melhores resultados diante das oscilações do mercado e da volatilidade dos ativos.

O ideal é que o investidor entenda a sua tolerância ao risco e invista de acordo com os seus objetivos e metas financeiras.

Agora que você já sabe o que é a volatilidade, avance seus conhecimentos no vocabulário das finanças e confira este post completo sobre stock picking.

Relacionados

Análise fundamentalista e análise técnica: você sabe as diferenças?

Os brasileiros têm experimentado novas modalidades de investimento. O número no mercado de ações no Brasil saltou de 583 mil investidores [...]

Syntax Finance - 03/08/2021

Como investir em dólar? Entenda a importância desse investimento hoje!

Se você acompanha as movimentações do mercado, provavelmente percebeu que, quando a bolsa brasileira cai, é comum que exista uma valorização [...]

Guide Investimentos - 29/07/2021

Quanto rende 100 mil na poupança? Entenda os cálculos e projeções

Um dos investimentos mais conhecidos pela população brasileira é, sem dúvida, a caderneta de poupança. Mesmo sem ter muita noção de [...]

Guide Investimentos - 26/07/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções