O que é uma oferta pública de Ações (IPO)?

Tempo de leitura: 5 minutos

Você já se perguntou o que é oferta pública de Ações ou IPO? Quando se pensa em investir em Ações ou em Fundos de Investimento Imobiliário, é importante entender de que se trata o conceito.

O que veremos neste artigo?
O que é oferta pública de Ações (IPO)?
Como funciona o IPO?
Por que as empresas abrem capital na Bolsa de Valores?
Quais são as vantagens e desvantagens do IPO para investidores?
Como participar de um IPO?

O IPO traz mais opções de investimentos que podem ser utilizadas por quem deseja diversificar a carteira em renda variável. Neste conteúdo, você aprenderá o que é a oferta pública de Ações e esclarecerá as principais dúvidas sobre o assunto.

Confira!

O que é oferta pública de Ações (IPO)?

O termo IPO vem de Initial Public Offering, que significa oferta pública inicial. Porém, por ser bastante utilizado no mercado acionário, ele é também é conhecido como oferta pública inicial de Ações. Ainda assim, é importante saber que também existe o IPO de Fundos Imobiliários.

Basicamente, a oferta pública inicial de Ações trata do momento em que a empresa abre o seu capital. Ou seja, passa a vender suas Ações na bolsa de valores. Nesse caso, a venda dos papéis injeta mais recursos financeiros na companhia.

É importante conhecer, ainda, o chamado IPO secundário ou follow-on. Ele acontece quando a empresa já tem o capital aberto, mas decide emitir novos papéis. De acordo com quem disponibiliza as Ações para a venda, a oferta é classificada de duas maneiras:

  • oferta primária: quando a própria empresa vende as novas Ações, com aumento real do capital social;
  • oferta secundária: quando um ou vários acionistas disponibilizam os seus papéis, sem alterar o capital social da empresa.

Como funciona o IPO?

O IPO é um processo que exige o cumprimento de diversos requisitos pelas empresas. Primeiro, a companhia deve ser uma Sociedade Anônima (SA) e se cadastrar na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ademais, ela deve solicitar sua listagem na B3.

Até a abertura do capital, há diversas análises, planejamento e adaptações no negócio. Como será necessário prestar contas aos investidores, a preparação para o IPO requer uma boa estrutura da companhia. Dessa maneira, nem todas as empresas podem emitir Ações.

Após a companhia realizar os processos para a abertura de capital, ela precisa criar o prospecto. Ele é um documento com diversas informações sobre o negócio que sejam relevantes para o investidor — como registros contábeis e reservas financeiras.

O prospecto também trata de planos para o futuro, operações internas e outros dados. O documento deve ser enviado à CVM e comunicado à imprensa. Assim, o público fica informado sobre a oferta pública. Depois disso, os investidores podem iniciar suas análises para investir.

Por que as empresas abrem capital na Bolsa de Valores?

As empresas costumam optar pela oferta pública de Ações com o objetivo de levantar mais recursos. Basicamente, é uma maneira de captar investimentos, que permitirão aplicar novas estratégias de crescimento para o negócio.

Com a emissão das Ações, os investidores interessados precisarão comprar os papéis negociados. Logo, eles injetam capital — que pode ser usado para financiar investimentos que a empresa pretende realizar.

Desse modo, o negócio não precisa assumir obrigações de um retorno específico ou prazos de vencimento, por exemplo. Além disso, a venda de Ações costuma envolver montantes significativos de dinheiro. Por isso, o IPO pode ser um processo vantajoso.

Também pode ser uma oportunidade para os donos da empresa receberem um retorno sobre o investimento. Afinal, a venda de Ações permite o levantamento de grandes valores, enquanto eles vendem parcelas de sua participação no capital social da companhia.

É preciso falar, no entanto, que nem toda compra de Ações injeta recursos diretamente na empresa. Isso acontece apenas na venda dos primeiros papéis no IPO. Depois, os ativos passam a ser negociados entre os próprios investidores no mercado secundário.

Quais são as vantagens e desvantagens do IPO para investidores?

Depois de entender o que é IPO e por que as empresas tomam essa decisão, é normal se perguntar se vale a pena investir na abertura de capital de um negócio. Como qualquer investimento, a possibilidade tem prós e contras que devem ser avaliados conforme o seu perfil e objetivos.

A principal vantagem é que as empresas podem ter um alto potencial de lucro e valorização. Muitas vezes, as Ações do IPO têm uma valorização após a primeira venda, trazendo ganho de capital ao investidor.

No entanto, como a Ação nunca foi negociada publicamente, também há mais riscos em relação à volatilidade e à perspectiva de futuro. Afinal, ainda não existem muitos dados que podem ser avaliados, trazendo mais imprevisibilidade para o investimento.

Como participar de um IPO?

Você acredita que essa opção é interessante para o seu perfil de investidor e combina com seus objetivos? Então é necessário saber como participar de um IPO na bolsa de valores.

A compra das Ações é feita via home broker, então é importante ter uma conta em uma corretora de investimentos. Em seguida, existem alguns passos que você pode seguir para ajudar na aplicação.

Veja:

Avalie o prospecto da empresa

Como vimos, o prospecto é o documento que traz as informações que devem ser avaliadas pelo investidor. Por isso, analise os planos da empresa, o histórico contábil e outros dados que influenciam no potencial de resultados.

Também vale a pena fazer pesquisas complementares sobre a companhia, a fim de entender o seu posicionamento no mercado.

Reserve as Ações

Se decidiu investir na empresa, o próximo passo é reservar as Ações. Isso é feito por meio da corretora de valores. Nesse caso, é divulgada uma faixa de preço para os papéis e é com base nela que você define o volume que deseja comprar.

Um ponto importante é que você informará, também, quanto deseja pagar por Ação, considerando a faixa divulgada. Após finalizar a reserva, não é possível cancelar.

Faça o investimento

Depois das reservas, é feita a formação final do preço com base na intenção de compra de todos os investidores. O preço final será aplicado para todas as reservas e, após essa etapa, você saberá quantas Ações poderá adquirir.

Desse modo, basta efetuar o pagamento para concluir a compra. Mas vale destacar que a falta de demanda em relação à oferta pode fazer com que o IPO não se concretize.

Agora que você já sabe o que é oferta pública de Ações, estude a proposta da empresa que lhe interessa para decidir se é o melhor investimento. Assim, você pode encontrar opções que se alinhem ou não ao seu perfil e objetivos!

Quer diversificar mais a sua carteira? Então veja como investir em ativos de empresas estrangeiras!

Relacionados

Mercado futuro: o que é e qual a diferença do mercado à vista

No mercado financeiro, é possível negociar um ativo no futuro, através do estabelecimento de contratos. Tais operações visam proteção do capital, [...]

Syntax Finance - 19/01/2021

Conheça as 7 principais bolsas mundiais e seus índices

Quem busca diversificar seus investimentos na renda variável, tem as aplicações em ativos financeiros internacionais como uma via acessível e possivelmente [...]

Syntax Finance - 04/01/2021

SMAL11: o que é e como investir no ETF das small caps

O crescimento do mercado de ações brasileiro, com a entrada de novas empresas, traz mais oportunidades aos investidores, mas também um [...]

Syntax Finance - 29/12/2020

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções