Cotações por TradingView

O que é Tesouro SELIC?

Tempo de leitura: 8 minutos

O Tesouro Selic é considerado uma das aplicações financeiras da renda fixa mais seguras do Brasil. Ele é um dos títulos públicos que compõem o Tesouro Direto, um programa do Tesouro Nacional em parceria com a bolsa de valores, a B3.

Recomendado para investidores iniciantes aos mais experientes, o Tesouro Selic atrai novos públicos em busca de uma aplicação segura, com alta liquidez e que apresenta boa margem de retornos, especialmente em momentos de elevação de juros.

Antes, esse título era conhecido como Letra Financeira do Tesouro (LFT). Após a chegada do programa Tesouro Direto, em 2002,  ele passou a se chamar Tesouro Selic, facilitando o processo de escolha na hora de investir.

Quer mais detalhes sobre esse assunto? Siga a leitura deste guia completo sobre o Tesouro Selic e entenda como ele pode contribuir com o retorno da sua carteira de investimentos.

Confira o que veremos neste material
Como funciona o Tesouro Selic?
Vantagens e desvantagens de investir no Tesouro Selic
Custos e taxas do Tesouro SELIC
Como simular o rendimento do Tesouro Selic
Passo a passo para investir no Tesouro Selic
Qual a diferença entre Tesouro Selic e demais títulos públicos?
Tesouro Selic ou Poupança: o que vale mais a pena?
Considerações

Como funciona o Tesouro Selic?

O Tesouro Selic é um título público pós-fixado atrelado à taxa básica de juros, a Selic. Na prática, você empresta seu dinheiro ao governo para recebê-lo depois de um período, acrescido dos rendimentos acumulados, tendo como referência os juros brasileiros.

A taxa Selic é definida a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil, o COPOM. Sendo assim, quando a Selic sobe o desempenho desse título aumenta. Da mesma forma que em cenários de juros baixos, seu rendimento tende a diminuir.

Como o desempenho dessa taxa de juros e do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) andam lado a lado, é comum dizer que o rendimento do Tesouro Selic e de um CDB que paga 100% do CDI são equivalentes.

Em 2021, o Tesouro Direto, incluindo o Tesouro Selic, passou a ter liquidez D+0, o que significa que caso o investidor solicite o resgate do capital antes das 13 horas de um dia útil, ele poderá ter acesso a todo o seu dinheiro aplicado. Atenção, pois a rentabilidade pode ser comprometida com o resgate antecipado ao prazo de vencimento.

Vantagens e desvantagens de investir no Tesouro Selic

Dentre os títulos públicos, o Tesouro Selic é considerado o mais conservador e seguro. Ainda que ele não conte com cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), esse título é 100% garantido pelo Tesouro Nacional.

Sua baixa volatilidade e alta liquidez fazem com que ele seja um excelente instrumento para compor a reserva de emergência dos brasileiros ou para objetivos de curto prazo.

Mesmo quando negociado antes do prazo de vencimento, o risco de perda financeira nesse título do Tesouro Direto é pequeno. Isso acontece porque o Tesouro Selic é menos sensível à marcação a mercado.

Por outro lado, o investidor não está protegido das oscilações da inflação. O que reforça a importância da diversificação dos investimentos. Além disso, esse não é um título que proporcionará um ganho de capital elevado.

Custos e taxas do Tesouro Direto

Quem opta pelo Tesouro Selic tem que estar atento aos custos envolvidos e como eles impactam no retorno dos seus investimentos. Confira as principais taxas que incidem sobre essa classe de ativos:

IOF

As negociações dos títulos do Tesouro Direto estão sujeitas à cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Essa taxa é regressiva. Ela inicia com 96% sobre rendimento e zera após 30 dias.

IR

O lucro proveniente das aplicações no Tesouro Direto é tributado pela tabela regressiva do imposto de renda, em que a alíquota máxima é de 22,5% até 180 dias e 15% após 2 anos. A cobrança do IR ocorre no vencimento do título ou quando resgatados antecipadamente.

Taxa de custódia

Nos primeiros dias dos meses de janeiro e julho, os investidores em títulos públicos estão sujeitos a cobrança de 0,25% ao ano de taxa de custódia. Em 2020, o Tesouro Direto zerou a cobrança dessa tarifa para aqueles com até 10 mil reais no Tesouro Selic. Acima desse valor a cobrança é proporcional.

Já em 2021, o Tesouro Nacional e a B3 reduziram a cobrança para os demais títulos e, a contar de janeiro de 2022, a taxa de custódia será de 0,20% ao ano. Trata-se de uma forma de aumentar a atratividade dos títulos públicos e incentivar os brasileiros a investirem no Tesouro Direto.

Como simular o rendimento do Tesouro Selic

Aos interessados em investir em títulos públicos, o Tesouro Direto disponibiliza uma calculadora, em que é possível simular o rendimento dos títulos públicos, de forma a auxiliar o investidor a se organizar e programar seus investimentos.

A ferramenta permite escolher entre estimar seus resultados com base no valor que teria para começar a investir ou ainda quanto deseja resgatar no futuro.

Vale lembrar que uma simulação não representa uma garantia de rentabilidade. Os resultados finais são influenciados pelas condições de mercado, sendo assim oscilam a todo momento.

Qual a diferença entre Tesouro Selic e demais títulos públicos?

A principal diferença entre os títulos do Tesouro está nos tipos de rentabilidade, no índice do mercado que é utilizado como referência e no prazo de vencimento.

Enquanto o Tesouro Selic é pós-fixado indexado à Selic, o Tesouro IPCA  é um título pós-fixado que utiliza a inflação medida Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) como benchmark. Ele também é considerado um título híbrido, uma vez que sua rentabilidade é composta pela variação do índice mais uma taxa pré-estabelecida. Por exemplo, IPCA + 6%.

Já no Tesouro Prefixado a rentabilidade é definida no momento da aplicação. Por isso ele recebe essa nomenclatura, afinal o cliente já sabe de quanto será o seu rendimento. Sem contar que o Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado contam com o pagamento de juros semestrais.

Outra diferença é no valor de aplicação mínima, que varia de título para título. A maioria é negociada a partir de 30 reais. No entanto, em alguns é preciso dispor de um pouco mais de dinheiro, como o Tesouro Selic, que é negociado por, aproximadamente, 110 reais. 

Tipos de Tesouro Aplicação Mínima (R$) Rentabilidade Índice de Mercado Pazo de Vencimento
Tesouro Selic A partir de R$110,00 Pós-fixado Selic Data agendada, com liquidez diária
Tesouro IPCA A partir de R$30,00 Pós-fixado IPCA Data agendada com liquidez diária
Tesouro Prefixado A partir de R$30,00 Prefixado Taxa definida no momento da aplicação Data agendada com liquidez diária

Tesouro Selic ou Poupança: o que vale mais a pena?

Uma dúvida comum entre os investidores é escolher entre a tradicional caderneta de poupança e o Tesouro Selic para utilizar como colchão de liquidez.

Ainda que a poupança seja isenta de imposto de renda, o seu rendimento líquido nos últimos anos tem deixado a desejar. Isso porque como a taxa de juros está abaixo de 8,5%, o retorno da poupança é de 70% da Selic mais Taxa Referencial (TR). Enquanto o Tesouro Selic tem sua rentabilidade 100% atrelada a essa taxa.

De qualquer forma, as duas modalidades de investimento se negociadas antes de 30 dias podem não ser vantajosas ao investidor, uma vez que o rendimento da poupança só é creditado mensalmente e no Tesouro há cobrança de IOF neste mesmo período, além do IR.

Por isso, ter definido o seu horizonte de investimento é fundamental na hora de escolher as aplicações financeiras que deseja investir e que serão capazes de gerar os melhores resultados.

Passo a passo para investir no Tesouro Direto

Investir no Tesouro Direto é muito mais fácil do que se imagina. Para começar, é ideal que você conheça mais sobre os tipos de títulos do Tesouro e opte por aquele que melhor atende os seus objetivos, necessidades e perfil de investidor.   

Feito isso, faça seu cadastro em uma instituição financeira, como bancos ou corretoras de valores habilitados para esse tipo de operação. Há ainda a opção de investir diretamente pelo portal do Tesouro Direto.

Por fim, transfira o dinheiro que deseja investir da sua conta bancária para a conta na instituição escolhida e confira a ação dos juros sobre seu recurso.

Considerações

Investir em Tesouro Selic é uma maneira simples e fácil de aproveitar o mercado financeiro, além de ser uma aplicação segura, com baixo risco e liquidez diária.

Pode-se dizer que o Tesouro Selic representa uma alternativa a ativos como poupança e fundo DI, frequentemente utilizados para resgates de curtíssimo prazo.

Se você tem reservas financeiras e deseja multiplicá-las, chegou o momento de ingressar no mundo dos investimentos e aproveitar o efeito dos juros compostos. Em tempos de instabilidade, ter o governo como garantidor do título pode ser decisivo.

Que tal começar pelo Tesouro Selic? Abra sua conta na Guide e conte com um time de profissionais prontos para ajudá-lo a identificar quais os ativos mais adequados para seu perfil de investidor e objetivos.

Relacionados

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021

O que é RDB? Aprenda a investir nesse título!

A renda fixa oferece investimentos com diferentes características. Há, por exemplo, os títulos públicos, as aplicações privadas e, ainda, as alternativas [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021

Ativos reais x ativos financeiros: entenda as diferenças entre eles!

Para quem já investe ou busca novas formas de ampliar seu capital, uma dúvida comum pode ser a escolha entre ativos [...]

Guide Investimentos - 18/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções