O que é a Selic e como ela afeta as suas finanças?

Tempo de leitura: 9 minutos

A  Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira e está relacionada ao controle da inflação por parte do Governo Federal.

Considerada um das principais referências econômicas no Brasil, a taxa Selic influencia diretamente linhas de crédito, taxas de juros, aplicações financeiras e a rentabilidade dos investimentos.

As páginas dos jornais anunciam a alta na Selic no ano de 2021. A projeção é mais aumento para a taxa até o final do ano e 2022.

Continue a leitura deste guia e entenda o que é a taxa Selic e como ela impacta a sua vida financeira.

O que veremos neste artigo?
O que significa Selic?
Quem define a Selic?
Como funciona a Selic?
Como a Selic influencia a economia brasileira?
O que você precisa saber sobre Selic e inflação?
Como a Selic está relacionada com os investimentos?
Quais aplicações financeiras estão atreladas à Selic?
Qual é a relação entre Selic e taxa CDI?
Você sabe quais são as diferenças entre Selic e IPCA?
Histórico da Selic e como sei o quanto a taxa está hoje?
Considerações

O que significa Selic?

A palavra Selic é um acrônimo do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, que se refere a uma infraestrutura do mercado financeiro brasileiro destinada à negociação dos Títulos Públicos Federais (TPF).

Nesse sistema, as transações são feitas em curtíssimo prazo e a média ajustada das negociações dos títulos é chamada taxa Selic.

Portanto, a origem da Selic está relacionada à taxa média das operações realizadas no mercado interbancário. Entretanto, as notícias que comumente aparecem nos jornais referem-se à meta da taxa Selic. 

Quem define a Selic?

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), se reúne para definir a taxa meta da Selic a cada 45 dias.

O presidente e oito diretores do BC avaliam o cenário atual e os dados econômicos do país, durante dois dias, para definir um teto da Selic em um período futuro.

Jornalistas, economistas e importantes players do mercado acompanham a decisão da meta da Selic, pois este número afeta diretamente a vida dos cidadãos no Brasil.

A taxa Selic é divulgada no site do Banco Central e a ata oficial é publicada em até seis dias úteis após a realização da reunião do Copom.

Como funciona a Selic?

A Selic é um dos principais instrumentos da política monetária brasileira para definir as metas de inflação.

Criada em 1999, a taxa meta é um recurso para manter sob controle a quantidade de dinheiro disponível para a população, evitando o excesso de dinheiro em circulação.

De maneira simplista, a lógica é que com menos dinheiro disponível, há um controle nos gastos e a inflação pode ser controlada.

A taxa básica de juros é elevada para que os preços de produtos e serviços não se tornem exagerados. Quando a inflação está controlada, a taxa Selic tende a ser reduzida para que as linhas de créditos sejam mais acessíveis, o que aumenta o dinheiro em circulação.

Como a Selic influencia a economia brasileira?

Movimentos de alta ou queda na Selic influenciam as taxas de juros praticadas no mercado e também o rendimento das aplicações financeiras.

Por isso agentes econômicos (poupadores, devedores e investidores) avaliam suas decisões diante do comportamento da Selic. Se as taxas de juros sobem, o crédito fica mais caro e menos acessível para empresas e indivíduos. E o contrário também é verdadeiro: se as taxas caem, o crédito fica mais barato, favorecendo o consumo.

Imagem de duas moedas de 1 real, uma de 25 centavos e uma de 50 centavos em cima de uma mesa preta. Selic e inflação: o que você precisa saber

O que você precisa saber sobre Selic e inflação?

A Taxa Selic é um instrumento de política no controle de preços da economia para garantir a estabilidade da moeda e por consequência o controle da inflação.

Quando temos um cenário econômico com maior pressão inflacionária, o Banco Central pode subir a taxa Selic.

O efeito esperado com a alta da Selic é que ocorra um repasse nos juros do mercado, encarecendo o crédito e desmotivando o consumo ou o endividamento dos indivíduos, dessa forma as metas de inflação podem ser alcançadas pelo Governo Federal.

Por outro lado, o Banco Central pode optar por um ciclo de cortes da taxa Selic com o objetivo de estimular a economia, já que ao baixar os juros, os créditos se tornam mais acessíveis e há um incentivo para o consumo dos indivíduos.

Então, temos uma relação inversamente proporcional entre Selic e inflação. A intenção quando o Comitê de Política Monetária do Banco Central sobe a taxa de juros é reduzir o aumento contínuo e generalizado dos preços em uma economia.

Como a Selic está relacionada aos investimentos?

Em um contexto de juros altos, quem pode poupar e/ou investir se depara com uma chance de maior rentabilidade em suas aplicações financeiras na renda fixa, especialmente os títulos do Tesouro Nacional. Isto acontece porque a remuneração dos títulos pós-fixados é atrelada à Selic.

O contrário também é verídico, portanto se a Taxa Selic é reduzida há queda na rentabilidade dos investimentos na renda fixa, o que acaba por impactar sua atratividade.

Em cenários de juros baixos, muitos investidores despertam para a renda variável, pois eles passam a buscar opções mais rentáveis do que a renda fixa. Em baixas históricas da taxa Selic como as de 2020, tivemos um recorde de iniciantes na bolsa de valores.

Imagem de uma pessoa de blusa amarela com manga cumprida e mão sobre o teclado de um notebook digitando. O que é a taxa selic e como a selic afeta seus investimentos

Quais aplicações financeiras estão atreladas à Selic?

Há vários tipos de investimentos em renda fixa que são diretamente atrelados à Taxa Selic, em especial os títulos públicos pós-fixados. Conheça as principais opções de investimento com essa característica:

1.    Poupança

Para as aplicações na caderneta de poupança em instituições financeiras realizadas a partir de 2 de maio de 2012, a remuneração depende da Taxa Selic:

  • Se a Selic estiver acima de 8,50% ao ano: 0,5% a.m. + Taxa Referencial;
  • Se a Selic estiver exatamente 8,5% ao ano ou menos: 70% da Selic + Taxa Referencial

Em 2021, estamos aplicando a segunda regra, em que a remuneração da poupança é de 70% da Selic + TR. Por exemplo, em operações no ano de 2021, com a Taxa Selic a 4,25%, temos o rendimento de 2,97% a.a. + TR.

2.    Tesouro Selic

O Tesouro Selic é o modelo pós-fixado listado no Tesouro Direto, com rentabilidade atrelada à Taxa Selic.

Ele é um dos mais conservadores entre os títulos públicos disponíveis para venda na plataforma do Tesouro Direto.

A remuneração do título também é composta por uma taxa adicional que funciona como um ágio ou deságio no momento da compra.

Um exemplo é o Tesouro Selic com vencimento em 01/09/2024 que hoje oferece a Taxa Selic acrescida de 0,2301% ao ano.

3.    Títulos de crédito pós-fixados

Os títulos de crédito privado pós-fixados possuem rendimento relacionado à taxa CDI que, por sua vez, é atrelado à Taxa Selic.

Neste grupo estão as modalidades da renda fixa:

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCIs);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) e
  • Certificados de Depósito Bancário (CDBs).

Os três são tipos de títulos de crédito bancário, ou seja, você empresta recursos para instituições financeiras sendo remunerado com as taxas de juros.

Em geral, esses títulos de renda fixa possuem a mesma regra de remuneração pós fixada que oferecem um percentual (%) do CDI.

Um exemplo é um CDB com rendimento de 110% da Taxa CDI ao ano, dessa forma a rentabilidade depende diretamente da Taxa Selic do período.

Qual é a relação entre Selic e taxa CDI?

A taxa do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é a mais utilizada para o retorno dos títulos pós-fixados, pois acompanha a trajetória da Selic. Para referência, hoje com a Taxa Selic a 4,25% a.a., temos a Taxa CDI a 4,15% a.a. Dessa forma, se há cortes na Selic, o CDI é impactado negativamente, então a rentabilidade dos títulos pós-fixados (com lastro no Certificado de Depósito Interbancário) torna-se menos atrativa. Outro exemplo é o Tesouro Selic que com a queda nos juros também apresenta menor retorno.

Você sabe quais são as diferenças entre Selic e IPCA?

É comum Selic e IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) estarem na mesma notícia, isso acontece porque eles são indicadores importantes da economia brasileira.

A Taxa Selic é a taxa básica de juros representando o custo do dinheiro, sendo um instrumento da política monetária brasileira.

o IPCA é o índice oficial de inflação do Brasil calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ele mostra como está a variação dos valores de uma cesta de produtos e serviços comercializados no varejo considerando famílias com rendimentos entre 1 e 40 salários mínimos.

O Banco Central acompanha continuamente a evolução dos indicadores de inflação no Brasil para tomar suas decisões. O IPCA é o índice de maior relevância por ser nele que o Conselho Monetário Nacional (CMN) define a meta de inflação a ser perseguida pela autoridade monetária.

Histórico da Selic e como sei o quanto a taxa está hoje?

Ao longo das últimas décadas observamos a Taxa Selic na casa dos dois dígitos em boa parte do tempo, mas nos últimos anos vivemos um momento com taxas mais baixas (chegamos até o piso de 2% ao ano em 2020).

Mesmo no cenário atual de aumento na Taxa Selic, a expectativa é uma taxa de apenas um dígito até o final de 2021.

Para conhecer o histórico completo da Taxa Selic desde 1996, há uma página específica no site do Banco Central do Brasil. Durante a consulta, você pode informar qual o período de vigência você quer verificar, inclusive está sempre exposta à taxa atual, definida na última reunião do Copom.

Considerações

A Selic é um dos principais instrumentos da política monetária no Brasil. Ao longo de seus mais de 20 anos em operação na economia brasileira, ela permitiu preservar a rentabilidade dos investimentos com lastro público e proteger o poder de compra da população.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) composto pelos ministros e o presidente do Banco Central tem uma importante missão social ao acompanhar e medir o desenvolvimento da atividade econômica, fazendo os ajustes da taxa Selic.

Pessoalmente, acompanhar a trajetória da Taxa Selic é importante para diferentes perfis, seja para quem busca taxas de juros mais baixas para seus financiamentos, linhas de crédito mais acessíveis ou para quem procura maximizar a rentabilidade de aplicações financeiras nos momentos de alta dos juros.

Considerar os próximos passos da Selic pode ser um dos fatores mais relevantes para a tomada de decisão diante de oportunidades de investimentos.

Agora que você sabe tudo sobre a taxa Selic, confira este material completo sobre o Tesouro Direto e avance seus conhecimentos na renda fixa.

Relacionados

Investimento em ações para iniciantes: 6 dicas para sair do zero e começar agora

Investir em renda variável pode ser uma oportunidade para rentabilizar a carteira e ter possibilidades de ganhos maiores, principalmente no longo [...]

Guide Investimentos - 19/10/2021

4 estratégias de investimento para quem está começando na renda variável

Quem está começando a investir na renda variável precisa adotar estratégias de investimento. Isso é importante para reduzir riscos e ter [...]

Guide Investimentos - 14/10/2021

A porta está trancada. Nesse caso, crie a sua própria porta

"A porta está trancada. Nesse caso, crie a sua própria porta." Essa é uma passagem icônica do filme O Labirinto do [...]

Adriana Nogueira - 11/10/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções