Cotações por TradingView

O que é CDI e como ele se relaciona com o seu dinheiro?

Tempo de leitura: 5 minutos

O Certificado de Depósito Interbancário, mais conhecido como CDI, é a média das taxas de juros praticadas nas operações de empréstimo realizadas diariamente entre os bancos. Por ser referenciada à taxa Selic, o CDI é considerado livre de risco da economia.  

A taxa DI serve como benchmark para várias aplicações, como as de baixíssimo risco e curto prazo, o que faz com que ela não seja de interesse somente das instituições financeiras, mas também dos investidores.

Continue a leitura deste guia financeiro e entenda, de maneira simples, como o CDI influencia a rentabilidade de sua carteira de investimentos.

O que veremos neste material
Significado de CDI
Qual é a relação do Banco Central com o CDI?
Na prática, como o CDI afeta as suas aplicações financeiras?
Exemplos de investimentos com rentabilidade atrelada ao CDI?
Como verificar o valor do CDI hoje?
Há previsão para a taxa DI em 2022?
Conclusão

Significado de CDI

O CDI é mais uma das siglas que compõem a “sopa de letrinhas” do mercado financeiro. Ele representa os empréstimos feitos entre as instituições financeiras e demonstra qual a taxa de juros praticada entre elas.

O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é calculado e divulgado pela CETIP, Central de Liquidação Financeira de Títulos Privados, instituição responsável pelo registro eletrônico das negociações.

Vale lembrar que em 2017 a CETIP foi incorporada à bolsa de valores do Brasil, a B3.

Quando se diz que a rentabilidade de um investimento é de 100% do CDI, isso significa que o investidor terá um retorno equivalente à taxa média dos juros praticados nos empréstimos interbancários.

Em outras palavras, imagine que em determinado período o rendimento mensal do CDI foi de 1%, esse valor representaria os 100% do CDI no mês.

Qual é a relação do Banco Central com o CDI?

Por determinação do Banco Central do Brasil, as instituições financeiras no país são obrigadas a terminar o dia com saldo positivo. Trata-se da Regra de Basiléia que visa manter a estabilidade do sistema financeiro nacional.

Dessa maneira, as instituições financeiras recorrem diariamente ao mercado interbancário para tomar valores emprestados e evitar que fiquem com saldo negativo.

Em geral, isso acontece quando há mais saques e transferências do que a entrada de dinheiro por meio de depósitos e pagamentos. Nesse momento, uma instituição recorre a outra, tomando por referência a taxa de DI como base dos juros para o crédito tomado.

Na prática, como o CDI afeta as suas aplicações financeiras?

O CDI tornou-se uma taxa de referência de rentabilidade no mercado financeiro, sobretudo entre os ativos de renda fixa, como percentual de remuneração de títulos privados e benchmark para fundos de investimentos.

Se por um lado o cidadão comum não pode investir diretamente no CDI, por outro as instituições financeiras podem utilizá-lo para definir a taxa de rentabilidade de alguns tipos de investimento.

Na prática, os ativos atrelados ao CDI são sensíveis às suas variações. Além disso, a forma de remuneração (prefixado ou pós-fixada) também exerce forte influência sobre o desempenho.

Como o CDI baseia-se na Selic, taxa básica de juros definida pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central, é natural que as flutuações, de alta ou de baixa, dos juros sejam refletidas nele.

Logo, em cenários de juros baixos o retorno dos investimentos indexados ao CDI tende a ser menor. Ao passo que, aqueles com remuneração preestabelecida podem se beneficiar. Já em momentos de alta, os ativos pós-fixados se beneficiam.

computador com uma caneta e calculadora ao lado

Exemplos de investimentos com rentabilidade atrelada ao CDI?

Os investimentos em renda fixa normalmente utilizam o CDI como índice de referência.

Entre os títulos privados mais conhecidos estão o Certificado de Depósito Bancário – CDB, a Letra de Crédito do Agronegócio – LCA, Letra de Crédito Imobiliário – LCI, Letra de Câmbio – LC, além de alguns Certificados de Recebíveis Agrícolas e Imobiliários – CRAs e CRIS.

Os fundos de investimentos representam outra modalidade que, em sua grande maioria, também utilizam o CDI como benchmark.

No caso dos títulos de renda fixa, a porcentagem do CDI varia de banco para banco e conforme o prazo de vencimento. É comum que ativos de longo prazo apresentem taxa de rentabilidade mais atrativa, quando comparados aos que possuem liquidez diária.

Como verificar o valor do CDI hoje?

O CDI é atualizado diariamente e quem possui aplicações indexadas a ele pode acompanhar facilmente suas variações e evolução ao longo do tempo.

Essa informação é disponibilizada na página da B3. Nela, o investidor também pode consultar a série histórica da taxa DI, que teve início em 1986.

Há previsão para a taxa DI em 2022?

A taxa DI e a Selic andam lado a lado. Sendo assim, para entender a previsão da taxa DI em 2022, é preciso analisar as perspectivas para a taxa Selic neste período.

Toda segunda-feira, o Banco Central, através do Relatório Focus, apresenta as expectativas do mercado para os principais indicadores econômicos utilizados no país, dentre eles a taxa de juros.

O Brasil vive um movimento de alta da Selic para conter a inflação. A perspectiva até o momento é que esse cenário permaneça. O que consequentemente reflete no desempenho do CDI.

Conclusão

Os títulos de renda fixa indexados à taxa DI são uma alternativa interessante para todos os investidores, em especial os mais conservadores.

Em geral, essas pessoas não buscam aumentar sua exposição ao risco, mas também não querem ter um retorno abaixo do que é negociado no mercado interbancário.

Para esses investidores, a alta da taxa Selic pode ser um bom momento para aproveitar oportunidades e voltar a garantir resultados melhores sem grandes emoções.

Mas atenção: nem todo produto de renda fixa indexado ao CDI é conservador. Por isso, antes de começar a investir faça uma análise aprofundada dos títulos ou fundos escolhidos para compor a sua carteira de investimentos. Faça o mesmo com os emissores e prazos de resgate.

Quer ampliar seus conhecimentos sobre o mercado financeiro? Conte com o time de assessores da Guide Investimentos e conheça outros tipos de aplicação, que contribuem na rentabilidade de sua carteira.

Relacionados

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021

O que é RDB? Aprenda a investir nesse título!

A renda fixa oferece investimentos com diferentes características. Há, por exemplo, os títulos públicos, as aplicações privadas e, ainda, as alternativas [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021

O que é Tesouro SELIC?

O Tesouro Selic é considerado uma das aplicações financeiras da renda fixa mais seguras do Brasil. Ele é um dos títulos [...]

Syntax Finance - 24/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções