O que é imposto sobre operações financeiras? Descubra!

Tempo de leitura: 5 minutos

São tantos impostos que incidem sobre operações e investimentos que, muitas vezes, se torna difícil entendê-los, não é mesmo? Um desses impostos é o IOF — que incide sobre compras internacionais com cartão de crédito e sobre investimentos. Mas, afinal, o que é imposto sobre operações financeiras?

O IOF é cobrado de pessoas físicas e jurídicas em operações de crédito, de câmbio e seguros. Como você pode ver, ele aparece em diferentes situações, com uma taxa determinada para cada uma delas. Por isso, vale a pena conhecê-lo.

O que veremos neste artigo?
O que é IOF e como ele funciona?
Como é a cobrança do imposto sobre os investimentos?
Em quais operações há incidência do IOF?
Por que conhecer o imposto sobre operações financeiras?

Quer saber mais sobre ele? Então confira a seguir as principais informações sobre o IOF e sua incidência — inclusive sobre investimentos. Acompanhe!

O que é IOF e como ele funciona?

IOF é a sigla para imposto sobre operações financeiras. Trata-se de um tributo cobrado pelo Governo Federal, tendo como objetivo fazer o controle da economia do país. Uma maior arrecadação significa um volume grande de movimentações financeiras.

Contudo, não é possível estabelecer uma relação tão simplista — relacionando o aumento da arrecadação com o crescimento econômico. Isso porque o IOF incide também sobre empréstimos e financiamentos.

Logo, uma arrecadação mais alta pode indicar que as pessoas estão buscando mais crédito junto às instituições. É importante, ainda, destacar que não há uma taxa única do imposto. A cobrança pode variar, de acordo com o valor e tempo — como acontece no resgate de investimentos.

Como é a cobrança do imposto sobre os investimentos?

Agora que você já viu o que é o imposto sobre operações financeiras, precisa entender como ele é cobrado do investidor. Afinal, quando você decide fazer um investimento, além de avaliar qual será o seu retorno, precisa conhecer as taxas e tributação, certo?

Além da incidência do Imposto de Renda (IR), pode ocorrer a cobrança de IOF em diversos investimentos, como:

  • Fundos DI;
  • Fundos de curto prazo;
  • Tesouro Direto;
  • CDBs (certificado de depósito bancário);
  • LCs (letras cambiais).

Se você nunca chegou a ser cobrado por esse imposto, uma possibilidade é não ter feito resgates com menos de 30 dias da aplicação. Afinal, o IOF só é cobrado quando você resgata o valor com um prazo menor do que esse.

Além disso, a cobrança é regressiva: quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado nesse período, menor será a incidência do IOF. Logo, em muitos casos, ele não tem um impacto tão forte na rentabilidade, podendo passar até mesmo despercebido pelos investidores.

Veja a tabela de alíquotas do IOF sobre o rendimento dos investimentos aplicáveis:

Dias corridos após a aplicação% de IOF sobre o rendimento
196%
293%
390%
486%
583%
680%
776%
873%
970%
1066%
1163%
1260%
1356%
1453%
1550%
1646%
1743%
1840%
1936%
2033%
2130%
2226%
2323%
2420%
2516%
2613%
2710%
286%
293%
300%

Vale destacar também que a alíquota do IOF incide sobre o rendimento que você obteve e não sobre o total que está investido. Além disso, investimentos isentos de Imposto de Renda também costumam não cobrar IOF. É o caso da poupança, LCIs, LCAs e outros.

Em quais operações há incidência do IOF?

Como você viu, além dos investimentos, dependendo do tempo de resgate, ocorre a incidência de IOF em outras operações financeiras variadas.

Confira algumas delas a seguir:

Operações de câmbio

Quando você compra ou vende moeda estrangeira em espécie, precisa pagar um percentual de IOF sobre a operação. Se precisar enviar dinheiro do Brasil para o exterior também há cobrança.

Nesse caso, a alíquota é diferente para contas do mesmo titular ou de outros titulares. Já quando o envio do dinheiro é feito do exterior para o Brasil, a incidência de IOF é a mesma em ambos os casos.

Seguros

Nos seguros também existe cobrança de IOF sobre o prêmio ou quantia paga à seguradora. A alíquota varia bastante, a depender do tipo de seguro.

Empréstimos e financiamentos

Nas operações de empréstimos e financiamentos, há uma taxa de imposto sobre o valor total acrescido de uma porcentagem por dia. No entanto, para financiamentos de imóveis residenciais, há isenção do IOF.

Cheque especial e crédito rotativo do cartão de crédito

No cheque especial ou crédito rotativo (quando você paga apenas uma parte do valor total da fatura), além dos juros, há também a incidência do IOF. Por isso, é importante se planejar financeiramente para evitar a cobrança — e as dívidas.

Compra no cartão de crédito no exterior

Quem viaja para outro país e utiliza o cartão de crédito ou um cartão pré-pago também verá uma cobrança de IOF na fatura. Ele incide também sobre compras realizadas no Brasil, mas atreladas a moedas internacionais.

Por que conhecer o imposto sobre operações financeiras?

Você acompanhou o que é imposto sobre operações financeiras e suas respectivas taxas. Mas, por que é importante conhecer essa cobrança? Como vimos, ela está presente em diversas operações. Logo, pode afetar suas finanças sem que seja percebido.

Assim, vale a pena entender do assunto para evitar surpresas desagradáveis. Ao conhecer a taxação, é possível avaliar a alíquota e se planejar — e não comprometer suas finanças.

É possível, por exemplo, planejar:

  • não resgatar o dinheiro aplicado de investimentos em Tesouro Direto, CDBs e outros antes de 30 dias da aplicação;
  • organizar suas finanças para evitar usar o cheque especial e o crédito rotativo;
  • ao viajar para o exterior, preferir levar a moeda estrangeira em espécie para reduzir o uso do cartão de crédito e pagar menos IOF;
  • calcular se vale a pena a compra realizada online em sites internacionais, pesquisando primeiro se o produto é vendido em sites nacionais para não ter que arcar com a alíquota do IOF.

Agora você sabe o que é imposto sobre operações financeiras e conhece em quais movimentações financeiras há incidência de IOF. Então fique atento a essa alíquota para planejar suas finanças e investimentos da melhor forma!

Quer continuar seu aprendizado? Então descubra como declarar seus investimentos no IR!

Relacionados

Uma coletânea sobre indicadores fundamentalistas

Entender sobre indicadores fundamentalistas é um dos pontos principais para que o investidor comece a analisar negócios. Um ponto importante a [...]

Suno Research - 05/05/2021

O que o BBB e o fenômeno Juliette podem te ensinar sobre ações?

Depois do sucesso do BBB 20, o Big Brother 21 também veio com tudo, mas do seu jeito. O programa de [...]

Guide Investimentos - 04/05/2021

Volatilidade: o que é e como ela afeta os seus investimentos

Para iniciar uma performance investidora é preciso compreender termos intrínsecos ao trade. Volatilidade com certeza é uma palavra presente no cotidiano [...]

Syntax Finance - 04/05/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções