O que é CRA, como funciona e como investir em 2020

Diante de tantas incertezas econômicas que assolam o mundo atualmente, se torna indispensável escolher ativos que resguardem o seu patrimônio. Se você se preocupa com as suas finanças, aproveite esse momento para buscar alternativas de investimento que vão além da poupança. Nesse contexto, o CRA pode ser uma excelente opção, com lastro na produtividade do agronegócio, esta modalidade pode trazer mais rentabilidade em seu portfólio.

O que veremos neste artigo?
O que é CRA?
Qual é a rentabilidade do CRA?
Quais são as vantagens?
Quais são as desvantagens?
Qual é o prazo de investimento?
Qual é o investimento mínimo?
Diferença entre CRA e CRI?
Qual é o cenário atual?
CRA ou LCA: qual a melhor escolha?
Como investir em CRA
Conclusão

Ficou interessado? Saiba tudo sobre esse papel e descubra se ele é ideal para você.

O que é CRA?

O Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) é um investimento de renda fixa que surgiu como uma promessa de pagamento futuro. Os ativos de crédito são emitidos por companhias securitizadoras, sendo seu principal objetivo captar recursos para promover o financiamento de um determinado setor. 

O CRA é um recebível vinculado especificamente às atividades da agropecuária, abrangendo negócios, na grande maioria, entre produtores rurais e cooperativas. O recurso gerado ao comprar este papel é destinado a maximização da produção do agronegócio, como a aquisição de insumos e maquinários. 

Na prática, uma empresa em busca de auferir o capital necessário para avalancar sua produtividade, entra em contato com uma instituição e emite um título de dívida.  Esse processo é realizado sob condição de empréstimos ou financiamentos. As securitizadoras transformam esses contratos em papéis e os disponibilizam para investidores. Os certificados, por sua vez, são remunerados de acordo com o nível de risco e o prazo de vencimento. 

Qual é a rentabilidade do CRA?

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), semelhante a outros ativos de renda fixa, costumam adotar a seguinte estrutura de rentabilidade: 

•Prefixada: 

Neste caso é possível calcular o valor exato que o investidor receberá no vencimento do papel, pois a taxa é prefixada e não sofre alteração ao longo do contrato. 

Pós-fixada: 

Já para ativos que apresentam essa natureza, a remuneração é revelada apenas no momento do resgate ou no final do prazo de vencimento. Isso acontece porque os CRAs pós-fixados, em sua forma mais comum, são vinculados à Selic ou CDI, logo seguem a tendência desse indicador. 

Atrelada à inflação:

Para esses certificados, existe uma taxa prefixada, conhecida antes da aplicação, e outra pós-fixada medida por índices de preços como IPCA ou IGP-M

Quais são as vantagens?

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio possuem algumas vantagens em relação a outros títulos de renda fixa. Diferente do que acontece com os CDBs e títulos públicos, que possuem alíquotas sobre a rentabilidade, os CRAs são isentos de Imposto de Renda (para pessoa física) e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Além disso, algumas corretoras não cobram taxa de corretagem, custódia e de administração. 

Os CRAs são formados sob ‘’regime fiduciário’’, assim os certificados de recebíveis não ficam expostos ao risco da securitizadora. Em outras palavras, se a companhia que emitiu o papel passar por dificuldades financeiras, o investidor não será afetado. 

Quais são as desvantagens?

A principal desvantagem dos certificados de recebíveis é a baixa liquidez dos papéis. Logo, é preciso recorrer ao mercado secundário, para reaver o recurso alocado neste ativo.

Outra questão que precisa ser avaliada, é que diferente de investimentos como CDB e LCI, os CRAs não possuem proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), não havendo garantia de receber o valor investido. 

Qual é o prazo de investimento?

Por via de regra, os CRAs são ativos com vencimento de longo prazo. A duração desse tipo de contrato pode variar de 2 até 15 anos. Na maioria dos casos, o investidor precisa aguardar até o final para resgatar sua aplicação. Por isso, avalie se seu objetivo é de curto, médio ou longo prazo, antes mesmo de começar a investir.

Qual é o investimento mínimo?

O valor mínimo inicial para adquirir um certificado de recebíveis do agronegócio costuma girar em torno de R$1.000,00 a R$5.000,00. Contudo, existem alguns títulos restritos apenas a investidores qualificados, os quais possuem mais de um milhão de reais investidos.

Diferença entre CRA e CRI?

Os certificados de recebíveis são mecanismos criados para captar recursos e financiar um determinado setor. Apesar de apresentarem a mesma finalidade, o que diferencia os ativos CRI do CRA é a origem do crédito dos recebíveis securitizados.  

O CRI é um título de renda fixa atrelado ao setor imobiliário, logo os valores auferidos neste papel são destinados para o financiamento de construções, contratos de aluguéis, entre outros. Já o CRA tem lastro em operações de crédito presentes no ramo da agropecuária, como insumos, maquinários e etc. 

Qual é o cenário atual?

O cenário atual dos investimentos de renda fixa tem se tornado cada vez mais desafiador. A taxa básica de juros, Selic, a qual remunera grande parte desses ativos, encontra-se no menor patamar histórico, 2,25% ao ano.

Entretanto, esse contexto de yields mais baixos pode proporcionar novas possibilidades mais atraentes em relação ao risco e retorno, como por exemplo, o CRA. Isso acontece, pois as empresas conseguem adquirir empréstimos e financiamentos com juros mais baixos e emitem contratos de dívida com um prêmio (rentabilidade) maior. Esse movimento pode ser benéfico para quem ainda deseja continuar nesse mercado e não quer migrar para a renda variável. 

CRA ou LCA: qual a melhor escolha?

Agora que você já aprendeu o que é CRA, é importante entender a diferença com LCA, a fim de tomar a melhor decisão na hora de investir. Ambos são títulos de renda fixa atrelados ao setor do agronegócio e possuem isenção de imposto de renda. Contudo, o CRA costuma ser emitido com vencimentos superiores em relação ao LCA, logo possui remuneração proporcionalmente maior. 

Outro ponto a ser analisado, é o cenário macroeconômico do país. Esse dois ativos são rentabilizados a partir de indicadores econômicos. Normalmente, quando a taxa básica de juros (Selic) está em queda, os certificados de recebíveis do agronegócio (CRA) costumam ser mais atrativos. Portanto, a melhor escolha será sempre baseada na avaliação do perfil e objetivo de cada investidor. 

Como investir em CRA

Para começar a investir em CRA, é necessário abrir uma conta em uma corretora, considerando os custos de operação, qualidade e eficiência da plataforma, além da variedade de produtos de investimentos oferecidos. Feito isso, basta efetuar a transferência do valor a ser investido e executar a ordem de compra.

Conclusão

Com o cenário atual de juros baixos, os ativos que pagam maior prêmio de risco tem se destacado, é o exemplo dos CRAs. Além de apresentar maior rentabilidade diante de outros ativos de renda fixa, ainda possui isenção de IR e IOF. Busque sempre a diversificação de seu portfólio e garanta mais resultados em seus investimentos. 

Agora que você já sabe mais sobre CRA, abra sua conta na Guide e invista nesse e outros tipos de investimentos!

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções
Bitnami