CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

O que é a rentabilidade nos investimentos e como calculá-la?

9 de fevereiro de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 7 min
Compartilhar
Tempo de leitura: 7 min

Uma das maiores preocupações de quem investe é a rentabilidade dos investimentos. Afinal, ela tem grande contribuição no aumento de capital e, consequentemente, na realização de objetivos financeiros. Contudo, você sabe o que é rentabilidade e como calculá-la?

Entender esse conceito é importante porque, no mercado financeiro, existem oportunidades na renda fixa e na renda variável. Com isso, a rentabilidade em cada uma delas é diferente, bem como a forma de cálculo para avaliar o potencial de retorno e os resultados obtidos.

Se você quer aprender mais sobre o tema, continue a leitura e confira o que é a rentabilidade nos investimentos e como fazer esse cálculo!

O que é a rentabilidade?

A rentabilidade é o valor de remuneração de um investimento expresso em percentual. Ou seja, representa a porcentagem que você recebeu ou receberá ao investir em determinada alternativa — seja ela de renda fixa ou variável.

Ao ter ciência dessa informação, você pode fazer projeções, comparar investimentos, se planejar para novos aportes, entre outras práticas. Ademais, é preciso ter mente que o investimento com maior rentabilidade será a melhor escolha. Isso porque fatores como liquidez e segurança também devem ser considerados.

Entretanto, ao entender o que é a rentabilidade de um investimento, fica mais fácil avaliar todos os fatores para tomar uma decisão alinhada com o seu perfil e objetivos. Logo, você investirá o seu dinheiro com mais segurança e precisão, aumentando suas chances de sucesso.

Como funciona a rentabilidade nos investimentos?

Após conhecer o conceito de rentabilidade, é preciso saber como ela funciona. No mercado financeiro, existem dois principais tipos de rentabilidade. Assim, elas devem ser consideradas em suas decisões.

Veja!

Rentabilidade nominal

A rentabilidade nominal geralmente pode ser encontrada junto às informações do investimento — especialmente na renda fixa. Assim, ela representa a proposta de remuneração da alternativa de investimento.

Por exemplo, um título do Tesouro Selic se propõe a pagar 100% da Selic. Isso significa que sua rentabilidade nominal contempla toda a variação que ocorrer na taxa Selic (a taxa básica de juros) até sua data de vencimento.

Já na renda variável, não é apresentada nenhuma rentabilidade ao investidor. Afinal, nessa classe de investimentos, não é possível antever os resultados devido às oscilações do mercado. Portanto, caberá ao investidor a realização do cálculo com base nos resultados que obtiver.

Imagine, por exemplo, que um investidor comprou um lote de 100 ações de uma empresa, pagando R$ 10 por ação — totalizando R$ 1 mil. Se no mês seguinte o papel estiver cotado a R$ 15 e ele decida vendê-las, sua rentabilidade nominal será de 50%, já que receberá R$ 1,5 mil.

Ainda, é possível subdividir a rentabilidade nominal em dois tipos: a bruta e a líquida. A rentabilidade nominal bruta diz respeito ao percentual recebido sem nenhum desconto, como você viu nos exemplos. Na rentabilidade nominal líquida, por sua vez, são descontados os custos e impostos.

Rentabilidade real

Em contrapartida, a rentabilidade real envolve o retorno do investimento após abatidos também os efeitos da inflação, a qual todo o mercado está exposto.

Vale destacar que a inflação é um indicador econômico que mede a variação de preços de produtos e serviços. No Brasil, ela é representada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que demonstra a evolução do poder de compra do dinheiro.

Então, quando você faz um investimento, é pertinente descontar o quanto o capital investido variou por conta da inflação. Afinal, o poder aquisitivo de R$ 1 mil investidos hoje pode não ser o mesmo quando o investimento for resgatado.

Na prática, a rentabilidade real de um investimento é calculada com base na seguinte fórmula:

Rentabilidade Real = (1 + rentabilidade nominal) / (1 + inflação) – 1 x 100

Utilizando como exemplo um título do Tesouro Prefixado com juros de 10% ao ano e uma inflação de 5% no período, o cálculo seria:

Rentabilidade Real = (1 + 0,1) / (1 + 0,05) – 1 x 100

Rentabilidade Real = 1,1/1,05 -1 x 100

Rentabilidade Real = 1,04 – 1 x 100

Rentabilidade Real = 0,047 x 100

Rentabilidade Real = 4,7%

Assim, a rentabilidade real nesse exemplo seria de 4,7% no período de 12 meses. Ademais, é preciso destacar que, se a rentabilidade real fica abaixo da inflação, ela é chamada de rentabilidade negativa. Ou seja, os ganhos não foram suficientes para repor o poder aquisitivo da moeda.

Nesse contexto, obtendo uma rentabilidade negativa, o investidor terá perdido dinheiro. Isso costuma acontecer com frequência na tradicional caderneta de poupança — uma aplicação conhecida por sua segurança. Afinal, ela costuma ter rendimentos abaixo da inflação.

Portanto, é importante calcular a rentabilidade real dos seus investimentos para identificar aqueles que, na verdade, não estão trazendo um retorno efetivo.

Como calcular a rentabilidade dos investimentos?

Depois de aprender como calcular a rentabilidade real, talvez você esteja interessado em saber quais outros cálculos podem ser feitos para saber a rentabilidade de um investimento.

Confira a seguir!

Na renda fixa

Nos investimentos de renda fixa, o cálculo pode ser bastante simples. Para tanto, você pode aplicar a seguinte fórmula:

Rentabilidade = Rendimento Líquido / Valor Investido x 100

Porém, quando fizer o cálculo, não se esqueça de abater os impostos, além das taxas administrativas e operacionais, se houver. Logo, o rendimento líquido representa a quantia disponível para o investidor, após todos os descontos realizados.

Suponha, por exemplo, que você investiu R$ 5 mil em uma alternativa de renda fixa que proporcionou um resultado de R$ 1 mil. Ademais, considere que sobre ele incide o Imposto de Renda de 20% e que não existiam outras taxas. A conta será feita dessa forma:

Rentabilidade = 1.000 – 200 (20% de IR) x 100 / 5.000

Rentabilidade = 800 x 100 / 5.000

Rentabilidade = 80.000/ 5.000

Rentabilidade = 16 %

Na renda variável

Em relação aos investimentos de renda variável, como visto, não é possível prever um resultado para o aporte. Contudo, é possível fazer o cálculo para saber a rentabilidade passada de maneira simples. A fórmula, nesse caso, é a seguinte:

Rentabilidade = (preço atual / preço anterior) x 100 – 100

Use como exemplo uma ação que foi adquirida por R$ 15 no início do ano. Agora, imagine que o papel alcançou R$ 18 no mesmo período do ano seguinte. Nesse caso, você terá este cálculo:

Rentabilidade = (18 / 15) x 100 – 100

Rentabilidade = 1,2 x 100 – 100

Rentabilidade = 120 – 100

Rentabilidade = 20%

Qual a diferença entre rendimento, rentabilidade e lucratividade?

Chegando até aqui, você já aprendeu bastante sobre rentabilidade, mas não pode cometer o erro de confundi-la com rendimento e lucratividade. Portanto, é válido saber a diferença entre cada conceito.

Como você viu, rentabilidade representa a porcentagem de remuneração que um investimento paga ao investidor depois de um período. Por outro lado, o rendimento é o valor recebido ao final do investimento.

Por exemplo, imagine uma LCI (letra de crédito imobiliário) que pague 6% ao ano. Ao investir R$ 1 mil nela, você terá a rentabilidade de 6% e o rendimento de R$ 600 no período — considerando a aplicação de juros simples.

Já em relação à lucratividade, seu significado é simples. Ela representa o ganho efetivo do investidor após descontar todos os emolumentos e impostos aplicáveis. Portanto, esse conceito representa a quantia que será levantada após o resgate do investimento.

No exemplo acima, suponha que as taxas somem R$ 10 e os impostos sejam equivalentes a R$ 50. Com isso, a lucratividade do investimento será R$ 540. Você pode notar que a rentabilidade e o retorno continuam os mesmos (6% e R$ 600, respectivamente), mas a lucratividade será de R$ 540.

Por que é importante conhecer esses conceitos?

Como foi possível aprender, conhecer os conceitos de rentabilidade, rendimento e lucratividade são importantes para tomar as melhores decisões de investimentos. Afinal, muitas vezes os investidores são atraídos pela maior proposta de rendimentos, mas nem sempre isso significa que ela é lucrativa.

Logo, saber como calcular se o investimento efetivamente trará o retorno esperado pode evitar frustrações futuras. Investir na poupança, por exemplo, pode aparentar ser seguro e rentável, mas, como você viu, é comum ela apresentar rentabilidade negativa e fazer o investidor perder dinheiro.

Do mesmo modo, a análise da rentabilidade é importante para identificar o desempenho da sua carteira e auxiliar nas próximas decisões sobre os seus aportes. Portanto, não deixe de considerar esses conceitos no momento de fazer um investimento.

Além disso, paute suas escolhas no seu perfil de investidor e objetivos financeiros. Afinal, não adianta você investir em alternativas arriscadas, buscando alta rentabilidade, se o seu perfil não for condizente com os riscos presentes nelas, por exemplo.

Pelo contrário, realizar um investimento pensando apenas na rentabilidade — sem considerar os riscos, a segurança e a liquidez — pode ser prejudicial para o seu patrimônio e futuro financeiro. Por isso, é preciso atenção.

Neste artigo, você conferiu o que é rentabilidade e como calculá-la. Assim, há como aplicar esse conceito em suas análises para investir com mais propriedade e segurança — seja na renda fixa ou na renda variável.

O que você achou deste conteúdo? Aproveite para destravar todo o seu conhecimento sobre o mercado financeiro: seja um assinante do Guia Financeiro!

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também