Nos EUA, Fauci alerta sobre flexibilização, mas diz ser crível meta de Biden

Tempo de leitura: 1 minuto

O principal especialista da Casa Branca para doenças infecciosas, Anthony Fauci, alertou neste domingo, 14, sobre os riscos de aliviar as medidas de isolamento nos Estados Unidos. Segundo ele, o país pode viver uma nova disparada de contágios, assim como aconteceu na Europa, caso as restrições sejam retiradas cedo demais.

“O continente europeu parece estar sempre algumas semanas à nossa frente no que diz respeito à dinâmica do surto. A Europa atingiu o platô depois de recuar um pouco. Pensavam que estavam livre do vírus, mas não era o caso. Agora, estão vendo novamente uma aceleração de casos”, afirmou Fauci em entrevista ao canal americano Fox News.

Os alertas do especialista acontecem após alguns Estados, como o Texas, começarem a permitir a reabertura de empresas em plena capacidade, retirando ainda a obrigatoriedade do uso de máscaras, contrariando as instruções de órgãos de saúde pública. Fauci classificou como “arriscada e potencialmente perigosa” a decisão das autoridades texanas.

Enquanto isso, o presidente americano, Joe Biden, pressionou os Estados a permitirem elegibilidade de vacina para todos os adultos até 1º de maio. No dia da assinatura do pacote fiscal, o democrata apresentou a projeção de que pequenas aglomerações serão possíveis já no feriado de 4 de Julho. Na entrevista deste domingo, Fauci considerou essas metas “bastante razoáveis”.

O especialista da Casa Branca disse ainda que seria de grande ajuda se o ex-presidente Donald Trump incentivasse seus apoiadores a se vacinarem contra o coronavírus.

“Acho que faria uma grande diferença”, disse Fauci à Fox News. “Ele é uma figura muito popular entre os republicanos. Se fizesse esse apelo para que as pessoas fossem imunizadas, me parece absolutamente inevitável que a vasta maioria de seus seguidores próximos o ouviria.”

Até este domingo, mais de 534 mil pessoas morreram nos EUA em decorrência do vírus, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. O país registrou mais de 29 milhões de casos. Embora as hospitalizações tenham caído no território americano, novas variantes estão se espalhando.

Relacionados

Iraque: drone com explosivos ataca base aérea dos EUA; não há relatos de vítimas

Um drone com explosivos atacou uma base aérea dos Estados Unidos no norte do Iraque nesta quarta-feira, 14, no aeroporto de [...]

Estadão - 14/04/2021

OMC e OMS discutem compartilhamento de know-how e maior produção de vacinas

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, afirmou nesta quarta-feira, 14, que o mundo deve "explorar todas as [...]

Estadão - 14/04/2021

Painel do CDC adia voto sobre riscos de coágulo com uso vacina da J&J

Um painel consultivo federal se recusou nesta quarta-feira, 14, a votar sobre como a vacina contra a covid-19 da Johnson & [...]

Estadão - 14/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções