Primeiro-ministro da Índia pede isolamento apesar de queda nos casos de covid-19

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, reforçou neste sábado que o número de casos de coronavírus no país está diminuindo, mas que “não há espaço para complacências”. Em sua conta do twitter, ele fez um apelo para que a população continue usando máscaras, lavando as mãos e respeitando o isolamento social. “Nós temos que seguir trabalhando juntos e lutando contra a pandemia de covid-19”, publicou.

Modi também disse que o país possui três vacinas em estágio avançado de desenvolvimento e que equipes de pesquisa indianas estão auxiliando na pesquisa de países vizinhos, dentre eles, Afeganistão, Bangladesh, Nepal e Sri Lanka. Ele participou de uma reunião pela manhã com cientistas e autoridades da área da saúde para discutir um planejamento para a entrega e distribuição das vacinas. “Estamos empenhados em garantir o acesso rápido à vacina. Para isso, está em andamento um planejamento avançado em temas como: cadeias de armazenamento refrigerado, redes de distribuição, mecanismo de monitoramento e avaliações antecipadas”, publicou ele na rede social.

Neste sábado, a Índia identificou 62.212 novos casos da doença no levantamento diário, aumentando para mais de 7,4 milhões o número de infectados no país. As novas mortes somaram 837 na mesma base de comparação. Com isso, o país acumula 112.998 mortos pela doença.

Relacionados

Trump: Biden quer 'enviar' empregos para China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou seu rival na disputa pela Casa Branca, Joe Biden, de querer "enviar" os [...]

Estadão - 27/10/2020

Coronavírus: EUA têm média diária de 70 mil novos casos, a maior já registrada

Os Estados Unidos registraram nesta terça-feira, 27, a média diária de 70.289 novos casos de covid-19, considerando-se os últimos sete dias. [...]

Estadão - 27/10/2020

Telefônica Brasil tem lucro líquido de R$ 1,212 bi no trimestre, alta de 25,5%

A Telefônica Brasil, dona da Vivo, fechou o terceiro trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 1,212 bilhão, o que [...]

Estadão - 27/10/2020

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções