Bolsonaro espera aval sobre ‘carta-branca’ no PRTB

Tempo de leitura: 2 minutos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aguarda uma resposta da família de Levy Fidelix para saber se vai se filiar ao PRTB. A negociação tem sido conduzida pelos filhos do fundador da legenda após a morte dele, dia 23. O fator que pode determinar uma futura filiação é a disposição do partido de dar carta-branca a Bolsonaro para alterar o comando de diretórios estaduais e ter peso nas decisões da Executiva Nacional.

“Ele (Fidelix) tinha suas posições, era um conservador, era uma pessoa muito parecida comigo nos seus posicionamentos”, disse Bolsonaro, em live, na noite de quinta-feira, 29. “Perdemos uma pessoa realmente que vai deixar saudades em todos nós.”

O presidente repetiu que pretende definir até o fim da semana seu futuro partidário, mas aliados acreditam que essa decisão pode demorar mais. Recentemente, Bolsonaro afirmou que procurava uma legenda para ser “dono”. No caso do PRTB, auxiliares avaliam que não faria sentido ele entrar em uma sigla nanica e não ter o controle interno.

Na terça-feira, Bolsonaro recebeu os três filhos de Fidelix. Levy Filho, Karina e Lívia estiveram no Palácio da Alvorada em uma reunião com a presença de Karina Kufa e Admar Gonzaga, advogados eleitorais do presidente, e do ministro do Turismo, Gilson Machado. Levy Filho, secretário-geral do PRTB, é o principal entusiasta da ideia de filiar Bolsonaro e se dispôs a dar total autonomia a ele. Mas Karina Fidelix resiste. Ela tem pretensões de assumir, junto com o marido, Rodrigo Tavares, presidente do PRTB-SP, o comando da sigla. Os irmãos decidiram que vão debater o assunto e que a resposta final será dada por Aldineia, viúva de Fidelix e atual presidente do PRTB.

Além do PRTB – que abriga o vice-presidente Hamilton Mourão -, Bolsonaro mantém conversas com outras siglas pequenas, como o PMB, que mudou o nome para Brasil 35, e o Democracia Cristã (DC). Antes de dizer que definiria seu destino partidário até o fim deste mês, Bolsonaro estipulou março como prazo para sua decisão. As frustradas negociações para o retorno ao PSL, no entanto, contribuíram para o atraso na escolha.

Auxiliares do presidente disseram ao Estadão que a volta dele ao PSL está descartada.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Relacionados

CPI: Flávio tenta fazer defesa de Bolsonaro e contornar fala sobre 'gripezinha'

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) compareceu ao depoimento do ex-chanceler Ernesto Araújo à CPI da Covid para tentar fazer uma defesa [...]

Estadão - 18/05/2021

Ao Conselho de Ética, Daniel Silveira diz que STF é parcial

Em prisão domiciliar, o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) acusou os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de colocarem "adubo do medo" [...]

Estadão - 18/05/2021

Toffoli suspende julgamento sobre bloqueio de pagamentos públicos à Engevix

O ministro Dias Toffoli, presidente da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu vista (mais tempo para análise) e suspendeu [...]

Estadão - 18/05/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções