Candidatura não é ‘nem oposição nem situação’ a governo, diz Simone Tebet

Tempo de leitura: 1 minuto

O MDB lançou a senadora Simone Tebet (MDB-MS) à presidência do Senado com o discurso de independência em relação ao Palácio do Planalto. O anúncio é uma estratégia para contrapor o atual presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que se aproximou do presidente Jair Bolsonaro e tenta votos para eleger Rodrigo Pacheco (DEM-MG) como sucessor.

Em coletiva de imprensa, Simone Tebet afirmou que a candidatura não é “nem oposição nem situação” ao governo e que a independência significa não ser contra o governo, mas votar as pautas importantes para o País. Ela elegeu a pauta econômica como prioridade e defendeu uma “votação relâmpago” de projetos para a retomada econômica.

De acordo com Tebet, os líderes do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), comunicarão o Palácio do Planalto sobre a decisão. “Será oficialmente anunciado para o presidente da República que o MDB tem candidato e que o MDB não vem para qualquer tipo de tensão entre as instituições e os poderes. Este é um momento de harmonia. Ou entendemos que a independência significa harmonia ou vamos desconstruir este País.”

Em nota oficial, o MDB apresentou Simone Tebet como uma candidata com postura “independente e corajosa”. “A independência no comando do Legislativo é de fundamental importância nesse período de crise, em que o interesse público precisa estar acima de qualquer disputa ideológica e política na reconstrução da economia e na imunização universal e gratuita contra a covid-19”, diz o documento.

Além disso, o partido assumiu compromisso “com a responsabilidade fiscal e social, com uma agenda de reformas estruturais urgentes, com a sustentabilidade ambiental, a redução das desigualdades sociais, a adoção de políticas capazes de frear o desemprego e alavancar a economia, além de um amplo programa nacional de imunização contra a covid-19.”

Relacionados

Bolsonaro nomeia coronel André de Sousa Costa como novo chefe da Secom

O presidente da República, Jair Bolsonaro, nomeou nesta sexta-feira, 16, o coronel da Polícia Militar André de Sousa Costa como novo [...]

Estadão - 16/04/2021

Mandatos coletivos tentam virar frente e forçar lobby no TSE

Em 2020, três meses após a eleição do mandato "A Coletiva", do PT de Belo Horizonte, a titular da chapa renunciou. [...]

Estadão - 16/04/2021

Supremo começa a julgar decretos de Bolsonaro que ampliam acesso a armas

O Supremo Tribunal Federal (STF) começa a decidir nesta sexta-feira, 16, sobre a constitucionalidade dos quatro decretos editados em fevereiro pelo [...]

Estadão - 16/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções