Dólar recua ante rivais, com otimismo por reabertura econômica

Tempo de leitura: 2 minutos

O dólar recuou ante outras divisas fortes nesta quinta-feira, 28. O otimismo com os processos de reabertura econômica levou os investidores a buscarem menos a segurança da moeda americana, ainda que as tensões entre os Estados unidos e a China continuem no radar e tenham levado o mercado acionário a recuar hoje.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía a 107,63 ienes, o euro avançava a US$ 1,1069 e a libra tinha alta a US$ 1,2313. O índice DXY, que mede a variação da divisa americana ante seis rivais, caiu 0,69%, a 98,383 pontos.

A percepção dos investidores de que os processos de reabertura econômica, em curso na Europa e em estados americanos, levarão a uma recuperação mais rápida da crise enfraqueceu o dólar. No entanto, na visão de analistas, as tensões sino-americanas ainda podem deteriorar o sentimento positivo do mercado.

“Espera-se que a relação entre as duas maiores economias do mundo esfrie significativamente nos próximos dias e as ramificações possam ser significativas”, avalia a diretora-gerente de estratégia de câmbio da BK Asset Management, Kathy Lien. No final da tarde de hoje, o presidente americano, Donald Trump, disse que fará uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira para falar sobre China.

“O maior risco para a economia global no momento não é uma guerra comercial EUA-China, mas o impacto econômico e social da covid-19”, pondera Lien. Para a analista, as notícias sobre progressos no desenvolvimento de vacinas para o novo coronavírus e a saída gradual das quarentenas têm influenciado mais os investidores.

Analista de mercado do Western Union, Joe Manimbo ressalta que o dólar perdeu mais força após a divulgação do número de novos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA na última semana, que manteve a tendência de queda. Para Manimbo, isso reforça a visão de que a economia americana já passou pelo pior da crise e afasta a busca por segurança.

O euro, segundo Manimbo, continua se beneficiando do fundo de recuperação de 750 bilhões de euros anunciado ontem pela União Europeia. A libra, apesar de especulações sobre a adoção de juros negativos no Reino Unido, também avançou sobre o dólar.

Ante divisas emergentes e ligadas a commodities, o dólar caía a 22,2548 pesos mexicanos, no final da tarde em Nova York, mas subia 68,4844 pesos argentinos e a 17,5371 rands sul-africanos.

Relacionados

Bolsonaro: fim à discriminação salarial pode piorar situação de mulheres

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sugeriu que arranjar emprego pode se tornar "quase impossível" para as mulheres, caso ele sancione [...]

Estadão - 22/04/2021

Bolsonaro diz que críticas à política ambiental do seu governo não se justificam

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avaliou mais uma vez como injustas as críticas que o Brasil sofre por causa da [...]

Estadão - 22/04/2021

Na Cúpula do Clima, FMI pede preço robusto para o carbono

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, pediu nesta quinta-feira, 22, que se imponha um preço robusto sobre o [...]

Estadão - 22/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções