Moedas globais: dólar sobe ante maioria das moedas

Tempo de leitura: 2 minutos

O dólar operou em alta com relação à maioria das divisas, em meio à divulgação de dados negativos na zona do euro que levaram a moeda única a se desvalorizar, e a temores com o avanço da covid-19 no Reino Unido, o que fez a libra cair. No Japão, o iene teve mais um dia de queda ante a moeda americana, após líderes locais expressarem preocupação com a força do ativo. Assim como ontem, os distúrbios em Washington tiveram efeito secundário no mercado.

O índice DXY, que mede o dólar frente a outras seis moedas de economias desenvolvidas, fechou em alta hoje de 0,33%, a 89,826 pontos. Um das principais quedas foi do iene, que de acordo com o BBH, se enfraqueceu após os “principais legisladores do Japão se reunirem em meio à crescente preocupação com o iene forte” e em busca de estabilidade no ativo local. O dólar se valorizava ante o ativo japonês e era cotado a 103,84 ienes no final da tarde em Nova York.

“Os mercados ignoraram em grande parte o caos que eclodiu em Washington ontem, quando o prédio do Capitólio foi cercado por manifestantes”, avalia a Western Union.

A consultoria aponta para o fato de que investidores continuam evitando os riscos embutidos no crescimento de curto prazo para justificar os movimentos do mercado.

O euro teve sua recuperação “resfriada por notícias preocupantes sobre a economia do bloco”, segundo a Western Union. A zona do euro continuou lutando contra a deflação em dezembro, enquanto os gastos do consumidor caíram mais de 6% em novembro, de acordo com dados publicados hoje. Ainda assim, o euro se mantém próximo do seu maior valor perante o dólar em três anos, no que a consultoria avalia que demonstra que “a sequência de vitórias ainda está viva”. Ao final da tarde, o euro se desvalorizava ante ao dólar, e era cotado a US$ 1,2268.

As preocupações com o vírus descontrolado afetando a recuperação do Reino Unido e potencialmente levando o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) a empurrar as taxas de juros abaixo de zero “colocaram um freio momentâneo no desempenho superior da libra”, segundo a Western Union.

Os lockdowns renovados são um presságio de baixa para as perspectivas de crescimento e reabriram a porta para as taxas negativas que o negócio da Brexit havia aparentemente fechado. A libra se valorizou perante o euro, mas ante o dólar caiu, e era cotada a US$ 1,3561 no final da tarde.

Relacionados

Para Receita, arrecadação de março ainda não sofreu impacto da 2ª onda da covid

O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, explicou nesta terça-feira, 20, que o resultado [...]

Estadão - 20/04/2021

Bolsas de NY fecham em baixa, com cautela no mercado por covid-19 e balanços

As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta terça-feira, 20, em sessão com cautela nos mercados, em especial com foco [...]

Estadão - 20/04/2021

Receita corrige: arrecadação de março e do trimestre é a maior desde 1995

Após divulgar que o resultado da arrecadação de março e do primeiro trimestre do ano eram recordes na série histórica a [...]

Estadão - 20/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções