Leilão de linha alivia alta do dólar à vista com exterior e cautela fiscal

Tempo de leitura: 1 minuto

O dólar à vista ampliou a alta até uma máxima a R$ 5,1168 (+0,75%) por cautela fiscal, mas o BC vendeu o lote integral de US$ 2 bilhões via leilão de linha com recompra há pouco e a moeda desacelera um pouco o ajuste, que segue ainda alinhado à valorização do dólar no exterior, afirma o estrategista Jefferson Laatus, do Grupo Laatus.

O mercado realiza, após queda acumulada do dólar de 5% em dezembro até ontem, estimulado por ruídos políticos entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que pautou para hoje a votação da extensão do auxílio emergencial de R$ 300 por mais três meses, e ainda a votação do 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família, uma despesa que pode virar permanente, diz Laatus. “Isso pode piorar a trajetória da divida pública e o problema fiscal do País”, avalia.

Os dados do setor externo ficaram em segundo plano diante da cautela fiscal, ele afirma.

Às 10h36, o dólar à vista subia 0,53%, a R$ 5,1056.

O dólar futuro de janeiro ganhava 0,92%, a R$ 5,1035, ante máxima em R$ 5,1160 (+1,17%).

Relacionados

EWZ cai 1,70% no after hours em NY, em meio a impasses fiscais do Brasil

O EWZ, principal fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) de ativos brasileiros na Bolsa de Nova York, terminou a [...]

Estadão - 12/04/2021

Peru: com 90% da apuração, resultado sugere Castillo e Fujimori em 2º turno

A apuração dos votos no primeiro turno à presidência continua a ocorrer no Peru, após o sufrágio do domingo. Com 90,040% [...]

Estadão - 12/04/2021

Em assembleia tensa, acionistas da Petrobras destituem Castello Branco

O governo venceu a batalha com o mercado financeiro e conseguiu eleger 7 dos 8 nomes que indicou ao conselho da [...]

Estadão - 12/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções