BC da Rússia aumenta taxa básica de juros, de 5% a 5,5%, ante alta da inflação

Tempo de leitura: 1 minuto

O Banco da Rússia anunciou nesta sexta-feira, 11, que decidiu aumentar a taxa básica de juros em 50 pontos-base, a 5,5% ao ano, e sinalizou para novas elevações nas próximas reuniões. Em comunicado, a autoridade monetária justificou a decisão com a escalada da inflação, que avança em ritmo mais acelerado do que o previsto e deve ficar ao redor de 4% ao longo do segundo semestre.

Segundo a nota, o movimento reflete “fatores persistentes” relacionados ao crescimento econômico forte, que leva a demanda a crescer em ritmo mais rápido do que a capacidade de produção, além da valorização das commodities no mercado global. “Levando-se em conta as altas expectativas de inflação, o balanço de riscos mudou significativamente para pró-inflacionário”, explica.

O BC russo pontua que a atividade econômica local avança acentuadamente e que a maioria dos setores já retornou aos níveis pré-pandemia. A expectativa do Banco é de que o Produto Interno Bruto (PIB) volte ao patamar anterior à emergência da covid-19 neste segundo trimestre de 2021.

“As principais decisões sobre taxas de juros levarão em conta a dinâmica da inflação real e esperada em relação à meta de 4% e aos desdobramentos econômicos no horizonte de previsão, bem como os riscos colocados pelas condições internas e externas e a reação dos mercados financeiros”, acrescenta.

Relacionados

Langoni foi bom amigo que a pandemia me impediu de encontrar, lamenta Meirelles

O ex-ministro da Fazenda e atual secretário da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, lamentou neste domingo, [...]

Estadão - 13/06/2021

G7 expressa preocupação sobre China e quer mais estudos sobre origem da covid-19

Em comunicado divulgado neste domingo, os líderes do G7 emitiram um apelo para um novo estudo sobre as origens da covid-19, [...]

Estadão - 13/06/2021

'Langoni foi um economista brilhante', diz Sachsida

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, usou as redes sociais para lamentar a morte do ex-presidente [...]

Estadão - 13/06/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções