BC da Rússia mantém juro básico em 4,25%, deixando porta aberta para novos cortes

Tempo de leitura: 1 minuto

O Banco Central da Rússia decidiu nesta sexta-feira (18) manter sua principal taxa de juros em 4,25%, após reduzi-la a mínimas recordes por três vezes consecutivas, com o argumento de que a inflação doméstica superou um pouco as expectativas nos últimos meses em meio à recuperação que se segue ao choque do coronavírus – e de que o rublo russo tem se enfraquecido ante o dólar.

Em comunicado, porém, o BC russo alertou que riscos desinflacionários prevalecem no médio prazo, uma vez que o ritmo de retomadas das economias global e russa irá desacelerar.

A autoridade monetária prevê que a inflação na Rússia ficará entre 3,7% e 4,2% em 2020 e na faixa de 3,5% a 4% em 2021, antes de se estabilizar em torno de 4%, que corresponde a sua meta oficial.

O BC russo disse ainda que considerará a “necessidade de mais reduções da taxa básica em suas próximas reuniões”. O próximo encontro está marcado para 23 de outubro.

Relacionados

Saldo da carteira de crédito dos bancos deve crescer 1,1%, diz Febraban

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) calcula que o saldo total da carteira de crédito dos bancos brasileiros deve mostrar crescimento [...]

Estadão - 23/04/2021

Vacina da AstraZeneca continua a ter balanço de benefícios positivo, diz EMA

A Agência de Medicamentos Europeia (EMA, na sigla em inglês) afirma que os benefícios da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 [...]

Estadão - 23/04/2021

Investidores cobram até R$ 60 bi da Petrobras em processos de arbitragem

A Petrobras está envolvida em cinco grandes processos de arbitragem - modalidade de resolução de conflitos sem a participação do Poder [...]

Estadão - 23/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções