+0,00% R$0,00
+0,00% R$0,00
Carregando...

Na Prática: Como se faz Valuation por Múltiplos

Caso você tenha lido todos os nossos artigos publicados aqui na Guide, você já sabe, mais do que a grande maioria das pessoas, o que é Value Investing, valor intrínseco, fluxo de caixa livre e qual taxa de desconto devemos descontá-los. Viu um exemplo prático de como fazer valuation DCF e reconheceu a importância de uma confortável margem de segurança.

Hoje, veremos um segundo método de valuation, o valuation por múltiplos. Neste caso, comparamos os principais indicadores e múltiplos de uma empresa com os principais pares de seu setor.

Vale sempre lembrar que este artigo não é uma recomendação de investimento, apenas um exemplo educativo. Para se tomar decisões de investimentos racionais, deve-se analisar muitos outros critérios que não foram analisados no texto.

Dessa forma, se quisermos analisar o Banco ABC Brasil (ABCB4), por exemplo, devemos escolher alguns múltiplos e compará-los com os de seus principais concorrentes: Bradesco (BBDC4), Banco do Brasil (BBAS3), BTG, Itaú (ITUB4) e Santander. Também é interessante comparar os múltiplos do Banco ABC com suas próprias médias históricas.

O problema dessa abordagem é que ela pode levar a erros de interpretações. De nada adianta encontrar uma empresa descontada frente a seus pares se o seu setor como um todo está supervalorizado.

Outro problema de se tomar decisões baseados em múltiplos é que, muitas vezes, esses indicadores mentem. Dessa forma, um Dividend Yield pode estar muito alto devido a ganhos não recorrentes, e um P/L pode estar muito baixo por conta da baixa qualidade do modelo de negócios da empresa, que realmente merece ser negociada com desconto frente a seus pares.

Do outro lado, o método de valuation por múltiplo é muito mais simples, rápido e menos suscetível à erros causados por estimativas otimistas/pessimistas do que o método de fluxo de caixa livre descontado.

Vamos a um exemplo prático:

Abaixo pegamos os indicadores Preço / Lucro e Preço / Valor Patrimonial dos principais bancos listados em nossa Bolsa de Valore (B3).

O Preço / Lucro é um dos indicadores mais tradicionais do mercado de ações. Para calculá-lo, basta dividir o preço atual de uma ação pelo lucro líquido por ação desse ativo. De uma forma bem simples, essa métrica indica o quanto os investidores se encontram dispostos a pagar pelos lucros de uma empresa.

No caso do ABC, o mercado está disposto a pagar 10,5x o seu lucro líquido.

O Preço / Valor Patrimonial, por outro lado, mede o quanto o mercado está disposto a pagar, naquele momento, pelo Patrimônio Líquido da empresa.

No caso do ABC, novamente, investidores estão dispostos a pagar 1,3x o seu Patrimônio Líquido.

As tabelas abaixo comparam os múltiplos P/L e P/VP dos principais bancos listados na B3:

Como podemos ver, segundo o indicador P/L, o Banco ABC, juntamente com o Banco do Brasil, negocia com desconto frente a seus pares.

Podemos afirmar o mesmo ao utilizar como indicador o P/VP.

No entanto, não devemos parar por aí. É necessário também analisar os múltiplos históricos do Banco ABC e compará-los com os múltiplos atuais. Podemos observar que tanto o seu P/L quanto o P/VP negociam acima de suas médias históricas, de 7,4x e 1x, respectivamente.

Sendo assim, o valuation por múltiplos também pode ser uma forma de se encontrar empresas negociadas abaixo de seu valor intrínseco.

Assim como o método DCF, possui seus pontos fortes e fracos, e todo investidor deve estar ciente disso.

O ideal é utilizar as duas abordagens, sempre analisando a empresa como um todo, e não apenas seus números.

Bitnami