Fed atribui alta dos juros dos Treasuries à melhora econômica e inflação

Tempo de leitura: 1 minuto

Na mais recente reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), os dirigentes comentaram a recente escalada dos juros dos Treasuries, particularmente na ponta longa, de acordo com ata referente ao encontro, divulgada nesta quarta-feira, 7. Segundo o documento, o movimento reflete a melhora do cenário econômico, aceleração da inflação e expectativas por maior emissão de títulos pelo Departamento do Tesouro.

O relatório indica que os participantes alertaram para a possibilidade de que o alto nível de acomodação financeira leve a uma busca excessiva por riscos.

“As condições desordenadas nos mercados de Treasuries ou um aumento persistente nos rendimentos que poderiam prejudicar o progresso em direção aos objetivos do Comitê (Federal de Mercado Aberto) foram vistos como motivo de preocupação”, ressalta o texto.

Para dirigentes, o aumento nos rendimentos também é atribuído às perspectivas de política fiscal mais expansionista, além de fatores técnicos que teriam levado a expectativas por juros maiores.

A avaliação é de que os mercados de renda fixa funcionaram bem nos últimos meses, embora algumas métricas de liquidez tenham se deteriorado no final de fevereiro. “As condições melhoraram gradualmente, embora algumas medidas de liquidez do mercado não tenham retornado totalmente aos níveis anteriores”, ressalta.

Compra de ativos

Dirigentes do Federal Reserve avaliaram também que as expectativas para trajetória de compras de ativos para conter os efeitos da pandemia pouco mudaram, de acordo com a ata do encontro. “As políticas de juros e compras e ativos estão servindo bem à economia”, diz um trecho do documento.

A avaliação entre os dirigentes é de que a aquisição de títulos da dívida americana e bônus atrelados à hipotecas, como parte do programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), ajudam a promover o bom funcionamento do mercado e condições financeiras acomodatícias.

Eles ressaltaram que qualquer mudança no QE será comunicada “com bastante antecedência”.

De acordo com a ata, há necessidade de um progresso maior em relação às metas de emprego e inflação para que o ritmo de aquisição de títulos sofra alterações.

Relacionados

EWZ cai 1,70% no after hours em NY, em meio a impasses fiscais do Brasil

O EWZ, principal fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) de ativos brasileiros na Bolsa de Nova York, terminou a [...]

Estadão - 12/04/2021

Peru: com 90% da apuração, resultado sugere Castillo e Fujimori em 2º turno

A apuração dos votos no primeiro turno à presidência continua a ocorrer no Peru, após o sufrágio do domingo. Com 90,040% [...]

Estadão - 12/04/2021

Em assembleia tensa, acionistas da Petrobras destituem Castello Branco

O governo venceu a batalha com o mercado financeiro e conseguiu eleger 7 dos 8 nomes que indicou ao conselho da [...]

Estadão - 12/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções