Mercado de opções: Entenda o que é como funciona

Tempo de leitura: 8 minutos

A bolsa de valores é composta por quatro principais ambientes de negociação: o mercado à vista, o mercado a termo, o mercado futuro e o mercado de opções. Ao ler este artigo, você conhecerá as características específicas dessa última alternativa.

A vantagem de explorar as possibilidades da Bolsa é poder contar com outros instrumentos financeiros para executar sua estratégia. Para tanto, é fundamental saber como é o funcionamento completo dos derivativos em questão.

O que você verá neste artigo?
O que é e como funciona uma opção?
O que é o mercado de opções?
Como funciona o mercado de opções?
Para que serve o mercado de opções?
Quais são as vantagens de acessar o mercado de opções?
Quais são os riscos envolvidos nas operações com opções?
Como acessar o mercado de opções?

Continue a leitura para entender tudo sobre o mercado de opções e aprender a operar nele. Confira!

O que é e como funciona uma opção?

Antes de entender o que é o mercado em si, vale a pena conhecer a opção, que é negociada nesse ambiente. Na prática, uma opção é um derivativo financeiro que concede o direito de negociar um ativo em determinado prazo.

Essa negociação é feita pelo chamado preço de exercício (strike) e ocorre em uma data específica, que é o prazo de vencimento. Funciona assim: quem adquire uma opção passa a ter o direito de comprar ou vender o ativo de referência, pelo strike e na data estabelecida.

Porém, vale notar que a opção concede o direito e não a obrigação de negociar. Quem compra as opções, portanto, pode escolher exercê-las ou deixar que “virem pó” — como é chamado o processo de expiração desses derivativos.

O que é o mercado de opções?

Conhecendo as opções, é mais fácil entender o mercado. Ele é o ambiente de negociação da bolsa de valores onde são disponibilizados esses derivativos financeiros. Ele é caracterizado por tickers específicos, que se diferenciam do mercado à vista.

Isso porque eles trazem alusão ao tipo de derivativo e ao vencimento da operação. As opções fazem referências a diferentes ativos. Entre os principais estão as ações. Assim, é possível negociar o direito de comprar ou vender papéis no futuro.

Como funciona o mercado de opções?

Em relação ao funcionamento, o mercado de opções tem duas figuras principais: o tomador e o lançador de opções. O tomador é quem adquire os derivativos e, como visto, pode escolher exercer ou não as opções.

Já o lançador é quem vende as opções no mercado. Por essa venda, ele recebe um pagamento que é conhecido como prêmio. Logo, fica obrigado a cumprir as condições da opção caso o tomador deseje realizar a negociação.

Outro ponto importante é que as opções são divididas em relação ao direito que oferecem. As opções de compra são chamadas de call, enquanto as de venda são chamadas de put.

Quem compra uma put pode vender os ativos pelo strike no vencimento, enquanto quem compra uma call tem direito de adquirir os ativos pelo preço definido.

Além disso, as opções são divididas entre europeias e americanas. As americanas podem ser exercidas antes do vencimento, enquanto as europeias só permitem o exercício no prazo de vencimento.

Para que serve o mercado de opções?

O próximo aspecto para conhecer sobre esse ambiente é sua função. Nesse caso, é possível destacar dois objetivos principais: a especulação e a proteção de carteira (hedge). Isso é viável porque as opções podem fazer parte de diferentes estratégias.

Na especulação, elas podem ser usadas com o objetivo de obter lucros em curto ou curtíssimo prazo, de acordo com a movimentação dos preços dos ativos. Pense, por exemplo, em um operador que adquire 1000 opções do tipo call de uma ação, com strike em R$ 20.

Se, no vencimento, o papel for negociado a R$ 21, o tomador pode exercer o direito e adquirir as 1 mil ações por R$ 20. Se decidir vendê-las logo em seguida, poderá ganhar R$ 1 por cada ação, sem considerar taxas e impostos.

Já em relação ao hedge, imagine um operador que compra 1 mil opções de put de uma ação com strike em R$ 20. No momento de compra, os papéis são negociados a R$ 21, mas, no vencimento, sofrem uma queda e passam a valer R$ 18.

Sem a opção, a perda seria de R$ 3 por ação. Porém, ao exercer o direito concedido pela put, é possível vendê-las por R$ 2 acima do que são negociadas. Embora haja prejuízo no final de R$ 1 por ação, ele é menor do que seria sem a estratégia de hedge.

Esses são exemplos simples, pois há diversas operações que podem ser montadas com opções. Inclusive, as operações estruturadas — que envolvem duas ou mais opções, buscando aproveitar ou se proteger de cenários no mercado financeiro.

Quais são as vantagens de acessar o mercado de opções?

Devido ao seu funcionamento, o mercado de opções apresenta como um dos benefícios a versatilidade quanto aos objetivos. Como você viu, é possível tanto rentabilizar sua carteira quanto protegê-la de oscilações do mercado, limitando suas perdas.

Além disso, o exercício das opções não é obrigatório para o comprador, o que aumenta o poder de escolha sobre como proceder. Assim, há a vantagem de poder controlar melhor os riscos aos quais você está exposto — em alguns cenários, é possível perder apenas o prêmio pago.

Outro aspecto é que o mercado de opções permite operar alavancado. Ou seja, você tem a chance de movimentar valores maiores do que dispõe, oferecendo uma margem de garantia compatível. Porém, note que a alavancagem pode aumentar os benefícios, mas também amplia os riscos.

Quais são os riscos envolvidos nas operações com opções?

Pensando na questão da segurança, o mercado de opções apresenta riscos elevados por ser composto por derivativos. Como os preços das opções dependem do comportamento do ativo-objeto, a volatilidade é considerável, o que amplia o risco de mercado.

Dependendo da estratégia adotada, os prejuízos podem ser ilimitados. O lançador de opções de uma ação que passa por uma forte valorização, por exemplo, é obrigado a cumprir as condições do contrato. Como não há um teto para a alta no preço da ação, os riscos podem ser ilimitados.

Como acessar o mercado de opções?

Para participar do mercado de opções, é preciso seguir as etapas de planejamento e de operação. Na sequência, veja quais são os passos que você deve tomar para utilizar esses instrumentos financeiros!

Identifique seu perfil de investidor

Antes de realizar qualquer operação no mercado financeiro é fundamental identificar seu perfil de investidor. E com o mercado de opções não é diferente. Entender como você se classifica significa saber se tem perfil conservador, moderado ou arrojado. Assista o vídeo abaixo e entenda!

A partir dessa informação, é possível saber se o mercado de opções é para você. Como visto, ele tem mais riscos por envolver derivativos. Sendo assim, é uma alternativa que tende a estar mais alinhada com pessoas arrojadas.

Avalie seus objetivos financeiros

Operar com opções pode gerar resultados distintos, então é fundamental considerar quais são os seus objetivos financeiros. Se a sua expectativa for obter ganhos no curto prazo, será necessário especular e, portanto, assumir um nível de risco maior.

Se a sua intenção for fazer hedge de carteira, será preciso buscar operações capazes de fazer essa proteção. Tudo depende dos seus ativos, das condições de mercado e do que espera conquistar.

Conheça bem o mercado

Para aproveitar a opção, você deve conhecer muito bem esse instrumento financeiro e seu funcionamento. Especialmente para iniciantes, aprofundar-se no mercado de opções afeta os resultados.

Logo, vale a pena aumentar seu nível de conhecimento, também como uma forma de se proteger. Assim, é possível entender quando operar e quais são as melhores alternativas para atingir cada objetivo, por exemplo.

Faça um bom gerenciamento de risco

Como você viu, operar opções envolve riscos maiores por serem derivativos. Não sendo viável eliminar por completo todos os riscos, torna-se essencial saber como gerenciá-los. Para acertar nessa gestão, é importante definir quais são os limites de perda toleráveis.

Ter esses referenciais ajuda a controlar as possibilidades de resultados. Também é uma forma de evitar que as emoções interfiram nas suas escolhas.

Abra uma conta em uma corretora de valores

Depois de se preparar adequadamente para operar opções, é o momento de seguir para a parte operacional. Para tanto, você precisará ter conta em uma instituição financeira.

O melhor é escolher uma corretora de valores que seja segura e ofereça o suporte necessário para a sua atuação nesse mercado.

Acesse a plataforma de negociação

A corretora de valores oferece acesso a plataformas de negociação da Bolsa — como o home broker, por exemplo. Por meio deles, você poderá conferir as alternativas disponíveis, incluindo o mercado de opções.

Ao acessar a Bolsa, é possível comprar ou vender opções do tipo put ou call. Definir os momentos de emissão de ordens de compra e venda, os custos de operações e demais características depende da estratégia adotada.

Com essas informações, você sabe como o mercado de opções funciona e como operar nele. Com a estratégia adequada aos seus objetivos e ao seu apetite ao risco, é possível especular ou fazer hedge de carteira.

Para participar dos ambientes de negociação da bolsa de valores e ter acesso a outros investimentos, abra sua conta na Guide Investimentos!

Relacionados

Qual é a diferença entre renda fixa e variável?

Muitos investidores têm dúvidas na hora de escolher entre a renda fixa e a variável. Nas próximas linhas, você confere a [...]

Syntax Finance - 01/09/2021

O que é investimento e como começar a investir hoje mesmo

Quem é iniciante no mercado financeiro costuma se perguntar o que é investimento e como começar. Se você quer entender mais [...]

Guide Investimentos - 20/08/2021

Confira a lista dos melhores investimentos para 2021!

Encontrar os melhores investimentos é o objetivo de muitos investidores. Afinal, fazer boas escolhas é importante para minimizar os riscos da [...]

Guide Investimentos - 12/08/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções