Cotações por TradingView

Marcação a mercado: o que é e como ela funciona?

Tempo de leitura: 6 minutos

Quando se investe na renda fixa de forma prefixada é comum acreditar que o rendimento se mantém estático ao longo do tempo. Porém, mesmo que essa classe traga previsibilidade, também acontecem mudanças antes do prazo — e é exatamente disso que trata a marcação a mercado.

Esse processo busca avaliar os preços dos ativos e títulos de acordo com as condições do mercado financeiro. Assim, pode interferir no desempenho do seu portfólio. Então saber como tudo funciona é um ponto de partida para considerar.

O que veremos neste artigo?
O que é marcação a mercado?
Como funciona a marcação a mercado?
Como a marcação a mercado impacta a rentabilidade dos investimentos?
Por que o investidor deve conhecer o conceito?
Como não ser impactado pela marcação a mercado?

Neste artigo, você descobrirá o que é a marcação a mercado e entenderá quais são as suas características. Confira!

O que é marcação a mercado?

Ao adquirir um título de renda fixa ou a cota de um fundo de investimento, o preço deles costuma variar conforme as condições de mercado. Para refletir essa mudança, há a marcação a mercado, que é a atualização de cotação.

Ela existe devido à variação nas expectativas do mercado quanto ao comportamento dos juros. Então, isso se reflete na atualização do valor investido.

Como funciona a marcação a mercado?

Para entender a marcação a mercado de forma mais fácil, é interessante considerar que ela serve para indicar por quanto determinado investimento poderia ser vendido no momento presente.

No caso dos títulos negociados na plataforma do Tesouro Direto, é o que seria recebido pelo resgate antecipado. Sobre as cotas de fundos, ela indica o preço pelo qual seria possível vendê-las. Em ambos os cenários, a marcação a mercado incide diariamente.

A seguir, veja como esse processo funciona com títulos e com cotas de fundos!

Títulos de renda fixa

A marcação a mercado é mais presente em títulos de renda fixa prefixados e nos híbridos, que são geralmente atrelados à inflação. Isso acontece porque há uma taxa prefixada, que faz com que o título se torne mais ou menos atrativo em determinado período.

Se a expectativa de mercado é um aumento de juros no futuro, o rendimento de novos títulos tende a aumentar, certo? Porém, os que já fazem parte da sua carteira de investimentos têm taxas menores, já que foram prefixados.

Então, o preço deles no mercado cai. Isso significa que, caso você decida vendê-los, pode receber menos do que o faria se levasse até o vencimento. O contrário também é verdadeiro.

Ou seja, se a expectativa é de queda de juros, os pós-fixados perdem rentabilidade, por exemplo, bem como os novos títulos que serão disponibilizados. Em troca, os que foram fixados a valores maiores podem ter um preço maior de negociação.

Cotas de fundos de investimento

No caso das cotas de fundos de investimento, a atualização ocorre com base no valor de mercado dos ativos que compõem seu portfólio. Em um fundo de renda fixa, isso significa utilizar os preços dos títulos que o compõem.

A marcação também ocorre com fundos de renda variável. Consideram-se, por exemplo, os preços diários das ações ou das cotas de outros fundos.

Com essas informações, chega-se à soma do portfólio no dia. O montante é dividido pelo total de cotas disponíveis pelo fundo, o que permite conhecer qual é o preço de cada cota no momento de avaliação.

O principal objetivo é fazer com que os ganhos e perdas sejam refletidos corretamente para os investidores. Assim, quem comprou as cotas no começo do mês terá um resultado diferente de quem as comprou no final do período, por exemplo.

Como a marcação a mercado impacta a rentabilidade dos investimentos?

Ao pensar nos efeitos da marcação a mercado, é preciso entender que ela não interfere, necessariamente, no rendimento de um investimento. Isso porque a marcação a mercado só incidirá se houver a venda antecipada do título.

É mais ou menos como acontece com as ações. Imagine que você comprou os papéis de uma empresa e, pouco tempo depois, o negócio passou por uma desvalorização. A princípio, você só sofrerá o prejuízo se vender as ações nesse momento de baixa.

Com os títulos de renda fixa e as cotas de fundo também é o que ocorre diante da marcação a mercado. Logo, quem mantiver os investimentos até o vencimento pode não sofrer o impacto dessas variações.

Por outro lado, a marcação a mercado pode afetar positivamente o retorno. Digamos que o Banco Central anunciou um corte de juros e que essa seja uma tendência de médio prazo. Nesse caso, títulos prefixados que já estão na carteira tendem a ser favorecidos.

Se você decidir vender títulos com essa característica, poderá obter um valor que é até maior do que seriam os ganhos conquistados ao levá-lo ao vencimento. Porém, a variação positiva só se concretizará caso a venda ocorra.

Por que o investidor deve conhecer o conceito?

Como visto, a marcação a mercado atualiza o valor dos investimentos diariamente, com base nas características do mercado financeiro. Isso significa que o desempenho pode oscilar, mesmo da renda fixa, se você decidir antecipar.

Portanto, conhecer o conceito é importante para acompanhar sua carteira e a performance dos seus investimentos. É uma maneira de compreender como o valor flutua ao longo do tempo e quais são as oportunidades disponíveis.

Dependendo do caso, pode valer a pena aproveitar a marcação a mercado de um título prefixado, obtendo ganhos mais interessantes, por exemplo. Tudo depende do seu perfil, dos seus objetivos e da sua estratégia.

Além disso, conhecer o conceito também permitirá que você entenda se as cotas de um fundo estão caras ou baratas. Portanto, tem influência na sua tomada de decisão.

Como não ser impactado pela marcação a mercado?

Como visto, a marcação a mercado pode causar perdas para o investidor, então é importante saber como evitá-la. A principal maneira de evitar sua incidência é manter o prazo de resgate e títulos prefixados e atrelados à inflação.

Lembre-se de que, caso leve o investimento até o vencimento, as condições acordadas são garantidas. Do contrário, a venda da aplicação financeira está sujeita às condições de precificação do cenário, o que pode ocasionar perdas.

Com essas informações, você aprendeu que a marcação a mercado envolve a atualização de valores dos investimentos e que ela costuma acontecer diariamente. Ao acompanhar as mudanças nos preços, é possível adaptar a estratégia para aproveitar condições relacionadas às taxas de juros.

Você se interessa por conteúdos como este? Aproveite para aprender mais sobre investimentos ao entrar em nosso canal do Telegram!

Relacionados

O que é direito de subscrição e para que serve?

O mercado financeiro oferece diversas oportunidades para investidores ampliarem seu patrimônio e rentabilizarem seu portfólio. Afinal, é possível valorizar seus investimentos [...]

Guide Investimentos - 27/05/2022

5 conceitos importantes que todo investidor iniciante precisa entender

Os brasileiros estão começando a investir mais. Pesquisa recente divulgada pela B3 mostrou que a quantidade de investidores chegou a 4,3 [...]

B3 - A Bolsa do Brasil - 25/05/2022

4 Tipos de debêntures que vale a pena conhecer!

Se você deseja diversificar sua carteira de investimentos sem precisar sair da renda fixa, vale a pena conhecer os diferentes tipos [...]

Guide Investimentos - 24/05/2022
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções