CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Letra hipotecária (LH): o que é, como funciona e como investir?

8 de julho de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 5 min
Compartilhar
imagem ilustrativa
Tempo de leitura: 5 min

A renda fixa possui diversos títulos para os investidores que querem alocar seu capital em alternativas mais seguras e previsíveis. Entre eles está a letra hipotecária (LH) — você sabe o que ela é e como funciona?

Conhecer as características de cada título faz com que você tenha mais embasamento para as suas decisões. Afinal, suas escolhas precisam estar de acordo com o seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros.

Quer saber mais? A seguir, você aprenderá o que é uma letra hipotecária, suas características e riscos envolvidos.

Continue a leitura e conheça esse título de renda fixa!

O que é letra hipotecária?

A letra hipotecária é um tipo de título de renda fixa. Ela é emitida por instituições financeiras, como um certificado de crédito, sendo utilizada para captar recursos ao emissor.

Quem investe em uma letra hipotecária está emprestando dinheiro à instituição que emitiu o título. Então você se torna credor do emissor e, no momento do resgate, terá o direito de receber o valor investido mais uma rentabilidade combinada.

Vale saber que a letra hipotecária é lastreada em créditos imobiliários de hipoteca. Essa é uma forma de financiamento imobiliário com garantia de imóvel. Apesar de não ser uma modalidade muito utilizada no Brasil, há diversas instituições que a utilizam.

Ao emitir uma letra hipotecária, o banco ou a financeira buscam captar recursos para utilizar na concessão de crédito imobiliário com hipoteca. Logo, os valores arrecadados têm uma destinação definida, conforme as regras do mercado.

Para investir em uma letra hipotecária, você deve acessar as plataformas de investimentos de corretoras de valores. Nelas, é possível encontrar diversos tipos de títulos de renda fixa — segundo o portfólio da empresa. Entre eles, a LH.

Outra informação relevante sobre essa aplicação diz respeito aos emissores dos títulos. Eles podem ser tanto bancos privados e públicos quanto outras instituições que trabalham com linhas de crédito utilizando a hipoteca como garantia.

No entanto, todos devem estar de acordo com as normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Desse modo, há um procedimento próprio para a emissão e comercialização das letras hipotecárias no mercado de investimentos.

Quais são as características de uma LH?

Você viu que as letras hipotecárias são títulos de renda fixa disponíveis em plataformas de corretoras de valores. Para conhecer melhor esse investimento, é preciso entender quais são as principais características das LHs.

Confira a seguir:

Rendimento

O rendimento obtido com o investimento em títulos de renda fixa é conhecido como a rentabilidade do título. Ela pode se dar de três maneiras:

  • prefixada: aqui os rendimentos seguem um percentual fixo anual, como 12% ao ano;
  • pós-fixada: os ganhos dos investidores seguem um índice econômico determinado antes do aporte. Por exemplo, 100% do Certificado de Depósitos Interbancários (CDI);
  • híbrida: essa rentabilidade une características das duas anteriores. Portanto, há um indicador somado a uma taxa prefixada — IPCA + 5% ao ano, por exemplo.

Os emissores têm a liberdade para definir a rentabilidade de seus títulos de crédito. Dessa maneira, os investidores podem escolher entre as diversas alternativas disponíveis nas plataformas.

Vale ressaltar que a rentabilidade das letras hipotecárias costuma ser mais alta que a de outros títulos. Mas isso não é uma regra, então é preciso ficar atento a essa característica antes de cada aporte.

Liquidez

Outro ponto importante sobre as LHs é a liquidez dos títulos. Ela trata da facilidade com que o investimento é transformado em dinheiro pelos investidores quando eles precisarem.

No caso dos títulos de renda fixa, a liquidez pode se dar pelo resgate ou pela negociação em mercado secundário, junto a outros investidores interessados. Assim, é preciso conhecer as possibilidades em cada aplicação.

No caso das LHs, geralmente há um período de 6 meses de carência. Isso significa que, durante esse período, o investidor não poderá fazer o resgate do título. Dessa forma, fique atento antes de realizar o aporte para evitar prejuízos ou problemas.

Aporte mínimo

Cada título tem um valor que deve ser desembolsado pelos investidores interessados nele. Quando as LHs foram criadas, estavam acessíveis apenas a investidores qualificados. Ou seja, investidores com mais de R$ 1 milhão investidos ou com certificados profissionais no mercado financeiro.

No entanto, a regra mudou e agora qualquer investidor pode acessar a letra hipotecária, desde que tenha o capital que é necessário para o investimento. O aporte mínimo costuma ser mais alto que em outras alternativas.

Tributação

A tributação é outra característica relevante das letras hipotecárias. Isso porque elas são isentas de Imposto de Renda (IR) e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Logo, tanto o valor investido quanto a rentabilidade não sofrerão recolhimentos desses impostos.

Vantagens

Por fim, existem vantagens e riscos relevantes a respeito desse investimento. O primeiro benefício é a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Essa associação civil sem fins lucrativos visa garantir o pagamento a investidores em caso de problemas com as instituições emissoras.

Desse modo, se ocorrer a falência do emissor, por exemplo, há uma garantia de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, para cada emissor. Ademais, há uma garantia global de R$ 1 milhão por CPF ou CNPJ, que se renova a cada 4 anos.

Além da segurança, outra vantagem, como você já viu, é a rentabilidade mais alta das LHs. Ela busca compensar o prazo de carência e a necessidade de aporte maior.

Riscos

Em relação aos riscos, é fundamental mencionar a baixa liquidez. Por conta dela, as LHs podem não ser indicadas para quem busca um investimento de curto prazo.

Também considere o risco de crédito quando o investimento é mais alto do que R$ 250 mil. Nesses casos, o valor investido superior a essa quantia não será garantido pelo FGC. Portanto, você terá problemas em reaver o dinheiro em caso de problemas com o emissor.

Quando vale a pena investir em uma LH?

Depois de conferir as informações até aqui, você pode estar se perguntando se vale a pena investir em uma LH. Mas não existe resposta certa a essa pergunta. Afinal, cada investidor tem o seu próprio perfil e seus objetivos financeiros.

Dessa maneira, sempre avalie os riscos envolvidos para verificar se você tem a tolerância adequada a eles. Ademais, considere suas finalidades com o investimento e veja se as LHs podem fazer sentido para esses objetivos.

Entendeu o que é uma letra hipotecária e como funcionam esses títulos? Aqui, você conferiu as informações básicas sobre o título. Então fica mais fácil avaliar se ele está adequado à sua carteira e à sua estratégia no mercado financeiro!

Quer contar com análises de investimentos exclusivas feitas por especialistas do mercado? Então assine o Guia Financeiro!

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também