Irlanda e França também restringem voos do Reino Unido

Tempo de leitura: 2 minutos

Irlanda e França se unem à lista dos países europeus que estão suspendendo os voos vindos do Reino Unido, por causa de uma nova variante do coronavírus que está se propagando no sul do país. A restrição imposta pelos franceses prevê um bloqueio das viagens por um período de 48 horas a partir da meia-noite de hoje, de acordo com as autoridades do país. “Todos os fluxos de pessoas do Reino Unido para a França estão suspensos a partir da meia-noite desta noite, por 48 horas, e para todos os meios de transporte”, disse um porta-voz do governo.

A medida também foi adotada por Alemanha, Holanda, Áustria, Bélgica, Itália e Israel, que também proibiu voos da Dinamarca e África do Sul. A Holanda proibiu voos do Reino Unido por pelo menos até o fim do ano, enquanto a Bélgica proibiu voos por 24 horas a partir da meia-noite e também interrompeu as conexões de trem para a Grã-Bretanha, incluindo o Eurostar. A Áustria e a Itália disseram que suspenderão os voos do Reino Unido, mas não informaram exatamente quando isso acontecerá, enquanto a Alemanha decidiu restringir a partir da meia-noite de hoje, mas não informou até quando o bloqueio estará em vigor.

Ontem, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou em uma publicação na sua conta do Twitter que estava “em contato próximo com funcionários do Reino Unido sobre a nova variante do vírus covid-19” e prometeu atualizar os governos e o público à medida que mais informações forem sendo descobertas. A mutação foi identificada no sudeste da Inglaterra em setembro e tem se espalhado na área desde então, disse um funcionário da OMS à BBC neste domingo.

“O que entendemos é que ele tem maior transmissibilidade, em termos de sua capacidade de se espalhar”, disse Maria Van Kerkhove, líder técnica da OMS no covid-19. Estudos estão em andamento para entender melhor a rapidez com que se espalha e se “está relacionado à própria variante ou uma combinação de fatores com comportamento”, acrescentou ela.

Também no sábado, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, implementou medidas mais duras de segurança em Londres e áreas ao redor. “Não há evidências que sugerem que a nova variante seja mais letal ou cause sintomas mais severos”, disse Johnson, ou que as vacinas sejam menos eficientes contra ela. Ele também fez um apelo para que as compras e reuniões de Natal no sul do país sejam canceladas por causa da rápida disseminação do vírus.

Relacionados

Dólar sobe com cautela fiscal e exterior negativo no radar, antes de feriado

Os investidores ajustam posições compradas em dólar nesta terça-feira, 20, apoiando a alta das cotações, após acumular perdas nas últimas cinco [...]

Estadão - 20/04/2021

Senador do PT assina texto que selou acordo

Autor da emenda que viabilizou o acordo político para a saída do impasse do Orçamento, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) estimou [...]

Estadão - 20/04/2021

Smartbank muda nome e compra startup de crédito para PMEs

Passados cerca de dois anos da largada do processo de reestruturação do antigo banco Indusval - que foi rebatizado Voiter em [...]

Estadão - 20/04/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções