Cotações por TradingView

Investir em ETF: saiba como diversificar seus investimentos com ele!

Tempo de leitura: 6 minutos

Começar a investir em ETF pode ser uma boa alternativa para quem deseja diversificar a carteira com investimentos que são negociados na bolsa de valores. Afinal, as Ações não são as únicas possibilidades disponíveis nesse ambiente.

O que veremos neste artigo?
O que é ETF?
Como funcionam os ETFs?
Quais são os tipos de ETF do mercado?
Por que considerar investir em ETF?

Uma modalidade de investimento que pode fazer parte da carteira de investidores iniciantes ou mesmo mais experientes, os ETFs são procurados no mercado nacional e internacional. O motivo é que eles podem trazer vantagens bastante interessantes.

Por isso, preparamos este conteúdo para responder as principais questões sobre como investir em ETF e diversificar seu portfólio com eles. Acompanhe!

O que é ETF?

Os ETFs – ou Exchange Traded Funds – também são conhecidos como Fundos de Índice. Trata-se, basicamente, de Fundos de Investimentos que utilizam determinados índices como referência para montagem de carteira e desempenho.

Assim, o gestor do fundo acompanha o mercado e busca ativos que permitam obter rendimentos semelhantes ao índice escolhido. Vale destacar que o fundo pode escolher como benchmark qualquer índice que seja reconhecido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os Fundos de Índice surgiram nos Estados Unidos, sendo negociados no país desde 1993. Mas no Brasil o modelo pode ser considerado um pouco mais recente, já que o primeiro ETF foi negociado no mercado nacional apenas em 2004.

Esse é um dos principais motivos pelos quais eles ainda geram dúvidas no investidor. Por isso, é importante conhecer a modalidade de investimento e os seus benefícios para avaliar melhor a possibilidade de tê-lo na sua carteira.

Como funcionam os ETFs?

O funcionamento dos ETFs é relativamente simples. Eles são negociados por meio de cotas na bolsa de valores e tentam espelhar os resultados do índice escolhido. Isso é feito por meio da escolha dos ativos que compõem a carteira teórica desse índice.

Para tanto, o gestor do fundo costuma replicar total ou parcialmente a composição da carteira teórica do índice. A gestão do ETF, portanto, é passiva.

Um dos pontos de atenção ao investir em ETF é que você não tem poder de decisão sobre os ativos que compõem o fundo. Outra questão relevante são os custos envolvidos.

Os fundos de índice contam com uma taxa de administração, assim como os outros tipos de fundos. Porém, o valor cobrado nos ETFs costuma ser inferior aos das demais opções, justamente devido à gestão passiva da modalidade.

Quais são os tipos de ETF do mercado?

Depois de entender o que são ETFs, é importante saber que existem diversos tipos disponíveis no mercado. A seguir, você aprenderá como funcionam algumas dessas opções!

Índices de renda variável

É muito comum que os ETFs repliquem índices de referência da renda variável. São diversas opções que podem ser pesquisadas pelo investidor.

Por exemplo:

  • BOVA11: esse ETF se baseia no Ibovespa, que é o principal índice do Mercado de Ações e representa mais de 80% do volume negociado na bolsa de valores.
  • SMAL11: espelha o índice Small Caps, que traz a média de desempenho das Ações com menor capitalização da bolsa.

Índices de renda fixa

Apesar de ser negociado na bolsa de valores, o ETF pode ter o objetivo de replicar índices de renda fixa. Um exemplo é o IMAB11, que replica títulos públicos atrelados à inflação — o Tesouro IPCA.

Aqui, é preciso ter atenção porque, apesar da relação com a renda fixa, o investimento é volátil e tem menor previsibilidade de retorno. Afinal, as cotas podem variar de preço na bolsa.

Índices de sustentabilidade

É possível, ainda, encontrar ETFs que replicam um índice temático na renda variável. Por exemplo, os que focam em empresas que tenham responsabilidade social e ambiental. Isso é feito com os investimentos ESG (sigla para Environment, Social, and Governance).

Um exemplo de ETF desse tipo é o ISUS11, que espelha o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). A ideia é replicar o índice das Ações de capital aberto que se destacam por políticas que se encaixam no conceito de ESG.

Índices do exterior

Na bolsa brasileira, você também encontra ETFs que seguem índices internacionais. Um dos principais exemplos é o IVVB11. O fundo reflete o índice norte-americano S&P 500. Ele acompanha as 500 Ações mais negociadas nas bolsas americanas.

Assim, o ETF pode ser negociado na B3, em reais, permitindo que você internacionalize seus investimentos. Ele busca obter rendimentos que correspondam aos movimentos do índice dos Estados Unidos.

Por que considerar investir em ETF?

O ETF pode trazer vantagens interessantes para os investidores. Preparamos uma lista explicando as principais para que você consiga analisar melhor essa alternativa!

Confira!

Facilidade para diversificar a carteira

Um dos pontos positivos é a facilidade para diversificar a carteira, já que o fundo envolve uma variedade de Ações. Então você tem a oportunidade de estar exposto a diversos ativos, adquirindo apenas cotas de um único ETF.

As escolhas são feitas pelo gestor, de acordo com a referência do índice escolhido. Por isso, os ETFs podem ser indicados para quem está começando a investir na bolsa de valores, mas não tem segurança para escolher ativos. Ou por aqueles que não têm tempo de avaliar outras opções individualmente.

Ademais, com as alternativas referenciadas em índices do exterior, você tem acesso a oportunidades ainda mais diversificadas. Em resumo, é viável investir em diversas empresas e segmentos por meio de apenas uma cota. A diversificação pode trazer menos riscos que se concentrar em apenas uma Ação, por exemplo.

Praticidade na gestão de investimentos

Outro benefício que o investimento em ETF traz é a facilidade na gestão. Investir em várias Ações separadamente exige mais atenção para selecioná-las e administrá-las. Logo, seria necessário acompanhar o desempenho individual de cada uma para tomar decisões.

Com o ETF o processo é simplificado, pois você precisará acompanhar apenas o índice de referência. Isso porque todas as decisões sobre a composição do fundo são do gestor.

Porém, a questão também reforça a importância de pesquisar o fundo antes de investir, para ter segurança em relação à gestão. Verifique quem é a administradora e busque dados sobre elas para evitar problemas. Também conheça o índice e saiba como ele funciona.

Mesmo com as vantagens ofertadas, é fundamental saber se o ETF combina com o seu perfil de investidor e os seus objetivos. Lembre-se de que os preços das cotas oscilam conforme as variações dos ativos que compõem o fundo. Então há riscos de perda.

Esperamos que este conteúdo tenha esclarecido como investir em ETF, além de mostrar suas características. Dessa forma, fica mais fácil tomar as melhores decisões para compor a sua carteira de investimentos, não é?

Gostou do conteúdo? Para investir em ETF com segurança, vale a pena contar com uma boa corretora para fazer seus aportes. Confira como a Guide pode ajudar!

Relacionados

Quanto vale cada ponto no mini dólar? Tire suas dúvidas!

Os minicontratos de dólar estão entre as alternativas mais procuradas por especuladores que buscam ganhos no curto ou curtíssimo prazo. Porém, [...]

Guide Investimentos - 25/11/2021

Fundo long only: quais as diferenças para outros fundos de ações?

O mercado de renda variável é repleto de alternativas. Por exemplo, você pode investir em ações, FIIs (fundos imobiliários), ETFs (fundos [...]

Guide Investimentos - 24/11/2021

Front running: veja por que é uma prática ilegal!

No mercado financeiro, especialmente para os que buscam ganhos no curto prazo, adiantar-se e tomar decisões rápidas é primordial. Contudo, nem [...]

Guide Investimentos - 22/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções