Investimento a curto prazo: quais as melhores alternativas?

Tempo de leitura: 5 minutos

Muitos investidores, especialmente os iniciantes, têm dúvidas sobre a tomada de decisão ao investir. Nesse momento, um dos principais aspectos que devem ser considerados é o prazo. Por exemplo, você sabe como escolher um investimento a curto prazo?

Se você tem objetivos financeiros para até um ano, precisa conhecer algumas alternativas para essa finalidade. O mercado oferece diversas possibilidades para diferentes perfis de investidores e que podem servir para esse propósito.

Continue a leitura para conhecer opções de investimentos a curto prazo e saiba como escolher alternativas alinhadas às suas expectativas. Vamos lá?

O que são os prazos dos investimentos?

Para escolher os investimentos mais adequados às suas necessidades, é importante definir objetivos e seus respectivos prazos. Esses períodos podem ser divididos em:

  • curto prazo: podem levar até um ano para serem alcançados;
  • médio prazo: até cinco anos;
  • longo prazo: mais de cinco anos.

Assim, o prazo dos investimentos pode ser pensado como as suas datas de vencimento. Mas cabe ressaltar que esse conceito é mais aplicado na renda fixa. Afinal, nessa classe, o emissor dos títulos devolve o dinheiro aportado acrescido dos juros na data estipulada.

Por outro lado, esse prazo é subjetivo na renda variável. Em geral, não existe uma data para retirar o dinheiro — quem determina o período é o investidor, de acordo com seus objetivos.

Logo, embora seja mais adequada para planos de longo prazo, a bolsa de valores também oferece oportunidades para quem deseja especular. Investidores com maior apetite ao risco e planos de curto e curtíssimo prazo podem realizar operações de trade.

Por que considerar os prazos ao investir?

De acordo com o prazo do investimento, existem algumas diferenças relacionadas a características como rentabilidade, liquidez e segurança que podem mudar. Esses fatores são conhecidos como o tripé dos investimentos.

Quem tem objetivos de curto prazo, normalmente, precisa de maior liquidez. Logo, precisará abrir mão de outro fator desse tripé, como a rentabilidade. Para entender melhor essa questão, pense na reserva de emergência.

O dinheiro guardado com esse objetivo precisa estar aportado em investimentos com alta segurança e liquidez, mesmo que renda menos. Por isso, os objetivos precisam estar bastante claros para o investidor na hora de avaliar os aportes.

Negligenciar a relação entre prazo e objetivos pode prejudicar a sua tomada de decisão e atrapalhar tanto a rentabilidade da sua carteira quanto os seus planos. Além disso, é necessário considerar também o seu perfil de investidor no momento de escolher os ativos e produtos financeiros.

Quais são as alternativas de investimento a curto prazo?

Como visto, é comum priorizar fatores como segurança e liquidez em investimentos de curto prazo. Se o dinheiro for aportado em uma alternativa mais volátil, como as ações, há um grande risco de ter prejuízo ao precisar resgatar o valor.

Conheça algumas das principais alternativas para investir pensando no curto prazo:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um dos títulos públicos mais populares para objetivos de curto prazo. Ele é emitido pelo Tesouro Nacional e tem rentabilidade pós-fixada atrelada à Selic. Dessa forma, o retorno dessa aplicação depende da variação da taxa básica de juros ao longo do tempo.

Outra característica importante do Tesouro Selic é ter liquidez diária. Isso porque o Governo Federal garante a recompra do título, de forma que você pode resgatar o dinheiro a qualquer momento.

Os títulos do Tesouro também são considerados os investimentos mais seguros do país, pois o Governo é considerado bom pagador. Ele também possui ferramentas que permitem honrar as dívidas, como a possibilidade de emitir papel-moeda.

Com relação à tributação, o título apresenta cobrança do Imposto de Renda, que segue a tabela regressiva. A menor alíquota é de 15% para um prazo de aplicação acima de 720 dias.

Fundo DI

Existem fundos de investimento que podem apresentar uma carteira de curto prazo. Uma alternativa é o fundo referenciado DI, um fundo de renda fixa que aloca a maior parte do patrimônio em títulos públicos atrelados à Selic ou ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

O portfólio do fundo é gerenciado por um gestor profissional e é necessário adquirir cotas para participar de seus resultados. No caso desses fundos, normalmente é possível resgatar o valor aportado a qualquer momento. Porém, é importante conferir o prazo de resgate na lâmina do fundo.

CDB de liquidez diária

O CDB (certificado de depósito bancário) é um título privado de renda fixa que pode ter vencimentos distintos. Em alguns casos, eles oferecem liquidez diária, o que permite fazer o resgate a qualquer momento.

Também existem CDBs com vencimento para até um ano, que podem se adequar ao prazo que você pretende usar o valor. Ademais, cada título possui características específicas. A rentabilidade, por exemplo, pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida.

Assim como o Tesouro Selic, há cobrança de Imposto de Renda regressivo. Em relação à segurança, os CDBs são cobertos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). A proteção é de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, até o limite global de R$ 1 milhão, renovável a cada 4 anos.

O que considerar ao montar uma carteira?

Como visto, todas as alternativas apresentadas são de renda fixa e têm maior segurança. Portanto, podem ser adequadas para investidores de todos os perfis. Antes de investir, no entanto, é importante ter planejamento financeiro e considerar suas características.

Se o seu objetivo é montar uma reserva de emergência, por exemplo, o investimento deve apresentar liquidez diária. Além disso, é importante considerar a configuração atual da carteira de investimento.

Nesse momento, é interessante diversificar o portfólio, fazendo escolhas que englobem também o médio e longo prazo. Afinal, isso permite se expor a outras alternativas, potencializar a rentabilidade e equilibrar riscos.

Para facilitar, tenha conta em uma corretora como a Guide. Isso permitirá que você acesse um amplo leque de alternativas de investimento. Com isso, é possível fazer escolhas mais acertadas no momento de compor uma carteira diversificada.

Agora que você conhece algumas alternativas de investimento de curto prazo, vale analisar quais estão adequados ao seu perfil e objetivos. Lembre-se de que o melhor investimento para curto prazo é aquele que atende às necessidades do investidor.

Aproveite para complementar a leitura e conheça 5 investimentos melhores que a poupança para começar a investir hoje mesmo!

Relacionados

4 estratégias de investimento para quem está começando na renda variável

Quem está começando a investir na renda variável precisa adotar estratégias de investimento. Isso é importante para reduzir riscos e ter [...]

Guide Investimentos - 14/10/2021

A porta está trancada. Nesse caso, crie a sua própria porta

"A porta está trancada. Nesse caso, crie a sua própria porta." Essa é uma passagem icônica do filme O Labirinto do [...]

Adriana Nogueira - 11/10/2021

7 Mulheres investidoras que podem inspirar você!

Apesar de o mercado financeiro ser historicamente um ambiente masculino, com expoentes de estratégias bem-sucedidas, também existem grandes mulheres investidoras. Ao [...]

Guide Investimentos - 07/10/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções