Índice IMA-B: o que é, como funciona e rentabilidade!

Tempo de leitura: 5 minutos

O índice IMA-B é um indicador do mercado financeiro que os investidores precisam conhecer. Ele é conhecido por acompanhar os principais títulos de renda fixa que seguem a inflação, então pode ser utilizado para diferentes finalidades.

Mesmo quem não faz aportes nesse mercado é influenciado pelo IMA-B. Afinal, a inflação diminui o poder de compra do seu dinheiro e mostra o aumento dos preços em geral. Assim, mesmo para quem foca na renda variável, a rentabilidade dos investimentos sofre influência desse fator.

Quer entender melhor como o IMA-B funciona, como ele é composto e o que ele influencia? Então continue a leitura desse conteúdo!

O que é o índice IMA-B?

Antes de conhecer especificamente o IMA-B, é fundamental que você entenda o que são os índices IMA em geral. Essa sigla significa Índice de Mercado ANBIMA, e é uma seleção de índices criados por essa instituição.

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA) é um órgão autorregulador. Dessa forma, os agentes e empresas do mercado financeiro se associam a ela para garantir mais transparência, fiscalização e regulação.

Essa instituição criou os IMAs com o intuito de representar a oscilação de rentabilidade de um conjunto de títulos públicos de renda fixa. Eles funcionam de forma semelhante a índices de renda variável que você deve conhecer, como o Ibovespa.

Sendo o principal índice de ações brasileiro, ele demonstra a variação nos preços de papéis das empresas mais negociadas na B3, a bolsa do país. Da mesma maneira, os IMAs demonstram a variação dos títulos públicos federais.

Existem alguns tipos de índices IMA, entre eles o IMA-B. Confira cada um deles a seguir:

IRF-M

O IRF-M é um índice que demonstra resultados de uma carteira teórica composta pelos títulos do Tesouro Prefixado e do Tesouro Prefixado com juros semestrais. A rentabilidade prefixada é aquela demonstrada em um percentual fixo anual, como 8% ao ano.

Esse índice se divide em duas espécies: o IRF-M 1, que considera os títulos com vencimento de até um ano, e o IRF-M 1+ para os títulos com um prazo de vencimento maior que um ano.

IMA-S

O IMA-S funciona da mesma forma que o IRF-M, contudo, a carteira teórica é composta pelos títulos do Tesouro Selic. Eles têm uma rentabilidade pós-fixada, ou seja, são atrelados a um indicador financeiro e não têm percentual fixo.

IMA-B

Chegamos, então, ao IMA-B. Ele é o índice que acompanha o desempenho de uma carteira formada pelos títulos do Tesouro vinculados ao IPCA. A sigla significa Índice de Preços ao Consumidor Amplo e ele representa a variação de preços de uma série de produtos e serviços no Brasil.

Por sua abrangência, ele é o índice oficial da inflação brasileira, fazendo parte da estratégia macroeconômica do Brasil e da meta de inflação anual. Então é ele quem demonstra quanto poder de compra o dinheiro perde ao ano.

Em relação aos títulos do Tesouro Nacional, eles são do tipo rentabilidade híbrida. Isso significa que a remuneração anual é calculada seguindo o IPCA mais um percentual fixo anunciado aos investidores previamente.

Ademais, há diversas datas de vencimento e também opções com pagamento de juros semestrais. Da mesma forma que no IRF, aqui também há uma subdivisão em relação aos vencimentos.

Nesse sentido, o IMA-B 5 considera títulos com vencimento de até 5 anos. Já o IMA-B 5+ acompanha a rentabilidade dos títulos superiores a 5 anos.

A rentabilidade do IMA-B pode ser consultada no site oficial da ANBIMA. Lá você pode escolher qual índice deseja visualizar, o período correspondente e as subdivisões.

IMA-Geral

Por fim, temos o IMA-Geral. Como você deve supor pelo nome, ele é um índice que demonstra o resultado de todas as carteiras citadas anteriormente. Dessa forma, ele serve como um indicador importante dos títulos públicos em geral.

Como o IMA-B é composto?

Você viu que a carteira teórica do IMA-B é composta com os títulos do Tesouro vinculados ao IPCA. Essa composição é revista todos os meses, com isso busca-se adequar às mudanças ocorridas em estoques e preservar a representatividade.

Existem títulos públicos que não podem fazer parte desse índice. Nesse sentido, aqueles que têm um vencimento inferior a um mês e os que não tiveram ofertas públicas não compõem a carteira.

Também existem outras regras para ponderar as quantidades totais em mercado e a vigência e rebalanceamento das carteiras. Ademais, o cálculo do resultado utiliza uma fórmula matemática própria.

Essas informações mais detalhadas você pode conferir no documento de metodologia da Anbima. Todos os dados utilizados são confiáveis, tendo em vista que a própria ANBIMA tem um convênio firmado com a Secretaria do Tesouro Nacional.

Dessa forma, o órgão envia diariamente as informações necessárias para composição do índice. Nesse cenário, questões como quantidade de títulos em mercado com diferentes vencimentos e os preços utilizados passam por uma curadoria.

Por que o investidor deve conhecer o IMA-B?

Após conhecer o que é o IMA-B e como ele é composto, você precisa entender a sua importância. Afinal, qual sua utilidade nos investimentos e como ele pode influenciar suas decisões?

Como você percebeu, o IPCA é um indicador fundamental para a economia brasileira. É ele quem indica o poder de compra da moeda brasileira e mostra como a economia está evoluindo. Dessa forma, é comum que os investidores que desejam proteger o capital invistam em opções atreladas a ele.

Ademais, o IMA-B também pode servir como um benchmark para o resultado da carteira de investimentos. É esperado que, ao aumentar o fator de risco de seus investimentos, você potencialize a rentabilidade.

Nesse cenário, quem investe em renda variável com grau maior de risco pode comparar os resultados da carteira com os títulos públicos. Assim, perceberá se esse aumento do risco foi realmente vantajoso.

Isso acontece porque os títulos do Tesouro Nacional são considerados os mais seguros do mercado. Assim, ao suportar mais riscos em outras alternativas, é fundamental que a rentabilidade também seja maior. Se ela ficar abaixo ou próxima ao IMA-B, o investidor pode pensar em rever suas estratégias.

Entendeu o que é o índice IMA-B e como ele funciona? Com ele, você poderá acompanhar o mercado de renda fixa de títulos públicos federais atrelados ao IPCA. Assim, saberá como a inflação influencia em todos os seus investimentos.

Ficou interessado em aprender mais sobre as características dos títulos de renda fixa? Então confira nosso post sobre a marcação a mercado!

Relacionados

Conheça as principais ações do setor elétrico disponíveis na bolsa brasileira

As ações do setor elétrico são muito procuradas pelos investidores. Afinal, o recurso é essencial para o país, sendo fundamental para [...]

Guide Investimentos - 15/10/2021

Quais fundos imobiliários pagam melhores dividendos?

Um dos maiores atrativos dos fundos de investimento imobiliário (FIIs) é a distribuição de dividendos. Eles equivalem ao fluxo de caixa [...]

Syntax Finance - 15/10/2021

Como fazer investimentos nos Estados Unidos? Passo a passo e alternativas!

A tomada de decisão sobre os investimentos não precisa se limitar às opções disponibilizadas no mercado interno. Ao compor a carteira, [...]

Guide Investimentos - 13/10/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções