Uma coletânea sobre indicadores fundamentalistas

Tempo de leitura: 3 minutos

Entender sobre indicadores fundamentalistas é um dos pontos principais para que o investidor comece a analisar negócios. Um ponto importante a se considerar é que os indicadores, em sua maioria, são uma fotografia do passado, mas, ao se investir em uma ação, o investidor está comprando os resultados futuros.

Desse modo, os indicadores são importantes para se analisar o histórico de resultados de uma companhia. Porém é crucial também entender os aspectos qualitativos, para que se possa obter uma melhor visão do futuro da companhia.

Assim, nos próximos tópicos, serão apresentados alguns dos principais indicadores fundamentalistas, que podem auxiliar o investidor a tomar melhores decisões de investimento.

Margem Líquida

A margem líquida é um dos melhores indicadores de eficiência para se analisar nas companhias. A fórmula do Margem Líquida é bem simples: Lucro Líquido/Receita Líquida. Então, basicamente a Margem Líquida é a porcentagem da Receita Líquida da companhia que se torna Lucro Líquido.

Empresas com uma alta margem líquida provavelmente possuem boas vantagens competitivas e significativas barreiras de entrada em seu negócio.

ROIC

Return on Invested Capital (ROIC), em português Retorno sobre o Capital Investido é um indicador utilizado para se analisar a rentabilidade da alocação de capital de uma companhia.

Existem algumas maneiras para se calcular o ROIC, como: (Lucro Líquido – Dividendos) / (Dívidas + Patrimônio Líquido) ou (NOPAT) / (Capital Investido). Sendo NOPAT = Lucro Operacional Líquido após Impostos.

O ROIC é geralmente calculado em períodos de 12 meses. Além disso, é importante comparar esse indicador com o custo de capital da companhia. Caso o ROIC seja maior que o custo de capital, a empresa está de fato gerando valor para os seus acionistas.

Dívida Líquida/EBITDA

Esse é um importante indicador para mostrar o quão saudável está a situação financeira da companhia analisada. A dívida líquida é a quantidade de empréstimos e financiamentos subtraídos do caixa e equivalentes de caixa.

Uma empresa com dívida líquida negativa é aquela que possui mais caixa do que dívidas, sendo um indicativo de bastante solidez da companhia. Entretanto, a maioria das empresas possuem mais dívidas do que caixa, dessa maneira, a dívida líquida é positiva.

Divide-se a Dívida Líquida pelo EBITDA, que é uma proxy da geração de caixa da companhia. Formando um dos mais importantes indicadores para se analisar o endividamento de uma empresa. De modo geral, um indicador Dívida Líquida/EBITDA de 2 é considerado o ideal. Até cerca de 3,5 é considerado aceitável, quando passa desse número, o endividamento já é considerado alto.

Preço/Lucro

O P/L é um dos indicadores mais utilizados pelos investidores. A matemática do indicador é bem simples, a divisão entre o preço por ação (P) e o lucro por ação (L) dos últimos 12 meses. Uma empresa que tenha a ação cotada em R$ 15,00 e o Lucro por Ação de R$ 1,00 terá o P/L de 15.

O que quer dizer que se o Lucro por Ação dos últimos 12 meses se mantiver constante, o valor investido retornará em forma de lucro da empresa em 15 anos. Geralmente, empresas com alto crescimento de lucro normalmente possuem um P/L mais alto.

Porém, analisando somente esse indicador, não se pode concluir que essas empresas estão caras. O que acontece é que o mercado paga mais pela ação justamente colocando em conta esse crescimento futuro dos lucros.

Outra questão do indicador é que nem sempre uma empresa com P/L baixo está barata. Problemas de governança e gestão com um todo e baixa perspectiva de crescimento podem fazer com que a empresa negocie com um P/L descontado.

Conclusão

É de extrema importância considerar aspectos qualitativos na avaliação de negócios. Os indicadores darão uma noção de qual é o perfil da companhia, se possui uma alta geração de caixa, se possui vantagens competitivas e até darão noções sobre seu setor.

Entretanto, é sempre necessário analisar quais são as estratégias dessa companhia para o próximo ano, analisar o mercado no qual ela está inserida, suas barreiras de entrada aos competidores, entre outros pontos.

Por fim, combinando a análise dos indicadores com uma sólida análise qualitativa e a realização do valuation, o cálculo de um valor justo para a empresa, o investidor chegará a uma sólida análise de investimento.

Relacionados

Vale a pena investir em criptomoedas hoje? Veja o que considerar!

Desde seu surgimento, as moedas digitais despertaram o interesse de pessoas e se transformaram em um tipo de investimento. Porém, após [...]

Guide Investimentos - 11/06/2021

Portabilidade de investimentos: o que é, como funciona e como fazer?

Usufruir de liberdade para fazer seus investimentos onde for mais conveniente para as suas necessidades é fundamental para ter a melhor [...]

Guide Investimentos - 09/06/2021

Calculadora de rendimento da poupança

Após um mês com recorde de captação em 2021, a poupança mostra que nem mesmo seu rendimento limitado é capaz de [...]

Syntax Finance - 09/06/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções