CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Vai especular na bolsa? Conheça 8 padrões gráficos que todo trader deve conhecer!

25 de julho de 2022
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 12 min
Compartilhar
imagem ilustrativa
Tempo de leitura: 12 min

A especulação é uma das atividades que atrai muitas pessoas à bolsa de valores. Afinal, existem operadores que buscam lucrar no curto ou curtíssimo prazo. Porém, considerando os riscos existentes, o especulador precisa ter cautela e possuir boas estratégias operacionais.

Entre as mais conhecidas está a utilização de padrões gráficos da análise técnica. Você já a conhece? Essa estratégia pode ser bastante útil para quem é trader. Isso porque ela facilita a leitura do mercado e traz embasamento para a tomada de decisões.

Portanto, se você pretende especular na bolsa, confira 8 padrões gráficos que todo o trader deve conhecer!

O que é análise técnica?

Ao saber que os padrões gráficos integram a análise técnica, é pertinente explorar o seu conceito antes de conhecê-los.

A análise técnica (ou gráfica) é uma forma de estudar as variações nas cotações de ativos e derivativos financeiros. Para tanto, são utilizados os gráficos que, por sua vez, são ferramentas que demonstram de forma visual as movimentações dos preços.

Nesse sentido, o trader avalia as formações gráficas que já aconteceram na tentativa de projetar as próximas movimentações. Isso envolve traçar linhas para identificar tendências, zonas de maior interesse de negociações, regiões de defesa de preço, etc.

Como o especulador (trader) busca aproveitar pequenas variações de preços — comuns na renda variável — para lucrar, o uso dos padrões gráficos tende a ser de grande auxílio. Afinal, o mercado é conhecido por ser cíclico e repetir seus movimentos com bastante frequência.

Logo, aguardar o surgimento de padrões que indiquem um comportamento repetido pode colocar o trader em posição de vantagem. No entanto, é preciso ter ciência que não há método que anteveja todos os movimentos de mercado com precisão, então nem sempre os padrões funcionarão.

banner verde e rosa com o texto: Opere com as principais plataformas de trading. Botão: Abrir conta

Quais são os principais tipos de gráficos disponíveis?

Depois de aprender que a análise técnica considera o uso de gráficos, talvez você queira saber quais são os principais tipos de gráficos disponíveis.

Com a evolução da tecnologia e o surgimento dos pregões eletrônicos, foram desenvolvidas diversas plataformas de acesso à bolsa de valores. Cada uma delas conta com gráficos e funcionalidades específicas que podem facilitar o dia a dia do trader.

Normalmente, essas ferramentas oferecem 3 principais tipos de gráfico. Veja:

Gráfico de linhas

Esse é o tipo de gráfico mais simples para as análises. Trata-se de um gráfico com um eixo que representa a variação de preços (na vertical) e outro mostrando a variação de tempo (na horizontal). Uma linha é plotada indicando o preço de fechamento a cada período escolhido.

Por exemplo, ao selecionar um tempo gráfico de 5 minutos, a cada 5 minutos a linha avançará no eixo horizontal, podendo variar para cima e para baixo no eixo vertical. Normalmente, esse tipo gráfico é usado para ter um panorama das movimentações de preços em períodos maiores.

Gráficos: função, tipos, exemplos, exercícios - Brasil Escola
Exemplo de gráfico de linha

Gráfico de barras

O gráfico de barras é um tipo gráfico que traz mais informações que o gráfico de linha e foi bastante utilizado no ocidente, antes dos anos de 1990. Cada barra desenhada no gráfico mostra o preço de abertura, fechamento, máximas e mínimas em um período escolhido pelo trader.

O preço de abertura sempre estará plotado do lado esquerdo da barra, enquanto o preço de fechamento estará à direita. Já as máximas e mínimas são representadas por sombras que excedem as marcações de abertura e fechamento.

GRÁFICO DE BARRAS – Saber Matemática
Exemplo de gráfico de barra

Gráfico de candles

O gráfico de candles é o tipo gráfico mais conhecido e utilizado entre especuladores. Ele foi introduzido no ocidente a partir dos anos de 1990, embora no oriente existisse desde o século XVIII. Esse é o tipo mais completo e de fácil compreensão.

O corpo de um candle representa o preço de abertura e de fechamento, além da intensidade e direção do movimento. A coloração verde indica alta, enquanto a vermelha representa a baixa. As máximas e mínimas são plotadas em formato de pavios acima e abaixo do corpo do candle.

Gráfico de candles: o que é e como interpretar? - Foxbit
Exemplo de gráfico de Candle

O que são os padrões gráficos e para que servem?

Como é possível deduzir, os padrões gráficos representam um conjunto de formações gráficas que são repetidas na evolução de preços de um ativo ou derivativo. Desse modo, assim que esses padrões são plotados no gráfico, um movimento específico é esperado.

Com base nesses sinais gráficos, o trader pode se antecipar a uma movimentação e aproveitar todo o seu resultado. Eles também podem ser usados para tomar a decisão de se manter posicionado ou de encerrar uma operação — seja no lucro ou prejuízo.

Ou seja, uma das principais utilidades dos padrões gráficos é mostrar ao trader os possíveis pontos de entrada e saída das operações. Porém, vale lembrar que o mercado pode adotar um comportamento diferente do previsto e frustrar os planos do especulador.

Portanto, além de conhecer os padrões gráficos, é interessante contar com estratégias de gerenciamento de risco e proteção de capital. Desse modo, você terá uma segurança operacional maior e poderá reduzir os riscos de se deparar com grandes perdas financeiras.

8 Padrões gráficos que todo trader deve conhecer

Agora que você já sabe o que é análise técnica, os tipos e padrões gráficos, chegou o momento de conferir 8 dessas formações gráficas que todo o trader deve conhecer. Veja só!

1. Topos e fundos duplos

Os topos e fundos estão entre os padrões gráficos mais confiáveis do mercado. Eles indicam uma possível reversão da tendência vigente até então. O formato de um topo duplo será semelhante ao da letra “M”, enquanto o do fundo duplo é parecido com a letra “W”.

O topo duplo será formado com um movimento de alta seguido de um de baixa que se repete. Ou seja, ele sobe e desce duas vezes, mas a segunda queda costuma ser mais intensa, indicando que os preços podem começar a cair.

DVInvest - Topo Duplo – Saiba como identificar e tirar proveito
Exemplo de topo duplo

Já o fundo duplo é o movimento exatamente oposto. Isto é, haverá um movimento de queda, seguido de um de alta, outro de queda e o próximo de alta. Nesse caso, a formação indicará que a pressão vendedora se esgotou, sendo esperado um movimento acentuado de alta.

O que é um padrão de fundo duplo? Como Usar Efetivamente
Exemplo de fundo duplo

Em ambos os casos, é possível que os dois movimentos finais se repitam, quando serão chamados de topos ou fundos triplos. A sua leitura não muda, esperando-se as mesmas movimentações de quando surgem os topos e fundos duplos.

2. Ombro cabeça ombro (OCO)

O padrão ombro cabeça ombro também está na lista dos padrões mais conhecidos e aguardados pelos traders. Essa figura é bastante parecida com os topos e fundos triplos, com a diferença de que a formação central (que seria a cabeça) excede as duas laterais (os ombros).

A sua ocorrência é sinal que uma tendência de alta perdeu a força e provavelmente dará lugar a uma de baixa. A elevação do topo central mostra que houve bastante pressão compradora para romper o topo anterior, mas ela não foi forte o suficiente para continuar o movimento.

Então, ainda que os compradores tentem empurrar os preços para cima — formando o terceiro topo —, ele fica abaixo do anterior, indicando a possível reversão. Esse padrão também pode ter a sua formação invertida (OCOI), sendo plotada no sentido contrário.

Desse modo, o OCOI revela que uma tendência de queda perdeu a força e possui grandes chances de ser convertida em uma tendência de alta. Em ambos os cenários, o trader pode se posicionar assim que a última movimentação rompe a linha do pescoço (traçada ligando os ombros).

Figuras de Reversão - www.tradergrafico.com.br
Exemplo de gráfico ombro cabeça ombro

3. Triângulo

Outra formação bastante conhecida é o triângulo. Ele é um padrão conhecido por indicar a continuidade de um movimento, podendo ser de alta ou de baixa. Existem 3 principais tipos de triângulos.

São eles:

  • simétrico: nesse tipo as formações gráficas vão afunilando, permitindo que o trader trace linhas para cima e para baixo com o mesmo ângulo;
  • ascendente: nessa modalidade, os preços fazem fundos maiores e topos semelhantes. Assim, é traçada uma linha de alta (ligando os fundos) e outra reta (ligando os topos);
  • descendente: contrário ao triângulo ascendente, nele, os topos são cada vez menores e os fundos semelhantes, sendo traçada uma linha de baixa (ligando os topos) e outra reta (ligando os fundos).

Nos três casos, o trader aguarda pelo rompimento de uma das linhas traçadas, confirmando a direção dos preços. No triângulo ascendente, os preços tendem a subir, enquanto no descendente a tendência é cair. Já no assimétrico, os preços podem subir ou cair, a depender da linha rompida.

4. Bandeira ou flâmula

A bandeira ou flâmula também são padrões gráficos que indicam a continuidade de um movimento, sendo fácil de serem identificados. Eles se formam quando há uma indecisão de preços temporária, que pode rapidamente retomar à direção anterior em igual intensidade.

O movimento começa com uma alta ou baixa acentuada, formando o mastro da bandeira ou da flâmula. Na sequência, o movimento é interrompido dando início a uma pequena correção de preços — originando o corpo da bandeira (paralelogramo) ou flâmula (triângulo).

Bandeiras e Flâmulas
Exemplo de gráfico triângulo

O padrão é confirmado quando os preços rompem o corpo da bandeira ou flâmula, retomando o movimento anterior. Nesse cenário, é normal que a movimentação posterior seja do mesmo tamanho (intensidade) do corpo do mastro, podendo indicar um bom momento de se posicionar.

5. Retângulo ou caixote

O padrão conhecido como retângulo ou caixote pode indicar tanto a continuação quanto a reversão de uma tendência. Ele acontece quando os preços não conseguem superar os fundos, nem os topos por um período maior.

Isso permite que o trader desenhe a figura de um retângulo sobre a região em que os preços estão contidos. Nesse contexto, ele consegue operar nas extremidades do retângulo ou poderá aguardar a entrada de pressão compradora (ou vendedora) que consiga sair dessa marcação.

Para facilitar a compreensão do movimento, é válido observar o indicador de volume, já que ele indicará o aumento da pressão exercida por uma das forças do mercado. Enquanto ela não se fizer presente, o especulador pode fazer operações curtas dentro do caixote.

Retângulo de Alta e de Baixa | Opere Futuros
Exemplo de gráfico retângulo

6. Cunha

A cunha é uma formação gráfica parecida com a dos triângulos, podendo, inclusive, ser ascendente e descendente. A diferença é que, em uma cunha, as inclinações das linhas traçadas são mais significativas.

Outra distinção é que as cunhas são padrões de reversão. Portanto, o surgimento de uma cunha ascendente costuma revelar uma possível reversão de alta para baixa. Já a cunha descendente indicará o oposto — a mudança da baixa para a alta.

O ponto de entrada será exatamente o ponto em que os preços atravessarem a linha da cunha, no sentido contrário ao movimento anterior. De modo a evitar um eventual rompimento falso, é válido acompanhar o aumento do volume confirmando a reversão.

Cunha Ascendente - Tudo o que você precisa saber
Exemplo de gráfico cunha

7. Xícara e alça

A formação originalmente chamada de “cup and handle” (xícara e alça) é um padrão de continuação de tendência. Ele leva esse nome justamente por ser desenhado em um formato semelhante ao de uma xícara com a sua alça.

O movimento acontece da seguinte maneira: inicialmente o ativo segue em uma tendência de alta até formar um topo. Depois, ele corrige até 50% da alta e volta a formar um novo topo. Na sequência, o preço cai 1/3 (um terço) do movimento anterior e, por fim, volta a subir.

Analisando o gráfico em uma escala mais ampla, é possível desenhar a figura de uma xícara e alça nessa formação. O gatilho de início da operação se dá quando o preço rompe a linha que marca a borda (topo) da xícara.

Padrão de copo e alça: como verificar e usar de forma eficiente
Exemplo de gráfico xícara e alça

8. Pá de ventilador

O padrão gráfico conhecido como pá de ventilador pode ser de alta ou de baixa e, geralmente, resulta em uma reversão de tendência. O trader desenha três linhas, a começar do mesmo ponto, e cada uma delas acompanha as oscilações de preços em diferentes períodos.

Se a tendência era de alta, o rompimento da terceira linha é um sinal de venda. Por outro lado, se a tendência era de baixa, o rompimento da última linha será o gatilho de uma compra. Além disso, é comum que, na pá de ventilador de alta, seja exigida a confirmação de volume para iniciar o trade.

Já no caso da pá de ventilador de baixa, a confirmação do volume não é uma condição essencial. Contudo, você precisará avaliar a melhor forma de operar esses tipos de padrões, de modo que se sinta mais seguro para tomar a decisão de entrar ou sair de uma operação.

Agora que você conhece 8 padrões gráficos da análise técnica, poderá adicionar essas estratégias no seu operacional. Contudo, não deixe de conhecer outros padrões e formas de proteger o seu capital, considerando os riscos e a imprevisibilidade dos ganhos na renda variável.

Quer aprender mais sobre a especulação na bolsa de valores? Seja um assinante de O Guia Financeiro e acesse conteúdos exclusivos!

Guiar as pessoas para que o dinheiro não limite a vida. Este é o nosso propósito e o que acreditamos. Queremos eliminar as barreiras e limitações que impedem as pessoas de viverem sem ter que ficar só preocupadas com dinheiro. Aqui, no portal O Guia Financeiro, te auxiliamos e ensinamos diversas formas de alcançar a sua independência e sempre te lembramos de contar com os nossos Assessores-Guias com o objetivo de alcançar seus sonhos e objetivos.

Veja também