Fundos Imobiliários e o ganho de capital: um guia para a declaração no imposto de renda

Tempo de leitura: 2 minutos

Consistentemente, os fundos imobiliários marcaram presença nas carteiras de investimento nos últimos anos. Trata-se de um jeito simples, acessível e eficiente de investir em ativos imobiliários, por meio de imóveis e/ou títulos de renda fixa ou variável com lastro (garantia) em imóveis.

A modalidade cresceu exponencialmente, em 2019, e agora é a hora de preparar sua declaração anual de imposto de renda contemplando seus ganhos. Para ajudá-lo separamos informações importantes que auxiliarão nesse processo.

Quando declarar Fundos Imobiliários no imposto de renda?

Sempre. Na realidade, todos que fizeram alguma movimentação na bolsa no ano passado são obrigados a declarar. Ainda que essa modalidade de investimento contemple o investidor pessoa física com o benefício da isenção de IR para os rendimentos mensais, é indispensável que ele seja informado. Por serem classificados como renda variável, os fundos imobiliários seguem uma dinâmica diferente na tributação.

Os dividendos dos Fundos Imobiliários são isentos, desde que tenham mais de 50 cotistas e seja negociado exclusivamente em bolsa. Além disso, o investidor pessoa física não pode ter mais de 10% das cotas. Caso o ganho de capital seja oriundo da venda das cotas, será tributado em 20%, e deve ser pago até o último dia do mês seguinte por meio de recolhimento de Documento de Arrecadação de Receita Federal (DARF). Lembre-se que a declaração deve ser um momento apenas de prestação de contas com o governo.

Para iniciar, insira no menu “Bens e direitos, código 73 – “Fundo de Investimento Imobiliário” o valor total investido na compra de cotas de fundos imobiliários que você possui em carteira no último dia do ano. Lembre-se de marcar no campo de localização “105 – Brasil” e no campo de discriminação inserir as demais informações solicitadas, tais como número de cotas, nome do fundo, CNPJ, nome da corretora de valores custodiante e valor total da posição.

Rendimentos Isentos e Tributáveis

Os rendimentos isentos devem ser declarados no menu Rendimentos Isentos e Não Tributáveis. Especifique quem recebeu (titular ou dependentes) e seu respectivo CPF. Insira os dados do fundo imobiliário investido, na descrição coloque “Dividendos de Fundos Imobiliários”. Por fim, coloque o valor total recebido durante o ano.

Caso você tenha feito movimentações e elas tenham gerado lucro, o imposto já deverá ter sido recolhido no período em que ocorreram. Neste caso, apenas informará os resultados mês a mês no menu Renda VariávelOperações Fundo de Investimento Imobiliário.” Atenção! Se o valor informado em Imposto Pago for diferente do que você recolheu, é possível que ainda possua algum imposto atrasado.

 Portanto, se você foi um dos investidores que aproveitou o momento oportuno em 2019 e comprou cotas de Fundos Imobiliários não esqueça de preencher corretamente as informações sobre o ativo. Não deixe para depois. Revise suas informações e finalize a sua declaração anual de imposto de renda. Lembre-se: o prazo para envio vai até o dia 30 de junho de 2020.

Relacionados

O que é e como funciona o come-cotas?

Para um investidor alocar seus recursos em um fundo de investimentos, é preciso adquirir as chamadas cotas de participação. São elas [...]

Mayra Lima - 08/04/2021

Imposto de Renda: como declarar fundos de investimento?

Declarar o IR corretamente é indispensável para manter a sua situação regular perante a Receita Federal e evitar problemas futuros. Na [...]

Guide Investimentos - 05/04/2021

Investimentos sem imposto de renda: conheça quais são

Ao decidir investir é natural a preocupação com o imposto de renda, afinal dependendo de quanto será ou não tributado, a [...]

Syntax Finance - 30/03/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções