CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Cotações por TradingView

Vale a pena investir nos fundos de debêntures incentivadas?

5 de julho de 2022
Escrito por Syntax Finance
Tempo de leitura: 7 min
Compartilhar
Fundos de debêntures incentivadas: o que são e como investir - ilustração de duas moedas brancas com fundo laranja
Tempo de leitura: 7 min

O atual cenário de juros em alta no mercado brasileiro tem favorecido as aplicações em renda fixa, entre elas os fundos de debêntures incentivadas.

Essa modalidade de investimento é uma alternativa interessante para aqueles que buscam diversificar o portfólio sem ter que recorrer a renda variável e ainda pagando menos imposto de renda.

Quer saber mais? Continue a leitura deste guia financeiro e entenda como os fundos de debêntures incentivadas podem contribuir com o desempenho da sua carteira de investimentos.

O que veremos a seguir?
O que são fundos de debêntures incentivadas?
Quais são as diferenças entre debênture, debênture incentivada e fundos de debêntures incentivadas?
Como funciona o rendimento dos fundos de debêntures incentivadas?
Quais são as vantagens de investir nos fundos de debêntures incentivadas?
Como começar a investir nos fundos de debêntures incentivadas?
Como escolher uma corretora para investir nos fundos de debêntures incentivadas?
Como declarar os fundos de debêntures incentivadas no Imposto de Renda?
Considerações: vale a pena investir em fundos de debêntures incentivadas?

Esperamos que ao término deste conteúdo, você possa escolher com segurança o fundo de debêntures incentivadas mais adequados às suas necessidades e perfil de investidor.

O que são os fundos de debêntures incentivadas?

Os fundos de debêntures incentivadas, como o próprio nome sugere, são fundos de investimento cuja carteira é constituída majoritariamente por debêntures incentivadas.

Esses títulos de dívidas são utilizados para arrecadar recursos destinados a financiar projetos no setor de infraestrutura do país, como saneamento básico, energia, transporte, entre outros.

Para aumentar a sua atratividade, o Governo Federal concede aos investidores pessoa física a isenção de Imposto de Renda. Assim, aqueles que aplicam em fundos de debêntures incentivadas também são contemplados com o benefício fiscal.

Como funciona o rendimento dos fundos de debêntures incentivadas?

A rentabilidade dos fundos de debêntures incentivadas está diretamente relacionada à estratégia adotada e ao desempenho dos ativos que compõem o seu portfólio.

Normalmente, esses fundos compram debêntures de infraestrutura com rendimento atrelado à inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acrescido de uma taxa de juros prefixada.

Eles buscam rentabilidade superior ao IMA-B, Índice de Mercado ANBIMA que acompanha as oscilações do Tesouro IPCA com Juros Semestrais. Esses fundos tendem a ser mais sensíveis às condições de mercado, por isso são destinados ao longo prazo.

Já outros fundos de debêntures incentivadas utilizam o CDI como principal índice de referência. São os chamados fundos com hedge, ou seja, com proteção.

Esse tipo de fundo de infraestrutura se beneficia do movimento de alta da taxa básica de juros e é ideal para compor a carteira de investidores conservadores, que preferem retornos mais consistentes e menos voláteis.

Quais são as diferenças entre debênture, debênture incentivada e fundos de debêntures incentivadas?

As debêntures e as debêntures incentivadas, embora pertençam à mesma classe de ativos, possuem algumas diferenças consideráveis. O mesmo vale para os fundos de debêntures incentivadas.

Para facilitar, confira algumas diferenças entre esses tipos de investimentos de renda fixa:

Debêntures Debênture incentivada Fundos de debêntures incentivadas
Título de dívida emitido por empresas que buscam levantar recursos sem ter que recorrer a empréstimos bancários. Também conhecida como debênture de infraestrutura, esse papel visa captar recursos para financiar projetos de infraestrutura. Fundos de investimento que aplicam majoritariamente em debêntures de infraestrutura.
São tributados conforme a tabela regressiva do IR. O investidor pessoa física é livre da cobrança de IR. Os rendimentos são isentos de IR para pessoa física.
Os títulos podem ser negociados antes do prazo de vencimento no mercado secundário e estão sujeitos a marcação a mercado. Esses títulos de renda fixa podem ser negociados no mercado secundário, podendo resultar em ágio ou deságio. O investidor pode solicitar a venda das cotas dos fundos a qualquer momento.

Quais são as vantagens de investir nos fundos de debêntures incentivadas?

Os fundos de investimentos em debêntures incentivadas oferecem algumas vantagens, como:

  • Rendimentos isentos de imposto de renda para o investidor pessoa física;
  • Não há incidência de come-cotas nos meses de maio e novembro;
  • Protege contra as variações da inflação;
  • Contam com uma gestão profissional;
  • O investimento inicial mínimo costuma ser mais acessível;
  • Possui menor prazo de resgate que as debêntures;
  • Contribui com a diversificação da carteira e com ganhos de capital no longo prazo.

E as desvantagens?

Embora os fundos de debêntures incentivadas sejam classificados como renda fixa, a sua carteira é composta por títulos de dívida. Logo, há um risco de crédito envolvido nestas aplicações financeiras.

Outra desvantagem é que esses fundos de infraestrutura não contam com a cobertura de até R$250 mil do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) por CPF e instituição.

Diferentemente de outros fundos de crédito, esses ativos são mais voláteis e podem apresentar rentabilidade negativa no curto prazo.

Portanto, ao decidir investir em um fundo de debêntures incentivadas esteja ciente dos riscos envolvidos. Procure conhecer o time de gestão responsável e como eles fazem o controle de risco de suas operações.

Como começar a investir nos fundos de debêntures incentivadas?

Para começar a investir nos fundos de debêntures incentivadas, você precisa ter uma conta ativa em uma corretora de valores, como a Guide.

Feito isso, acesse a lista de fundos de investimento, avalie as opções disponíveis na plataforma e siga com a aquisição das cotas do fundo escolhido.

Lembre-se que a seleção do fundo não deve ser baseada apenas na rentabilidade passada, afinal ela não representa uma garantia de retorno futuro. Fique atento à cobrança de taxa de administração e taxa de performance, que podem comprometer o desempenho do fundo.

A seguir, confira o que considerar no processo de escolha da instituição financeira que intermediará as suas aplicações.

Como escolher uma corretora para investir nos fundos de debêntures incentivadas?

Na hora de escolher uma corretora de valores, considere alguns pontos importantes, como:

  • Custos e taxas envolvidos nas operações;
  • Serviço de atendimento oferecido;
  • Estabilidade da plataforma de negociação; e
  • Variedade e qualidade dos ativos disponibilizados.

Lembre-se de verificar se a instituição financeira escolhida está autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a atuar no mercado financeiro.

Como declarar os fundos de debêntures incentivadas no Imposto de Renda?

As aplicações em fundos de debêntures incentivadas, ainda que sejam beneficiadas com a isenção tributária, devem ser declaradas.

Todas as informações necessárias para esse processo constam no informe de rendimentos disponibilizado pela instituição financeira que intermediou a operação.

Com esse documento em mãos, acesse o programada de Imposto de Renda da Receita Federal e siga o passo a passo abaixo:

  • Vá até a seção de “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo 7 de “fundos”;
  • Na sequência, escolha o código 99 de “outros fundos” e em “discriminação” insira todas as informações sobre o fundo e a aplicação.

Já o ganho de capital conquistado nesses fundos isentos deve ser informado na ficha de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, código 26, da declaração de IR.

Considerações: vale a pena investir em fundos de debêntures incentivadas?

Os fundos de debêntures incentivadas representam uma alternativa segura para aqueles que desejam aplicar em debêntures mas não querem fazer um investimento direto nesses títulos de dívida.

Em geral, esse tipo de fundo de infraestrutura tem aporte inicial acessível e ainda conta com o benefício fiscal.

Mas atenção: mesmo que sejam classificados como renda fixa, esses fundos são sensíveis às oscilações do mercado.

Agora que você já conhece melhor os fundos de debêntures incentivadas, aproveite para revisar a sua carteira de investimentos e diversifique utilizando esses produtos de renda fixa.

Antes, verifique se eles atendem às suas necessidades, objetivos financeiros e ao seu perfil de investidor.

Quer conhecer mais sobre outros fundos de investimento na renda fixa? Então continue nos acompanhando e consolide seu conhecimento no Guia Financeiro VIP!

Se você ainda não é cliente, abra a sua conta e invista com quem te entende!

Você pode se interessar também por:

1ª Agência de comunicação 100% especializada em finanças, economia e mercado de capitais, a Syntax Finance impulsiona empresas que atuam nessas áreas no desenvolvimento de suas marcas.

Veja também