Cotações por TradingView

Fundo long only: quais as diferenças para outros fundos de ações?

Tempo de leitura: 11 minutos

O mercado de renda variável é repleto de alternativas. Por exemplo, você pode investir em ações, FIIs (fundos imobiliários), ETFs (fundos de índice), BDRs (certificados de valores mobiliários), entre outros. Porém, escolhê-los por conta própria pode ser uma tarefa que exige bastante conhecimento.

Caso você tenha interesse em investir, mas não esteja tão familiarizado com o mercado, uma opção é buscar por fundos de investimento em ações. Entre eles, existe o fundo long only, uma modalidade de investimento que busca lucrar a partir de períodos de alta do mercado.

Se você tem interesse em aprender mais sobre o fundo long only e sua diferença para outros fundos de ações, acompanhe este conteúdo e saiba mais. Vamos lá?

O que são fundos de investimento?

Antes de explorar as informações a respeito do fundo long only, é preciso entender o conceito de fundos de investimento. Essa é uma modalidade de investimento coletivo. Nela, diversos investidores fazem aportes, reunindo recursos que serão investidos com determinado objetivo.

Assim, o fundo é instituído sob uma estrutura semelhante à de um condomínio, sendo que cada participante detém cotas de participação. Com isso, os investidores aproveitam os resultados proporcionalmente ao número de cotas que possuem.

Ademais, o patrimônio do fundo é administrado por um gestor, que fica responsável pela escolha dos ativos que serão adquiridos em nome do fundo. Esse profissional deve ser certificado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) — órgão regulador e fiscalizador do mercado brasileiro.

Desse modo, ao investir em um fundo de investimentos, um profissional do mercado escolherá os investimentos que serão realizados com os recursos. Em contrapartida, os investidores arcam com os custos envolvidos — principalmente a taxa de administração e taxa de performance, se houver.

Normalmente, o lucro desse investimento é auferido com a valorização das cotas. Contudo, como é uma alternativa de renda variável, também há riscos de experimentar prejuízos. Logo, antes de investir, é preciso verificar se esse tipo de risco se enquadra no seu perfil de investidor.

E os fundos de ações, o que são?

Cada fundo de investimento pode atuar em um segmento específico — como ações, ouro, câmbio, multimercado, criptomoedas, entre outros. Geralmente, o foco dos aportes identifica o fundo como sendo de uma categoria ou outra.

O fundo de ações, por exemplo, é aquele que adota estratégias de investimentos que estejam majoritariamente relacionadas a papéis de empresas listadas na bolsa. É o caso da compra e venda de ações, bônus de subscrição, cotas de outros fundos de ações e ativos relacionados.

Nesse sentido, vale destacar que as ações são a menor parte divisível do capital social de uma empresa. Os bônus de subscrição, por sua vez, representam direitos de aquisição de ações por condições específicas.

Já as cotas de outros fundos de ações referem-se à participação em fundos de ações diversos. Por fim, ativos relacionados dizem respeito às demais alternativas de investimento que envolva ações. Com isso, o portfólio pode ser bastante amplo.

O que é um fundo long only?

Como você viu, nos fundos de ações, a função do gestor é compor a carteira do fundo com ativos que estejam relacionados às ações. Entretanto, como existem diversas maneiras de fazer isso, alguns fundos optam por limitar as estratégias que poderão ser utilizadas.

Uma delas é conhecida como long only. No mercado financeiro, o termo “long” ou “long position” representa o ato de comprar um ativo ou derivativo. Ele também significa assumir uma posição comprada. Já a palavra inglesa “only”, em tradução direta, significa “somente” ou “apenas”.

Desse modo, a expressão “long only” refere-se a uma estratégia em que se adota apenas posições compradas. Ou seja, operações em que se compra o ativo ou derivativo na expectativa de que ele valorize para que, posteriormente, possa ser vendido por um preço maior.

É comum que, nessa estratégia, o gestor utilize as análises fundamentalista ou técnica em busca de oportunidades. Isso pode envolver a escolha de ações com preço descontado — em que o preço é menor do que os ativos efetivamente valem — ou com potencial de valorização no futuro.

Quando as projeções se consolidam, o gestor realiza a venda dos ativos para realizar o lucro, repetindo continuamente o ciclo de escolha. Desse modo, é um tipo de fundo que costuma se beneficiar com períodos em que os mercados estão altos e existem boas expectativas econômicas.

O fundo long only, então, é um fundo de ações em que o gestor está limitado a se posicionar na compra. Portanto, seu desempenho pode ser prejudicado em tempos de crise ou instabilidades relacionadas à política e economia — que tendem a contribuir para a queda nos preços dos ativos no mercado.

Quais outros tipos de fundos de ações existem?

Além do fundo long only, é possível encontrar no mercado outros fundos de ações com nomes semelhantes, o que pode gerar dúvidas no investidor. É o caso dos fundos long e short, e long biased.

Veja a diferença entre eles:

Long e short

Diferentemente dos fundos long only, que somente podem operar comprados, nos fundos long e short adota-se um posicionamento duplo — um de compra e um de venda. O termo “short”, ou “short position”, significa venda ou operar vendido.

Portanto, a estratégia do gestor consiste em sempre abrir posições compradas e vendidas ao mesmo tempo. O objetivo é aproveitar o desempenho de uma sobre a outra. Isso significa que ela não é direcional, logo, seus resultados não dependem de o mercado estar em alta ou em baixa.

No entanto, os riscos nesse tipo de estratégia podem ser maiores. Isso porque se ambos os ativos escolhidos pelo gestor tiverem um desempenho ruim, os prejuízos serão dobrados. Além disso, em períodos de forte alta, a posição vendida pode ofuscar parte ou todo o lucro da posição comprada.

Long biased

Em fundos long biased também são realizadas operações compradas, contudo, elas não são as únicas permitidas. A palavra “biased” em tradução livre corresponde a “enviesado”. Nesse sentido, o viés operacional é adotar posições compradas, sem excluir a possibilidade de se posicionar na venda.

Diferente do long e short, o gestor não precisa comprar e vender pares de ativos. Aqui ele poderá ter parte da carteira comprada, mas aproveitar períodos de queda no mercado especulando na venda. E, para conseguir abrir posições de venda, é comum que seja necessário alugar os ativos.

Nesse sentido, os riscos também podem ser mais elevados. Afinal, caso a posição vendida não atinja o objetivo esperado, além do prejuízo realizado, será preciso arcar com os custos do aluguel. Ainda, a volatilidade no curto prazo costuma ser maior, contribuindo para o aumento no risco.

Quais as vantagens de investir em fundos long only?

Depois de conferir o conceito de fundos com diferentes tipos de estratégia, talvez você queira saber a vantagem de optar pelo fundo long only. Um dos principais benefícios do fundo long only é a possibilidade de aproveitar as condições favoráveis da bolsa de valores em prazos maiores.

Se você observar o histórico de preços do mercado brasileiro, representado pelo Índice Bovespa, perceberá um crescimento contínuo. Embora no curto prazo sejam observados períodos em que o Ibovespa registrou quedas, no longo prazo a tendência costuma ser de alta.

Logo, investir em um fundo que se beneficia de altas no mercado pode ser uma forma interessante de preservação e crescimento de capital.

Ademais, como nesse tipo de fundo não se adota posições vendidas, não se tem custos com aluguel de ações, por exemplo. Portanto, tanto o risco quanto os custos ficarão limitados às operações compradas.

Quais os riscos envolvidos?

No que se refere aos riscos, é importante lembrar que os fundos de ações fazem parte da renda variável. Isso significa que não é possível prever se o investimento será lucrativo ou se trará prejuízos.

Em relação aos fundos long only, pode se dizer que a estratégia limita a atuação do gestor às posições compradas. Logo, sua exposição aos prejuízos será maior em períodos de quedas generalizadas no mercado — principalmente se seus objetivos forem de curto prazo.

Além disso, como o fundo investe majoritariamente em ações, fatos que envolvam as empresas que compõem o portfólio podem impactar negativamente os resultados. Por exemplo, desastres naturais, participação em escândalos políticos, dificuldades econômicas, entre outros.

O que analisar na hora de escolher um fundo long only?

Considerando as vantagens e riscos associados a esse tipo de investimento, a decisão de investir deve ser pautada na análise de diversos aspectos. Confira o que observar antes de fazer o aporte!

Perfil de investidor

Como foi possível aprender, a análise do seu perfil de investidor é fundamental para investir em qualquer fundo — seja ele long only ou outro tipo. Tenha em mente que nem todos os investidores estão preparados para suportar os riscos presentes nessa modalidade de investimento.

Devido ao nível de riscos da renda variável, o investimento tende a ser mais adequado para quem tem um perfil arrojado. Porém, isso não significa que não seja uma alternativa para os demais perfis. Afinal, é possível expor uma pequena fração de seu capital, caso faça sentido para a estratégia.

Ao considerar o seu perfil, avalie também as estratégias adotadas pelo fundo, a composição de seu portfólio e outras informações relevantes. Assim, você poderá escolher aquele que está mais alinhado ao seu perfil.

Objetivos financeiros

Você também aprendeu que, nos fundos long only, os resultados podem demandar prazos maiores. Com isso, vale a pena verificar se os seus objetivos estão alinhados a essa perspectiva. Caso deseje resultados em prazos menores, por exemplo, outras estratégias podem ser mais convenientes.

A depender do caso, fundos long e short ou long biased podem fazer mais sentido em períodos de baixa no mercado. Ademais, o lucro não é o único resultado que pode ser obtido por meio de um investimento.

Perceba que investir pode lhe proporcionar a proteção de sua carteira, a preservação de capital etc. Logo, identifique o objetivo que você deseja atingir com cada opção escolhida.

Planejamento

Independentemente do investimento que você deseja fazer, ter um bom planejamento também é essencial. Em regra, o sucesso de sua jornada de investidor depende da realização de aportes regulares, proteção de capital e boas escolhas — tudo isso pode partir do seu planejamento.

Por exemplo, dificilmente será possível obter lucro nos investimentos se você precisar resgatá-los diante de qualquer imprevisto. Assim, criar uma reserva de emergência evita que seja necessário se desfazer de ativos ao enfrentar uma situação inesperada.

O mesmo se aplica à realização de aportes frequentes. Afinal, não é razoável imaginar que investir apenas uma vez será o bastante para seu capital crescer. Portanto, é preciso se planejar para reservar capital e investir regularmente.

Como investir em um fundo long only ou em outros fundos de ações?

Chegando nesse ponto, você deve estar se perguntando como investir em um fundo long only ou em outros fundos de ações. Para tanto, o primeiro passo é abrir conta em uma corretora de valores conceituada — como a Guide.

Isso porque, em regra, essas alternativas são disponibilizadas via plataforma digital dessas instituições. Na sequência, será preciso responder ao teste de suitability — para identificar o seu perfil de investidor.

O próximo passo é depositar o capital reservado para investir na conta aberta junto à corretora. Em seguida, ingresse na plataforma disponibilizada pela corretora. Com a Guide, por exemplo, você tem acesso a uma grande variedade de fundos de ações — long only, long biased e long e short.

Ainda, é possível encontrar outros tipos de fundo como de renda fixa, multimercados, internacionais, cambial etc. Vale a pena fazer pesquisas considerando aplicação mínima, prazo de resgate e taxa de administração. Assim, fica mais fácil escolher aquele que melhor atende aos seus interesses.

Por fim, após a escolha do fundo, selecione a opção “investir” e siga os passos indicados na plataforma. Isso geralmente envolve informar a quantia que deseja investir e digitar sua senha eletrônica. Feito isso, em poucos dias já será possível acompanhar o investimento em sua carteira.

Agora que você aprendeu o que é fundo long only, pode acrescentar esse tipo de investimento no seu portfólio. Porém, não se esqueça de avaliar se a alternativa faz sentido para o seu perfil e objetivos financeiros.

Gostou deste conteúdo? Entre em contato com nossa equipe e conheça essas e outras alternativas de investimentos disponibilizadas pela Guide!

Relacionados

Existe ETF de bitcoins? Conheça fundos de índice para investir em criptomoedas!

As criptomoedas vêm se destacando no mercado financeiro, atraindo a atenção de diversos investidores. Como consequência, é comum que novas alternativas [...]

Guide Investimentos - 26/11/2021

Quanto vale cada ponto no mini dólar? Tire suas dúvidas!

Os minicontratos de dólar estão entre as alternativas mais procuradas por especuladores que buscam ganhos no curto ou curtíssimo prazo. Porém, [...]

Guide Investimentos - 25/11/2021

Front running: veja por que é uma prática ilegal!

No mercado financeiro, especialmente para os que buscam ganhos no curto prazo, adiantar-se e tomar decisões rápidas é primordial. Contudo, nem [...]

Guide Investimentos - 22/11/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções