Cotações por TradingView

Fome de diversificação

Tempo de leitura: 2 minutos

Em um cenário de juros baixos no Brasil, os investidores são levados a buscar diferentes alternativas para conquistar melhores retornos de longo prazo. Investir em fundos internacionais, ou seja, fundos que possuem parte do seu patrimônio em ativos de outros países, é uma opção ainda mais fácil para quem deseja diversificar a carteira com ativos financeiros do mundo todo. Além disso, essa alternativa pode vir a proteger o seu patrimônio com ativos não correlacionados ao risco Brasil.

O aumento do apetite do público para fundos no exterior tem aumentado. Chegando a 35% da capitação líquida de todos os fundos de investimento no ano, segundo o ranking da Anbima de junho deste ano.

Se pensarmos que o PIB do Brasil representa aproximadamente 1,6% do PIB mundial, o mercado de ações brasileiras menos de 1% do mercado de ações globais e a alocação média do investidor brasileiro, que é mais de 90% aqui no Brasil, existe um grande espaço para crescimento na classe de investimentos offshore.

A pandemia teve um papel importante no crescimento do interesse por essa alternativa. O Brasil sofreu (e continua sofrendo) bastante com os impactos da pandemia, gerando desvalorização cambial e o aumento da volatilidade dos ativos. Enquanto isso, outros países se mostraram mais rápidos na recuperação econômica, aumentando o desejo de estarem expostos ao crescimento mundial e contar com a proteção de outras moedas.

Um outro ponto relevante que ajuda a explicar essa capitação tão significativa no setor, é o aumento da oferta de produtos. Desde janeiro de 2020, houve um aumento de 271 fundos internacionais. Os produtos também se tornaram mais acessíveis, com a diminuição do valor mínimo de aplicação, democratizando essa modalidade de investimento. Além de um aumento quantitativo, houve uma ampliação temática no portfólio de fundos.

Os fundos temáticos se tornam cada vez mais populares no mercado. Os clientes buscam fundos com temas específicos como ESG, tecnologia ou saúde que tenham abrangência global ou de alguma região específica. Os fundos regionais também têm ganhado tração, uma vez que alguns clientes buscam exposição em alguma região específica, como na Ásia ou crédito em países emergentes.

A união de todos esses fatores culminou no aumento do interesse dos investidores. Por isso, criamos uma plataforma voltada especialmente focada neste tipo de investimento. Quer entender melhor como é simples investir em empresas globais pela Guide? Assista a entrevista completa de Nelson Muscari, coordenador de fundos da Guide Investimentos, para a BandNews.

Relacionados

Você sabe realmente para que serve a bolsa?

Se alguém perguntar o que vem à sua cabeça quando o assunto é investimento, provavelmente uma das primeiras coisas que você [...]

B3 - A Bolsa do Brasil - 18/01/2022

Aluguel de ações: o que é e como funciona?

Você sabia que é possível ter uma boa rentabilidade quando se negocia ações em um mercado em queda? Para fazer isso, [...]

Syntax Finance - 05/01/2022

Como e por que utilizar gráficos comparativos ao investir na bolsa?

Investir na bolsa de valores é uma forma de buscar rendimentos a partir dos seus aportes. Porém, decidir qual é o [...]

Guide Investimentos - 28/12/2021
Logo o guia financeiro

Entrar

Como deseja continuar?

Abra sua conta

Preencha os campos abaixo
ou use uma das opções